4 dicas simples para fazer boas fotos à noite

em Dicas & Tutoriais, dicas de fotografia.

Fotografia noturna, dicas simples, boas fotos à noite, configurações, câmeras, ISO, tempo de exposição, abertura, aula de fotografia sp, focus, cursos de fotografia sp, cursos de fotografia sp, focus escola de fotografia, melhores escolas de fotografia no Brasil, escola focus,

Entenda a variação da abertura na fotografia noturna

Caio Carvalho/TecMundo

  1. Ajuste as configurações da sua câmera

As câmeras digitais, sejam elas básicas ou avançadas, possuem mais de um modo de fotografia, inclusive um próprio para fotos noturnas. Acontece que não é necessário ativar esse recurso caso você queira fazer suas fotos à noite e, muitas vezes, essa opção falha em entregar figuras com qualidade. Aqui, você precisa se atentar a três elementos: ISO, tempo de exposição (velocidade do obturador) e abertura. Câmeras de diferentes fabricantes possuem recursos distintos de como ativar essas funções; então consulte o manual de instruções do seu aparelho.

O ISO diz o quão sensível é a lente fotográfica da sua câmera com relação à luz, o que significa que, quanto maior for o ISO, maior será sua exposição à luz. Logo, a dica é sempre deixar o valor do ISO no menor número possível — isso pode parecer sem sentido, mas a questão é que elevar o ISO pode causar um efeito estourado de luz, dando aquele aspecto de granulado por toda a imagem. Com o ISO menor, é possível obter registros mais nítidos de todos os pontos.

A exposição (velocidade do obturador) indica quanto tempo o obturador da câmera ficará aberto, permitindo que a luz entre pelo sensor de imagem. A medida 1:15, por exemplo, corresponde a 1/15 de segundo até que a luz seja coletada pelo sensor; 1:4 é 1/4 de segundo, e assim por diante. Aqui, é recomendável usar o método de longa exposição e aumentar o tempo de obturação, já que fotos noturnas requerem um tempo mínimo para que a câmera registre uma quantidade de luz natural para finalmente completar a captura.

 A abertura, por sua vez, engloba um conjunto de configurações que permitem que diferentes quantidades de luz entrem pela lente da câmera. Essa função é retratada pelo ícone “f/” mais um número de referência (por exemplo: f/1.8 ou f/22) e é muito importante porque define como será a profundidade de campo daquilo que você deseja fotografar. Quanto maior for o valor da abertura, menor será a abertura (passando menos luz) e maior será a profundidade de campo — e vice-versa.

  1. Habilite o modo manual

Como você precisa ter um controle completo sobre os itens citados no tópico anterior, nada melhor do que operar isso tudo manualmente na sua câmera. O motivo é óbvio: tudo vai depender do local onde você está e do objeto a ser fotografado, e é bem possível que você tenha que fazer ajustes em quase todos os cliques do obturador conforme a luz ambiente seja alterada. Nem adianta tentar usar o modo automático ou outras configurações predefinidas, uma vez que as leituras internas do sensor fotográfico não funcionam no escuro.

  1. Se possível, utilize um tripé e controle remoto

Mesmo configurando sua câmera com as dicas acima, um dos fatores essenciais para fazer fotos mais nítidas à noite é deixar o aparelho o mais estável possível. Claro, você pode fazer seus registros segurando a câmera nas mãos; porém, mesmo a segurando com força, são grandes as chances de a imagem sair tremida ou com “ruídos” por falta de mais estabilidade.

Lembra-se do primeiro tópico, quando falamos da necessidade de manter o obturador em uma velocidade menor para que a câmera consiga captar uma quantidade de luz maior através do sensor? Isso é alcançado mais facilmente se a câmera estiver completamente parada no momento do registro. E é aí que entra o tripé, ou qualquer outro periférico ou superfície que mantenha o aparelho estável, sem se mexer. Além de aumentar o tempo de abertura do obturador, essa prática evita que suas fotos saiam borradas.

Outra sugestão aliada ao uso do tripé são os controles remotos. Mesmo com a câmera posicionada em um suporte, só sua ação de pressionar o botão do obturador movimenta a câmera fotográfica, o que pode comprometer a captação da imagem. Por isso, utilizar um controle remoto pode ser uma alternativa a esse problema. Se não tiver o acessório, você pode deixar sua câmera posicionada e configurar o temporizador entre 5 a 10 segundos, tempo suficiente para se afastar do aparelho e deixá-lo registrar a foto.

  1. Planeje-se com antecedência

Ok, você já separou seu equipamento, verificou as configurações da sua câmera e fez testes em locais fechados e com pouca luminosidade. Contudo, antes de ir para ambientes mais abertos, faça uma checagem dos itens que você vai levar, independentemente se forem aparelhos profissionais ou não.

Também se certifique das condições climáticas do período em que você estiver fora de casa, já que a natureza precisa colaborar para que você faça boas fotos noturnas, que, por sua vez, exigem céu limpo e sem chuva. É sempre bom evitar imprevistos, então tenha certeza de que encontrará um tempo favorável ao seu objetivo.

Fonte: https://goo.gl/DcFY9Z

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: [email protected]

Seja fotografo regulamentado
Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional

 Referência em ensino de fotografia
“Faça bem feito, faça Focus – Desde 1975”

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: G1 - 12/03/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)