Advogados não confiam na justiça brasileira

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

advogados, justiça brasileira, pesquisa, índice de confiança, igualdade de tratamento, eficiência, honestidade, rapidez, custo para a solução de litígios, facilidade de acesso , perspectiva, futuro da Justiça,  escola focus, cursos vips de fotografia, enio leite, curso de photoshop  sp,  curso intensivo de fotografia sp,  curso de fotojornalismo, curso fotografia de moda, focus escola de fotografia,  cursos de cinematografia digital, cursos de fotografia focus,  melhores escolas de fotografia sp,  melhores cursos de fotografia sp, focus foto, curso de fotografia em sp , curso de fotografia digital, cursos de fotografia sp

Numa escala de 0 a 100, advogados dão nota 31,9 para o Judiciário, mostra pesquisa

A Fundação  para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração,  Contabilidade e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA) da USP,  divulgou o Índice de Confiança dos Advogados na Justiça (Icaj/Fundace). Em uma escala que vai de 0 a 100, a nota final que os próprios advogados deram para a Justiça brasileira foi 31,9. O resultado da pesquisa mostra que ainda falta confiança na Justiça por parte dos advogados. Em 2012, a nota final dada por eles foi 31,2 e em 2011 foi 32,7.

O Icaj/Fundace é composto por sete indicadores que avaliam a percepção dos advogados sobre aspectos como igualdade de tratamento, eficiência, honestidade, rapidez, custo para a solução de litígios, facilidade de acesso e perspectiva de futuro da Justiça. Nenhum dos sete indicadores atingiu nota acima de 50. O indicador que teve a pior avaliação foi o referente à rapidez na solução de litígios, que ficou com nota 12,1, seguido do indicador custo,  com nota 24,5. Já o mais bem avaliado foi o referente à perspectiva de futuro da Justiça brasileira, com nota 45,5.

Além do Icaj, os pesquisadores fizeram três questionamentos extras. No primeiro deles, “O julgamento do mensalão no STF irá melhorar a percepção da população em relação à Justiça?”, 52,3% concordam total ou parcialmente que vai melhorar e 40% discordam parcial ou totalmente. No segundo questionamento, sobre a polêmica da presença de crucifixos nos tribunais do Brasil, é perguntado se os advogados são contra ou a favor. Trinta e quatro  por  cento responderam que são contra ou a favor , 26,6% são a favor da retirada e 39,3% são indiferentes. Já o terceiro questionamento extra quis saber, diante da proibição, por parte do Detran (Departamento de Trânsito) de diversos Estados, do uso de véu por mulheres muçulmanas na hora de serem fotografadas para a carteira de habilitação, 47,3% são contrários à utilização, 22,7% a defendem e 30% são indiferentes. Os dados completos da pesquisa estão disponíveis no site www.fundace.org.br/campanha/icaj2013.pdf.

O Estudo foi coordenado pelo professor do  Departamento de Contabilidade Da Fearp Cláudio de Souza Miranda e pelo advogado e professor do Departamento de Contabilidade da Fearp Marco Aurélio Gumieri Valério.

Metodologia – Cada um dos sete indicadores do Icaj/Fundace é composto por quatro respostas possíveis, sendo duas positivas e duas negativas. O objetivo final dos sete indicadores é criar um termômetro de confiança que irá variar de uma situação de inexistência de confiança (nota 0) a confiança plena (nota 100). O nível de confiança no índice é de 95% e a margem de erro é de 3,15%.

Foram entrevistados 987 advogados de todas as regiões brasileiras e com atuação em diversas áreas do direito, como trabalhista, penal, civil, previdenciário, etc. A mostra incluiu também a forma de trabalho, se como sócio de escritórios, empregado do setor público ou privado, profissional liberal ou professor, além do tempo de registro da OAB.

A Fundace é uma instituição sem fins lucrativos, criada em 1995 pelos docentes da Fearp para facilitar o processo de integração entre Universidade e comunidade.

Fonte: Jornal da USP, edição Julho 2013 – Focus Escola de fotografiaDesde 1975  http://www.focusfoto.com.br

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)