A ERA DA FOTOGRAFIA MOBILE

em Notícias.

O que a fotografia de smartphones representa hoje no mercado fotográfico e qual é o seu futuro?

Qual é o maior vendedor de câmeras do mundo? Pessoas do
mercado fotográfico vão logo dizer Canon. E estão corretas.

Leo Saldanha/FHOX

Mas quem está por dentro do mercado de tecnologia e
smartphones, provavelmente citará a Samsung. Só no último ano, a empresa foi
responsável por 20,9% das vendas de smartphone em todo o mundo, segundo dados
da International Data Corporation (IDC).

Aliás, não só a Samsung, como Huawei, Xiaomi e Apple são os
grandes vendedores de câmeras digitais no mundo hoje. Tudo culpa de Steve Jobs,
que em 2007 apresentou o iPhone, uma evolução do iPod com celular, câmera e um
monte de outras coisas no mesmo dispositivo. O impacto de Jobs foi tão grande
nesse segmento, que ele entrou para o Hall da Fama da fotografia nos Estados
Unidos.

Um salto estonteante no tempo nos traz para o lançamento do
iPhone 11 e do iPhone 11 Pro. Na apresentação de quase duas horas, a Apple
dedicou uma parte importante para a fotografia. O fato é que várias marcas
estão colocando todos os seus esforços na fotografia em si.

A Samsung, por exemplo, em um evento recente, mostrou um
time de embaixadores/influenciadores da fotografia e do vídeo. A marca, aliás,
acredita que o segmento de vídeo vai dar um salto com a chegada do 5G. Tanto
que uma das grandes novidades do Galaxy Note 10 e 10 Plus é o foco dinâmico em
vídeos de altíssima resolução.

O apelo de marketing das marcas líderes passa por inovação para
fotografar melhor. O termo “fotografia profissional” ou “câmera profissional”
quase sempre está presente em peças de vitrines de lojas de rua, propagandas em
revistas, redes sociais e afins. O consumidor, contudo, parece mais seduzido
por outros itens: a quantidade de lentes, a capacidade de fotografar no escuro,
os recursos que tornam a qualidade da foto muito melhor automaticamente e
ferramentas para fazer selfies de forma divertida, simples e rápida.

DECISÃO DE COMPRA E STATUS

O que os consumidores mais buscam em um aparelho novo é
tempo de bateria, câmera e capacidade de processamento. Nos modelos mais
sofisticados, a quantidade de lentes virou item de status. Não para menos que
Samsung, Huawei e Apple estão produzindo modelos de ponta com múltiplas lentes.

Basta olhar os lançamentos recentes da Huawei para comprovar
isso. O P30 Pro, com 50x de zoom, tem câmera tripla. Já o Mate 10 Pro que vem
com quatro câmeras na parte de trás do aparelho.

A Samsung também passou a lançar modelos com três lentes. E
o iPhone 11 Pro conta com a mesma quantidade de câmeras. Ter mais lentes no
aparelho é uma forma rápida e fácil de ser identificado como alguém que tem o
melhor smartphone possível.

No Brasil, a Allied é a maior distribuidora de celulares,
além de diversos outros equipamentos. Segundo Jorge Romboli, diretor comercial
da empresa, 25 % do interesse de um usuário está atrelado aos features de
imagem.

“O que nós percebemos é que o desejo inoperacional ainda é
um lugar muito ocupado pela Apple, mas o volume é sempre algo muito forte com
Samsung, que quando lança uma linha nova, como fez recentemente, impacta
fortemente o mercado. No exterior, sabemos que essas duas marcas têm fortes
concorrente, Xiaomi e Huawei, principalmente na Ásia. Por aqui, todas essas
também tem a companhia de marcas como Motorola e Asus, que vem com bom
desempenho”, explica Romboli.

Mas a questão no meio disso tudo é: fotógrafos estão
realmente usando o celular como uma ferramenta fotográfica? Para um dos
profissionais mais respeitados do mundo todo, Sebastião Salgado, a fotografia
de verdade só existe mesmo quando impressa. A declaração foi dada durante uma
conversa com o jornalista Pedro Bial, no programa Conversa com Bial, da Rede
Globo. A entrevista foi compartilhada no podcast da FHOX e inúmeros fotógrafos
comentaram sobre o que Salgado disse.

“Continuo achando ele um excelente fotógrafo, mas quando o
ouvi dizer que fotografia com celular não é fotografia, parei de dar
credibilidade”, disse Anderson Silva, fotógrafo profissional de São Paulo.

Ao mesmo tempo vemos profissionais de tanto renome quanto
Salgado, caso de Annie Leibovitz, apostando no Instagram e nos smartphones. Aos
70 anos, a fotógrafa norte-americana entrou na rede social em outubro passado e
parece estar disposta a abraçar a nova fase da fotografia em tempo real.

A NOVA REVOLUÇÃO

Qual é a próxima fronteira da foto com smartphones? A
resposta deve estar na inteligência artificial da fotografia computacional. Na
prática os avanços nessa parte garantem fotos melhoradas em condições de
baixíssima luminosidade, capacidade de mesclar arquivos para criar fotos
incríveis (HDR de nova geração) e e efeitos de zoom melhores.

O Google Pixel 4, que acaba de chegar ao mercado dos Estados
Unidos, traz uma incrível capacidade de clicar galáxias. Em seu lançamento a
marca apresentou fotografias do céu feitas no escuro, que davam a dimensão do
potencial desse novo equipamento. O modelo com lente dupla foi testado por
Annie Leibovitz e a fotógrafa fez retratos e vídeos que foram usados no evento
de lançamento. A indicação é clara: a fotografia é fator decisivo na estratégia
das marcas em várias frentes.

Aliás, além dos smartphones, Google também atua forte no
universo dos apps. O Fotos, por exemplo, dá armazenamento de graça sem custo e
serviços de impressão (só nos EUA) com photo books e fotos avulsas. Já a Apple
renovou o conceito das lojas Apple Store pelo mundo.

Usa a fotografia para decorar ambientes e contrata
fotógrafos como consultores de vendas. Promove workshops, degustações e
passeios fotográficos. Algo inclusive que começou a ser oferecido aqui no
Brasil. As propagandas da marca quase sempre destacam a importância da câmera
para retratos ou para fazer vídeos incríveis.

A DOMINAÇÃO MOBILE

A GSMA Intelligence, entidade global que trata de telefonia
móvel no mundo, estimou que em 2017 haviam cinco bilhões de smartphones em todo
o planeta. Na prática, isso representa uma realidade muito distinta de 1980,
época em que se vendeu a mesma quantidade de câmeras vendidas atualmente. De
2010 para 2018, passamos de mais de 120 milhões de câmeras digitais vendidas no
pico para menos 30 milhões. Como tudo em negócios, trata-se de algo que oferece
oportunidades e ameaças.

A ameaça é óbvia e já ocorre. Câmeras compactas praticamente
sumiram e os modelos profissionais de entrada sentem o baque de dispositivos
mais poderosos com recursos que antes eram impensáveis em smartphones, como
modo retrato e desfoque.

Esse ano também, a Leica dispensou dezenas de engenheiros de
câmeras na Alemanha e contratou um bom número de desenvolvedores de soluções de
fotografia para dispositivos móveis. O CEO da marca disse em entrevista, no ano
passado, que a empresa sonhava em lançar um smartphone próprio. Isso não
ocorreu, mas a parceria com a Huawei levou a marca chinesa à segunda posição
mundial.

A Leica também acaba de lançar um módulo fotográfico junto
com uma fabricante de drones, a Yuneec. Ou seja, a lendária marca que virou
sinônimo de luxo, parece atenta ao novo momento do mercado conectado.

Ainda em 2018, a Zeiss lançou sua primeira câmera conectada,
que já vem com Lightroom e permite editar a foto no próprio dispositivo, sendo
possível enviar a imagem direto para as redes sociais ou por e-mail. Marcas
como Sony, Olympus e Fujifilm trabalham com modelos mais compactos e, ao mesmo
tempo, extremamente sofisticados, com foco em conectividade, controle e funções
avançadas para filmar.

Fonte: https://bit.ly/2rlAlsP

Aproveite para rever mais dicas de fotografia e notícias no blog da Escola Focus.

PIONEIRISMO E
INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que
estudaram na FOCUS!
https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#smartphones  #dicas  #novidades   #dicas  #noticias  #dicas_fotografia  #escola_focus #focus   focus_escola_de_fotografia  #focusfoto
#focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia  #escolas_de_fotografia    #aulas_fotografia  #enio_leite   #cursosdefotografia

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)