10 dicas para fotografar melhor com o smartphone

em Dicas & Tutoriais, Notícias.

dicas smartphones, celular, limitações, camera embutida, fotos divertidas, criativas, redes sociais, foto melhores, zoom óptico, objeto distante, qualidade da imagem, zoom digital, pixels,sensor, sensação de profundidade, HDR, da Vinci, câmera, iphone, impa-lentes,apps, photoshop express,android, habilidades fotográficas, identificar fotos, escola focus, enio leite

A câmera mais usada pela maioria das pessoas é a do celular, pela óbvia razão de que ela está sempre por perto

 Mesmo com evidentes limitações, a câmera embutida permite fazer fotos divertidas e criativas, e compartilhá-las imediatamente nas redes sociais. Veja algumas dicas para conseguir fotos melhores ao usá-la.

1 – Chegue mais perto – Em geral, câmeras de smartphones não possuem zoom óptico. Em vez disso, elas oferecem o zoom digital, que aproveita apenas parte do quadro de modo a “aproximar” um objeto distante. Ao usar esse recurso, abre-se mão de parte dos pixels, o que reduz a qualidade da imagem. Por isso, procure usar o zoom digital só quando for realmente necessário. Se puder, chegue mais perto do objeto a ser fotografado em vez de acionar o zoom.

2 – Providencie a luz – É difícil fazer boas fotos em lugares mal iluminados com um celular. O pequeno sensor de imagem desses aparelhos capta pouca luz. Quando o smartphone aumenta a sensibilidade do sensor para registrar cenas escuras, a foto perde nitidez. Considerando isso, vale fazer algum esforço para clarear a cena. Mude para um lugar mais claro se isso for possível. Dentro de casa, abra as cortinas e acenda as luzes do ambiente.

3 – Cuidado com o flash – O flash embutido nos smartphones raramente produz boas fotos em lugares escuros. Ele só é eficaz a curta distância e seu uso tende a resultar em imagens “chapadas”, onde a sensação de profundidade se perde. Por isso, só use o flash no escuro se não houver outra opção para iluminar a cena. Mas o flash pode ser útil ao fotografar uma pessoa sob sol forte, por exemplo. Se você perceber que há sombras no rosto dela, aproxime-se e ligue o flash para iluminá-lo, suavizando essas sombras.

4 – Experimente o HDR – Um recurso que pode ser útil em cenas com iluminação problemática é o de foto com faixa dinâmica ampliada (HDR). Essa função, presente em alguns smartphones,  reduz o contraste entre áreas claras e escuras. Isso pode revelar detalhes que, de outra forma, ficariam escuros ou claros demais para ser vistos. Mas não se esqueça de desligar o HDR depois de usá-lo, já que, em muitas situações, esse recurso pode piorar a qualidade da foto em vez de melhorá-la.

5 – Fique firme – Os smartphones têm mais tendência a produzir fotos tremidas do que as câmeras fotográficas avulsas. Contribuem para isso a baixa sensibilidade, a ausência de estabilizador óptico e o formato do smartphone, que não é ergonômico. Para garantir imagens sem tremores, segure o celular firmemente e prenda a respiração na hora do clique. Se estiver em pé, procure se apoiar numa parede ou árvore, por exemplo, para que seu corpo fique estável. Também vale apoiar a mão que segura o smartphone em algum objeto para que ela não trema.

6 – Pense como Da Vinci – É fundamental dispor os elementos que compõem a imagem de forma harmoniosa, como fazem os pintores. Divida o quadro em terços, como num jogo da velha, e procure posicionar os elementos mais importantes sobre as linhas divisórias. Alguns aplicativos para foto (como o ótimo Camera+ para iPhone) até mostram essas linhas divisórias na tela para facilitar. Em fotos de paisagem, evite deixar o horizonte no meio do quadro. Posicione-o mais ao alto ou mais abaixo. Cuidado com pés cortados, horizontes tombados e outros defeitos óbvios. E não se esqueça de experimentar diferentes pontos de vista. Às vezes, agachar-se para fotografar, em vez de ficar em pé, por exemplo, pode fazer toda a diferença.

7 – Atenção aos atrasos – Muitos celulares têm um atraso entre o momento do clique e aquele em que a imagem é captada. É preciso manter o aparelho firme até que a foto tenha sido realmente feita. Note que, quando o disparo é feito tocando na tela sensível, geralmente a foto só é captada quando o dedo é removido dela. É o que acontece no iPhone, por exemplo.

8 –  Elimine impressões digitais – Muitos smartphones têm a lente da câmera exposta. Basta encostar o dedo nela para que fiquem impressões digitais que vão prejudicar a nitidez das fotos. A melhor maneira de limpar a lente é usar um papel limpa-lentes descartável de marca confiável. Pode ser comprado em lojas (físicas ou na internet) que vendem equipamentos fotográficos profissionais. Sopre a lente para remover a poeira. Depois, bafeje sobre ela para que fique embaçada e esfregue o papel delicadamente. Se você não tiver papel limpa-lentes à mão, use um pano macio ou uma camiseta limpa.

9 – Escolha os apps – Há incontáveis aplicativos que acrescentam recursos interessantes para fotografar no smartphones, como temporizador, grade para facilitar a composição da imagem e opção de múltiplas fotos em sequência. Alguns até permitem personalizar os botões do aparelho de modo a reservar um deles para acionar a câmera. Eles também ajudam a editar a foto depois, além de oferecer uma variedade de efeitos que podem ajudar a dar um toque artístico a elas. Não deixe de experimentar alguns (confira apps para iPhone e Android).

10 – Apagar é preciso – Mandar uma foto diretamente para alguma rede social assim que ela é clicada nem sempre é uma boa ideia. Se você tiver muitas fotos no smartphone, o melhor é olhá-las com atenção e apagar – sem pena – aquelas que ficaram ruins. Esse exercício de avaliar as próprias fotos é fundamental para quem quer desenvolver habilidades fotográficas. Esse é o momento, também, de identificar fotos que podem ser melhoradas por meio de algum ajuste, recorte ou filtro. Muitos apps de fotografia para smartphones permitem realizar esses ajustes de forma simples e rápida. Entre eles, está, por exemplo, o Photoshop Express, que é gratuito para iPhone e Android.

Fonte: http://goo.gl/0vmPM

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)