5 erros aos tentar transformar uma ideia num negócio

em Uncategorized.

Ideia, negócio, empreendedor, sucesso, pesquisa, Projetos de negócios, ideia genial, aula de fotografia, mercado, propriedade intelectual,

Uma ideia, às vezes, não vai para frente!

Carreira & Sucesso/Camila Martins

Carlos Mazzei, fundador da Associação Nacional dos Inventores, aprendeu a identificar padrões que ajudam a entender por que uma ideia, às vezes, não vai para frente e, consequentemente, impede que o empreendedor tenha sucesso.

  1. Não pesquisar o suficiente

Primeiro vem um insight, depois a constatação: que ideia genial! Segundo Carlos, o passo seguinte a esta cena comum a empreendedores deve ser fazer uma pesquisa para descobrir se a tal “ideia genial” é, de fato, nova. “Há casos em que chegam a tentar colocar projetos de negócios e produtos no mercado como se fossem inovadores, quando há alternativas semelhantes disponíveis há anos”, diz ele.

  1. Não registrar a ideia como propriedade intelectual

Assim como protótipos de produtos são protegidos por meio de uma patente, o ideal é que um novo conceito de negócio esteja legalmente resguardado antes de divulgá-lo. “Tem sido um caso recorrente com aplicativos: os criadores levam a feiras em busca de parceiros e, meses depois, surgem várias cópias”, explica o presidente da ANI. Ainda que a lei brasileira não permita registrar a ideia de um app, uma alternativa é fazer isso na agência americana de propriedade intelectual, a Copyright Office. “Já fizemos esse procedimento com pelo menos 300 aplicativos na Associação”, conta Carlos.

  1. Errar no timing e alvo de investimento

O momento de expandir ou concretizar um negócio por meio de aporte externo é crucial para o sucesso do negócio, por isso não pode ser feito de forma afobada. É preciso ser consciente do atual estágio de desenvolvimento da ideia e das suas perspectivas no mercado e buscar um investidor apenas quando esse cenário for promissor. Também é imprescindível garantir que os parceiros prospectados para participar do empreendimento estejam alinhados com seus valores e o futuro almejado, assim como saber com precisão o montante desejado para o investimento.

  1. Não ter um plano

Sem saber onde quer chegar com uma ideia, o empreendedor dificilmente saberá o caminho a percorrer. O ideal é lançar o negócio já pensando em expansão, em franqueá-lo, em atrair investidores ou até mesmo em vendê-lo após atingida certa maturidade. “E é preciso renovar constantemente esse propósito. Cansei de ver ideias maravilhosas que não decolam porque seus criadores não têm tino para a parte comercial. Se não encontrou o sócio ideal que complemente essa característica, passar adiante é uma boa opção”, comenta Mazzei.

  1. Falta de apoio familiar

O processo de desenvolvimento de uma ideia até ela se tornar um produto ou negócio viável é difícil e, às vezes, infrutífero. Além de suporte financeiro, é essencial contar com o apoio das pessoas próximas à vida do empreendedor. “Família e amigos são essenciais nessa hora. Eles precisam saber o que está acontecendo e ajudar tanto em questões práticas quanto no lado mais emocional dessa empreitada”, afirma Carlos.

Fonte: https://goo.gl/4ZNnoe

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: [email protected]
Veja TCC de Alunos: https://goo.gl/TMVuLD

Seja fotografo regulamentado
Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional
Escola Focus: Referência em ensino de fotografia

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 15/08/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)