A fotografia e o tempo

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, dicas de fotografia, Notícias.

fotografias, condições climáticas, chuva, neve, neblina, céu tempestuoso, luz do sol, estado de espírito, imagens, local protegido, fundo escuro,  (11) 3107 2219, melhores escolas de fotografia,  focus,  curso de fotografia, vaga fotografo, focus foto, fotografia focus são Paulo,  fotografe melhor,  focus fotografia, ,focus escola de fotografia. cursos de fotografia sp, curso de fotografia sp, escolas de fotografia sp, cursos online de fotografia,escola focus, enio leite, cursos de fotografia online, aulas de fotografia, cursos vips de fotografia, cursos de photoshop para fotógrafos, fotografia cursos, fotografia curso, notícias sobre fotografia, focus fotografia São Paulo, melhores cursos de fotografia, curso de fotografia focus, cursos de fotografia sp, Fotografia, escolas de fotografias sp, curso de fotografias sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografias sp, melhores cursos de fotografias sp, melhor curso de fotografia SP,

Fotografando na chuva

Os fotógrafos adoram condições climáticas marcantes – chuva, neve, neblina, céu tempestuoso. Uma rua molhada pela chuva refletindo luzes de néon fica bem diferente de uma tostando sob a luz do sol, e uma casa abandonada fica mais evocativa na neblina do que um dia claro. Experimente fotografar alguma coisa perto de sua casa nas mais variadas condições de tempo e compare o estado de espírito que cada uma das imagens transmite.

Chuva

Ao fotografar na chuva, procure um local protegido. Use um guarda-chuva ou embrulhe de alguma maneira sua câmera num saco plástico transparente, deixando apenas uma abertura para a lente. Fique atento nos pingos de chuva em sua lente ou seu filtro e limpe-os constantemente.

Congelar ou riscar?

Para congelar gostas de chuva em pleno ar, use uma velocidade de 1/125 u maior. A 1/60 a chuva aparecerá como riscos, que se tornam mais compridos quanto menor a velocidade. Gotas de chuva sobressaem mais contra um fundo escuro, mas, se isso não for possível, tente incluir outro elemento que deixe claro que está chovendo – pessoas com guarda-chuva aberto ou gotas atingindo uma poça de água.

Efeitos da chuva

Veja a maneira como a chuva está afetando sua cena. As folhas reluzirão e algumas árvores tendem a se escurecer, por causa do vento e da água, tornando a foto de uma floresta impressionante. Um agricultor pode estar sorrindo sob a chuva em sua plantação, mas um homem de negócios indo para o trabalho talvez pareça mal-humorado.

Neve

A neve e o gelo, assim como as praias arenosas, são enganadores. O branco brilhante faz o fotômetro dar uma exposição insuficiente, pois – não se esqueça – faz uma leitura de 18% de cinza. A maneira mais fácil de compensar é fazer uma leitura de um cartão cinza ou algo no cenário que tenha um tom neutro. Certifique-se de que essa referência esteja lendo um fundo brilhante. Experimente várias exposições, se for uma foto importante.

Se você for fazer várias fotos de um mesmo cenário e já determinou o quanto seu fotômetro está dando de subleitura, pode acionar o dispositivo de compensação de exposição para um ajuste automático. Se sua câmera não tiver tal dispositivo, você pode mudar o índice ISO para “enganar” o fotômetro. Por exemplo, digamos que seu fotômetro esteja lendo f/16 em 1/250 para um filme de ISO 200. A partir de um cartão cinza você obtém uma leitura de f/11 em 1/250. Mude simplesmente o índice ISO para 100 para compensar a diferença do diafragma.

Se estiver ensolarado, saia de manhã cedo e no final da tarde. O sol baixo varrendo a neve mostrará mais detalhes e textura do que o sol do meio-dia. Procure evite fotografar com o sol diretamente às suas costas. A luz refletida pela neve de volta em sua lente provavelmente lhe dará uma massa branca imprecisa sem nenhum detalhe.

Se você for fotografar ação – esqui ou surfe – veja a seção sobre movimento para detalhes sobre como congelar a ação ou acompanhar seu movimento (panning).

Em condições muito frias, procure manter sua câmera razoavelmente aquecida para que as baterias funcionem com eficiência. Eu normalmente mantenho a minha dentro do casaco, tiro-a para fazer as fotos, e então a guardo de volta enquanto me dirijo para o próximo local. Lembre-se também de que a pele gruda no metal quando está extremamente frio, por isso cubra qualquer superfície que você venha a tocar com fita adesiva. (Não se esqueça do ponto onde seu nariz toca a câmera.) Cuidado com a condensação quando você se recolher em dias muito frios.

Procure por detalhes que realmente exprimam as informações do frio: um pássaro protegendo a cabeça entre suas próprias penas, crianças apenas com os olhos de fora  em seu casaco de frio de cores chamativas, o ar gelado da respiração de duas pessoas conversando, o gelo num bigode.

Neblina e névoa

Como a neve, a neblina e a névoa podem enganar seu fotômetro e seu flash. Certas neblinas são de um cinza neutro perfeito ou tão finas que não atrapalham, enquanto outras são quase brancas. Para garantir uma boa exposição, faça uma leitura do seu tema ou, se não puder se aproximar o suficiente, de um cartão cinza. Na neblina espessa, seu flash ressaltará as partículas de água e provavelmente não atingirá seu assunto.

Se a neblina estiver muito espessa, proteja sua câmera de qualquer modo com um saco plástico transparente. E tome muito cuidado com a concentração de umidade na lente.

Acima de tudo, não esmoreça quando o cenário está enevoado. Lembre-se de que a luz difusa é perfeita para certos tipos de foto melancólica.

Céus tempestuosos

Céus expressivos geram uma sensação que não se consegue em nenhuma outra situação, como os pintores clássicos já demonstram. Se você estiver fotografando feixes de luz do sol irrompendo das nuvens, tenha cuidado para não fazer a leitura a partir dos feixes, desde que você deseje que eles fiquem vivos. O mesmo se aplica à espuma branca de ondas batendo contra uma costa rochosa. Lembre-se, se o céu estiver muito escuro, o fotômetro tenderá a apontar para superexposição.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)