Blog Focus

Informações, artigos, aulas, tutoriais e novidades
sobre o mundo da fotografia

INSTITUTO HERCULE FLORENCE TRANSMITE LIVE SOBRE O FESTIVAL HERCULE FLORENCE DE FOTOGRAFIA

por em .

DATA: 15 DE SETEMBRO (TERÇA), 18H  ©  Ricardo Lima/Festival Hercule Florence de Fotografia 2017   

 O Instituto Hercule Florence (IHF, www.ihf19.org.br), de São Paulo, promove a live A história e relevância do Festival Hercule Florence de Fotografia, no próximo dia 15 de setembro (terça), às 18h, para abordar a trajetória desse significativo evento para a cena da fotografia brasileira.

O Festival, que acontece desde 2007 na cidade de Campinas, interior do Estado de São Paulo, realiza esse ano a sua décima terceira edição.

A conversa contará com as participações de Antonio Florence, tetraneto de Hercule Florence e fundador do IHF; Ricardo Lima, fotógrafo e organizador do Festival Hercule Florence de Fotografia; Nelson Chinalia, fotógrafo e professor de fotografia; e Luciana Florence, pentaneta de Hercule Florence, jornalista, responsável pelo departamento de comunicação do IHF.

 O público poderá interagir enviando perguntas por escrito durante a live.

 A transmissão ao vivo acontece pelos canais de mídias sociais do IHF:

 YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCpjtUDZaEeZVw58z3cmY7Eg

Facebook: https://www.facebook.com/InstitutoHerculeFlorence

 E pelo canal do YouTube do Festival Hercule Florence de Fotografia:

https://www.youtube.com/channel/UCqbyedCaxeC0iEAdVTFX7Dw

 No Dia Mundial da Fotografia, 19 de agosto, o IHF participou da live Sentidos do Fotográfico em Hercule Florence, a convite do Festival. A gravação está disponível no canal de YouTube do IHF:

  Sobre os participantes

 Antonio Florence

Fundador do Instituto Hercule Florence, é advogado formado e pós-graduado pela USP e sócio da Florence & Advogados. Foi presidente do conselho da Associação Paulista dos Amigos da Arte (APPA); diretor vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Belgo-Luxemburguesa-Brasileira; consultor para assuntos jurídicos e econômicos da Grand-Duché de Luxembourg; membro do conselho curador da Fundação Stickel; diretor jurídico do Clube Alemão Transatlântico e conselheiro da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha.

Ricardo Lima

É jornalista formado pela PUC-Campinas e atua desde 1995 como repórter fotográfico. É o idealizador do Festival Hercule Florence de Fotografia, além de ser membro fundador da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil (RPCFB). Teve a oportunidade de realizar a cobertura fotográfica de diversos eventos de relevância regional e nacional. Atua na diretoria da Arfoc – Associação dos Repórteres Fotográficos do Estado de São Paulo

Nelson Chinalia

Fotógrafo e jornalista, é formado pela PUC-Campinas, com especialização e mestrado pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. Foi editor de Fotografia do jornal Correio Popular de Campinas; professor de Fotojornalismo e Artes Visuais na PUC-Campinas e pesquisador do GEMeF no Centro de Memória da Unicamp. Recebeu o Prêmio Vladmir Herzog de Fotojornalismo na modalidade Violência e Direitos Humanos em1995. Fotografou a Copa do Mundo de Futebol na França, em 1998, para os jornais Correio Popular e Diário do Povo de Campinas. Coordenou as oficinas, curador das exposições e editor dos livros fotográficos Comunidade em Foco, do CDI Campinas, em 2008 e 2012.

Luciana Florence 

É jornalista formada pela PUC-Campinas, especializada em Moda pela Faculdade Santa Marcelina (São Paulo). Trabalhou nas revistas Vogue, Criativa e Glamour. Atualmente divide seu tempo entre a comunicação do Instituto Hercule Florence e seu trabalho com cerâmica de autor.

Festival Hercule Florence de Fotografia

 Criado em julho de 2007, o Festival Hercule Florence de Fotografia tem como matriz a invenção isolada da fotografia no Brasil, realizada pelo artista e inventor franco-monegasco Hercule Florence na cidade de Campinas, SP, em 1833 – fato que desencadeou atitudes fotográficas ao longo dos últimos séculos.

 Com a divulgação mundial dos inventos de Florence pelo pesquisador brasileiro Boris Kossoy, em 1976, surgiram, em Campinas, fotógrafos, grupos de fotografia, pesquisas e exposições que, desde então, são parte integrante da vida cultural da cidade.

 Em 2007, foram criados dois eventos simultâneos sobre fotografia, determinantes na formação do Festival Hercule Florence: a Semana Hercule Florence e o Seminário Imagem e Atualidade, da PUC-Campinas.

 Desde sua criação, o Festival acontece durante o transcurso do Dia Mundial da Fotografia, comemorado no dia 19 de agosto. Ao longo de seus 12 anos, o evento recebeu dezenas de renomados fotógrafos e pesquisadores, além de ter realizado mais de 20 exposições.

 HERCULE FLORENCE

 Nascido em Nice, França, em 1804, e cidadão de Mônaco, Hercule Florence foi desenhista e pintor de formação autodidata. Jovem inquieto e curioso, leitor de Robinson Crusoé e apaixonado por viagens, em 1824 desembarcou no Rio de Janeiro, sendo contratado, com apenas vinte anos de idade, como segundo desenhista da Expedição Langsdorff (1825-1829), missão científica que percorreu o interior do Brasil, de São Paulo até o Amazonas, realizando monumental levantamento de dados geográficos e etnográficos do país. Ao final da expedição, radicou-se na vila de São Carlos, atual Campinas, SP, onde viveu até o seu falecimento, em 1879.

Em 1830, Florence inventa a polygraphie [poligrafia], método de impressão em cores, semelhante ao atual mimeógrafo. A partir de 1832, começa a investigar as possibilidades de fixação da imagem utilizando a câmera escura. Com a ajuda do boticário Joaquim Correa de Mello, realiza experiências fotoquímicas que dão origem às imagens batizadas de photographie [fotografia], em 1833. As experiências de Florence ocorrem no mesmo período em que Joseph Nicéphore Niépce (1765-1833) e Louis Jacques Mandé Daguerre (1781-1851), na França, e William Henry Fox Talbot (1800-1877), na Inglaterra, descobrem os processos fotográficos.

No Brasil, a referência fundamental para o estudo da trajetória e do legado de Florence é o livro do historiador Boris Kossoy, Hercule Florence: A Descoberta Isolada da Fotografia no Brasil (Edusp/2006). Florence tem sido também cada vez mais reconhecido internacionalmente como um dos pioneiros do processo fotográfico, com citações em importantes publicações internacionais sobre história da fotografia, como A World History of Photography, de Naomi Rosenblum (Abeville, Nova York, 1984); Les Multiples Inventions de la Photographie, org. Jean-Pierre Bady, com artigo de Boris Kossoy (Association Française pour la Diffusion du Patrimoine Photographique, Paris, 1989); Seizing the light: A History of Photography, de Robert Hirsch (McGraw-Hill, Nova York, 2000); e The Thames & Hudson Dictionary of Photography, editado por Nathalie Herschdorfer (2015). Sua obra foi tema, ainda, de uma mostra no Nouveau Musée National de Monaco, entre março e setembro de 2017: http://www.nmnm.mc/index.php?option=com_k2&view=item&id=347:hercule-florence-le-nouveau-robinson-villa-paloma&lang=en.

  O INSTITUTO HERCULE FLORENCE

 O Instituto Hercule Florence (IHF) foi fundado em São Paulo em 2007 e certificado como Organização Social de Interesse Público (OSCIP) em 2009. Seus objetivos são a coleta, organização, conservação e divulgação da bibliografia e de documentos sobre o século XIX brasileiro, reunindo um acervo próprio composto por biblioteca e arquivos especializados. O centro de seus interesses consiste no estudo dos diversos viajantes do século XIX e suas narrativas, bem como na produção científica e cultural da Expedição Langsdorff (1825-1828), e na vida e obra do artista e inventor franco-monegasco Hercule Florence (1804-1879), dispondo de uma bibliografia atualizada sobre o autor: bit.ly/HF-Bibliografia. Entre suas realizações estão o lançamento do fac-símile do livro L’Ami des Arts livré à lui-même(http://www.ihf19.org.br/pt-br/hf-lami-des-arts.asp), de Hercule Florence, e a exposição O olhar de Hercule Florence sobre os índios brasileiros(http://www.ihf19.org.br/expo/).

Site: www.ihf19.org.br.

 Veja mais dicas sobre mostras, festivais e exposições nesse blog

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus

CLAUDO SPINOLA

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#noticias #dicas_fotografia  #escola_focus #focus   focus_escola_de_fotografia  #focusfoto  #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia  #escolas_de_fotografia    #aulas_fotografia  #enio_leite #cursosdefotografia

FOTOGRAFIA E FIDELIDADE DAS CORES

por em .

Nome: Emanuela da Natividade Silva Turma:  Módulo 2 – Focus Escola de fotografia

A fidelidade das cores não vem apenas na câmera, mas também na tela que se vê. Sempre ouve-se sRGB e Adobe RGB por aí, mas muitas vezes, ninguém sabe ao certo o motivo desses nomes.

Pequenos quadrados em cores ou preto e branco formam uma imagem, os mesmos só são possíveis ver com muito zoom na imagem.

Que foram o Megapixel, fazendo a multiplicação de horizontais e verticais.

Enquanto uma câmera analógica já temos a quantidade e resolução predefinida. Na câmera digital podemos escolher pois depende do que precisamos e do tamanho disponível do cartão de memória.

E lembrando também que uma foto P&B ocupa menos espaço do que uma foto colorida.

Atualmente com tamanhos bem maiores de cartões, consequentemente uma resolução maior das câmeras também, ainda assim fica muito mais fácil de se trabalhar, fora a questão de compressão de fotos na própria câmera.

No caso de câmeras analógicas existem meios de chegar a uma cor mais real da cena, mas esse meio normalmente só chega a profissionais por conta do valor de investimento para tal.

Já na câmera digital é possível usar programas em computador, ou até mesmo no celular para chegar ao tom esperado.

A profundidade de cor mais usada é a de 8 bits por pixel, mais usada e mais conhecida também, é a que está nitidamente na maioria dos softwares.

Quanto menor os bits, menor também a intensidade das cores e maior o ruído na imagem.

No highcolor temos, por exemplo, 15 bits e 16 bits, e a diferença é que no 16 bits é divida por cores sendo 5 bits para a cor azul e a vermelho e 6 bits para a cor verde, que é por conta da maior sensibilidade ao olho humano.

No truecolor a ideia é chegar próxima da cor na realidade, trabalha com 8 bits para representar cada uma das cores RGB, para gerar assim as milhões de cores.

A coloração de 32 bits nada mais é a truecolor de 24 bits com um adicional de 8 bits para o canal alfa, ou seja, um espaço vazio.

Há um meio padrão usado, meio apenas, pois nem em todos os lugares aceitam dessa forma, e acabam exigindo de outra. Que no caso é sRGB – 72dpi – 8 bits para mídias eletrônicas e Adobe RGB – 300dpi – 16 bits, para impressão em laboratório digital ou gráfica.

JPG (JPEG) – menor tempo de processamento

                          Maior compressão do arquivo

                          Menor qualidade

TIFF –               maior tempo de processamento

                          Menor compressão do arquivo

                          Maior qualidade

RAW –              arquivo de origem de câmera, abre em programas específicos

                          Menor compressão do arquivo

                          Melhor qualidade de todas

RAW – Dentro do arquivo existe um JPEG para que possamos visualizá-lo, mas mesmo assim não é possível vera a total área de exposição. Para aproveitar o arquivo RAW é necessário conhecer bem a nossa câmera, pois cada câmera trabalha de uma forma diferente.

Inclusive para se trabalhar com o RAW é necessário pensar um pouco na fotografia, uma foto que não mostre muitos detalhes é difícil ou impossível fazê-los aparecer, mas quando se é deixado uma pequena sombra daquele objeto ou paisagem é possível essa recuperação, ou seja, você pode fotografar também em exposições diferentes, para um melhor resultado final.

Ao fazer uma recuperação é preciso tomar cuidado, por conta da mudança de cores. Algumas podendo ser corrigidas colocando o WB em AUTO, mas outras sendo totalmente irrecuperável.

Para fotometrar usando a câmera é necessário apontar o centro da lente no ponto mais iluminado do local (exceto sol e lâmpadas).

Saber os limites EV da câmera é necessário, em casos de fotos super expostas, para que seja possível saber recupera-la ou não.

Nas câmeras normais normalmente é usado o consumo de 8 bits ADCs e permitindo até 256 valores distintos para o brilho de um único pixel.

Já em câmeras SLR é de 10 ou 12 bits ADCS, oferecendo assim a opção de salvar em 10 ou 12 bits de dados por pixel em JPEG RAW.

As baterias antigamente utilizadas era a pilha AA, que usava e jogava fora, conforme o tempo foi passando chegou a pilha AA recarregável, e a cada dia mais vem evoluindo, e o mesmo acontece com as baterias, desde as descartáveis até as recarregáveis. Em ambos os casos de recarregáveis existem os cuidados para que a bateria não fique viciada, e perca sua validade.

A conectividade das câmeras antigamente contavam apenas com o USB 1.1 ou 2.0 e FireWare. Com a evolução, nos dias de hoje é possível fazer além da USB 3.0, via bluetooth ou via WI-FI, e isso facilitou muito a vida dos fotógrafos quando querem ver mais que o resultado do LCD da câmera. Fora isso temos a visualização de vídeo em alguma TV ou monitor também. Impressões direto da câmera para impressora via USB.

O fotodiodo sensível a luz é usado para converter o pixel com uma carga elétrica, o mesmo mede o brilho da luz mas são incapazes de dizer a diferença entre diferentes comprimentos de onda da luz. Cada pixel corresponde a um fotodiodo.

O EXIF nada mais é do que informações básicas da foto tirada, desde a data em que foi tirada até a distância focal da lente. Assim poderá sem muito sacrifício saber as configurações que utilizou em tais fotos.

Lang time é o tempo entre o clique e a foto tirada, o que ultimamente tem sido cada vez mais rápida.

LCD, podendo ser encontrado em tamanhos e formas diferentes de utilização, exemplo: deslocamento do LCD para a lateral, para cima ou para baixo. Mas ele foi o que trouxe a vantagem de só ter uma câmera digital, que é a possibilidade de visualizar a foto logo após ser tirada. E nas câmeras também podemos usar como menu para facilitar a visualização ou a troca de alguma configuração. E também a visualização de vídeos.

A quantidade de pixels de uma imagem depende exclusivamente do tamanho da imagem, quanto maior a imagem, maior a quantidade de pixels.

Mais megapixels não quer dizer necessariamente maior qualidade, existem milhares de fatores envolvidos. Um deles é o ruído, a quantidade de ruído determina a qualidade de pixels.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e configuração de cores e tipos de iluminação nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS

https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

MOLDURAS AJUDAM A DESTACAR O ASSUNTO PRINCIPAL

por em .

A geometria de uma foto, ou seja, a disposição relativa de seus elementos visuais é o que rege o balanceamento da composição

Se você se der ao trabalho de compor a geometria de boas e más fotografias, determinados padrões de composição ficarão bastante evidentes.

Conhecendo algumas técnicas, você será capaz de planejar a “arquitetura” de suas fotos de um jeito tal que os olhos do espectador serão aliciados pelo cenário reproduzido os convidados a se demorar ali por algum tempo.

Antes de entrarmos em técnicas de composição mais sofisticadas, como a utilização da simetria e das diagonais vamos começar pelas molduras. Não se trata, é claro, da moldura física, de madeira alumínio ou qualquer outro material que circunda o papel fotográfico.

Falamos da moldura natural, que faz corpo com a imagem fotografada.

Digamos que o assunto que lhe interessa fotografar muito distante e você não dispõe da teleobjetiva adequada. É bem possível, nesse caso, que os elementos situados em torno do assunto “poluam” a imagem final.

A menos que você faça sua própria ampliação, e corte os elementos indesejados, uma boa solução, em termos de composição, é descobrir um ângulo de tomada para a câmera que emoldure naturalmente o assunto. A moldura, nesse caso, além de eliminar elementos desinteressantes da cena, chama mais a atenção para o centro de interesse da imagem.

Esse é o caso das fotos de edifícios. Não raro, a necessidade de se distanciar do prédio, para incluir, por exemplo, uma torre que sobressai do conjunto, força a inclusão de novos dados visuais indesejados, ou então zonas vazias que não contribuem em nada para a composição do conjunto.

Muitas vezes utilizam-se pedaços de um edifício para emoldurar um segundo onde se concentra o interesse. Arcos, portões, janelas, são ideais nesse sentido, fornecendo, além da moldura, um contraponto geométrico com as formas do objeto central fotografado.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e composição nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

COMPREENDENDO A LUZ DIFUSA OU SUAVE

por em .

Ao pensar em luz difusa, reflita sobre o contraste entre os escuros e os claros em uma face

A luz difusa envolve uma pessoa ou um rosto, enquanto que a luz dura é brilhante em um lado do modelo, e escura no outro.

A maioria das imagens de pessoas atinge uma melhor qualidade com um suave contraste de um lado ao outro da face, embora o preto e branco possa oferecer a você imagens muito dramáticas, com uma luz dura e de elevado contraste, algo que as imagens em cores são incapazes de fazer.

Pode haver níveis diferentes de difusão. Por exemplo, quando a luz do sol se difunde nas proximidades do horizonte, ela ainda se mostra muito direcionada, embora quase não possua a borda ou o contraste observado quando está mais elevada.

Assim, a luz pode realmente ser redirecionada, conferindo a aparência de difusão, mas mantendo o contraste e o impacto na imagem.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e tipos de iluminação nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

FOTOGRAFIA NA MARATONA – TCC

por em .

Trabalho de Conclusão de CursoAluna: ELAINE ZAMPIERI PETRUCCI

CURSOS DE FOTOGRAFIA PROFISSIONALIZANTE – TRABALHOS DE ALUNOS – FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA – TCC

TEMA: FOTOGRAFIA NA MARATONA
ALUNA:  ELAINE ZAMPIERI PETRUCCI

FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA
São Paulo – SP
2020

RESUMO:

Este Trabalho de Conclusão de Curso teve como objetivo principal apresentar um breve relato da História da Maratona e da Fotografia, tanto no cenário mundial como no Brasil.

Mostrando como ocorreu a evolução da fotografia e como ela se tornou importante para os esportes e em especifico para a Maratona. Como complemento para o trabalho, realizaram-se duas entrevistas, a primeira com o maratonista Emerson Bisan e a segunda com o fotógrafo de esportes, Heitor Pergher.

Este trabalho foi realizado com bases de pesquisa qualitativa e descritiva; no qual se realizaram consultas a livros de autores da área esportiva como Galloway, Lancellotti entre outros, foram utilizados também sites de agências e sites da área de fotografia.

Palavras Chave: Maratona; Fotografia esportiva; Fotógrafos; Corrida de rua.

Aproveite para rever mais dicas sobre TCC nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#moda #retrato   #TCC  #fotógrafos  #fotografiaTCC  #escola_focus  #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia  #alunos_fotografia  #TCC #cursos_fotografia  #escolas_de_fotografia  #aulas_fotografia  # enio_leite    #cursosdefotografia    #documentario

BAIXE AQUI ARQUIVO PDF:
https://focusfoto.com.br/wp-content/uploads/2020/08/A-FOTOGRAFIA-NA-MARATONA.pdf

RETRATOS DE ENCANTO!

por em .

Na outra extremidade da escala dos retratos encontram-se os retratos exóticos e de moda, onde o objetivo é criar um aspecto ou qualidade particulares, muito diferentes das características da pessoa fotografada

A maquilagem, roupas e acessórios ocasionais são muito importantes: as fotografias futuristas, românticas ou exóticas requerem abordagens inteiramente diferentes. A luz também terá de ser escolhida de acordo com o ambiente desejado.

É útil ter uma boa relação com a modelo. Os modelos amadores femininos podem sentir-se inibidos, pelo que talvez seja boa ideia servir-se de uma profissional.

Por outro lado, talvez algumas amigas se queiram aventurar, para se pode ver a si mesmas sob outro aspecto, pelo que a possibilidade não é para desprezar.

Os Nus

A maioria das pessoas pensa que os nus são os temas mais difíceis de fotografar.

É possível uma vasta gama de abordagens interpretativas às abstratas, das inocentes às eróticas, das românticas as frias. O tema pode ser distorcido para ganhar novas formas ou transformado numa fantasia visual. Tente isolar pequenas áreas do corpo e trata-las como paisagens ou abstrações. As costas, os ombros, as mãos e os flancos funcionam bem desse modo.

O fotógrafo sério se dar-se a grande trabalho para pôr o modelo à vontade e criar uma boa relação de trabalho.

Todos os modelos se sentem vulneráveis, até para simples estudos faciais. Um modelo nu é particularmente vulnerável e precisa ter confiança na capacidade de o fotógrafo conseguir resultados que valham a pena. Uma luz do dia, suave e direcional, é frequentemente a mais apropriada para as formas arredondadas do corpo, a não ser que seja importante dar ênfase à silhueta ou à textura da pele.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia de moda e retratos nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

UTILIZANDO VENTILADOR PARA EFEITOS ESVOAÇANTES

por em .

Fotografando retratos de mulheres? Compre um ventilador.

Não apenas um ventilador, mas um super ventilador com força de um furacão que colocaria a maioria dos seus equipamentos de iluminação em risco se alguma vez você ligasse na potência máxima.

 De qualquer maneira, um ventilador com uma boa potência (como a Air King 3520 20 Cyclone Pivoting Floor fran, cria um efeito de cabelos esvoaçantes que pode adicionar energia e emoção a seus retratos além de fazer o cabelo de o personagem parecer cheio e fascinante).

O ventilador deve estar posicionado no chão, virado para cima em relação à cena e após o ventilador ser posicionado e ligado, não há muito mais a fazer, exceto fotografar. Se você for contratado para fotografar a capa de uma grande revista de moda se quiser impressionar seus novos clientes, compre um único ventilador que encontrei feito para fotografia de moda – Bowens Jet Stream 350 Wind Machine.

 Com sua potência de 2500rpm e um controle remoto sem fio, ele deixará seus clientes impressionados com certeza.

DICA: Reduzindo o brilho nos óculos

Se a pessoa fotografada estiver usando óculos, é comum ver um reflexo dos softboxes neles, mas um reflexo muito forte, que interfere ou cobre os olhos, não é recomendável. Se esse for o caso, mova a luz principal para o lado até que o reflexo desapareça (é mais fácil do que você pensa, porque você verá a luz modeladora refletir nos óculos).

Mas, o que é importante é que o brilho desapareceu do ângulo em que a câmera está configurada, não é da onde você está movendo a luz. Assim isso será mais rápido se pedir que um amigo ou assistente mova a luz enquanto você permanece na câmera e diz: Continue movendo… continue movendo… até o reflexo desaparecer.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia de retratos nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

ventilador, efeitos esvoaçantes, retratos, mulheres, ventilador, emoção, fotografar, cursos de fotografia, escolas de fotografia, aulas de fotografia, escola focus,

direito autoral licença de uso, estagiário de fotografia, fotografia profissional, Focus escola de fotografia, aula de fotografia,  escolas de fotografia EAD, escola focus, cursos de fotografia presencial SP, curso de fotografia online, enio leite, aula de fotografia,

DIVERSÃO COM SOFTBOX

por em .

QUEBRANDO AS REGRAS PARA LUCRAR E SE DIVERTIR!

Uma mente aberta de sua parte pode ser igual a um cartão de crédito ou débito aberto, da parte do seu cliente.

Sabemos que a tolerância de exposição da fotografia digital, quando fotografada em JPEG, é aproximadamente de um filme profissional de slide colorido. A questão apresentada é se podemos ou não usar essa pequena latitude para produzir superexposição em alguns tons e ainda assim obter imagens evocativas.

A exposição perfeita é uma regra somente se você quiser que o seja. Na verdade, o uso de superexposição é uma ferramenta subestimada. Dado a relativa facilidade com que laboratórios podiam produzir uma bela impressão de um negativo superexposto, muitos fotógrafos penavam em filme superexposto como mero incômodo. Hoje com a pequena margem de erro de 1/3 de ponto do JPEG e a impossibilidade de se conseguir impressões perfeitas com superexposições maiores do que esse valor, a questão de como usar essa ferramenta pede para ser investigada.

Estava fazendo o book de uma modelo quando pensei que seria interessante explorar a tendência da luz de expandir para todas as direções assim sai de sua fonte e ver o que seria necessário, em termos de superexposição, para fazer com que a luz envolvesse a modelo. Para isso, coloquei um softbox grande aproximadamente 30 cm atrás da modelo.

Não havia rebatedores ou cantoneiras nesse set para rebater a luz de volta para ela. Eu esperava algum flare na lente (na verdade, estava contando com isso), mas minimizei o potencial do efeito assegurado que a lente e o filtro UV estivessem limpos e sem manchas. Apontei o flash meter para o fundo, posicionando a partir do ombro dela, ajustando a potência do flash até conseguir um perfeito f/13. Escolhi uma potência alta assim porque sabia da possibilidade de silhuetas dominarem a sequência e queria um diferencial de fotos com grande abertura, superexpostas.

Estava empolgado com o que estava vendo, usando o LCD da câmera como um guia (é só para isso que ele serve). Com o aumento de exposição, a luz, como esperado, envolveu a modelo. A cada mudança de exposição, o contraste de cor diminuía enquanto que atmosfera suave da luz aumentava.

O primeiro conjunto, fotografado com um incremento crescente de 1/3 de ponto (e sem a intervenção de Photoshop).

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia de estúdio nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

SEU TRABALHO!

por em .

Entender e usar de verdade a luz de forma criativa para quebrar as regras e se dividir

UMA LUZ, MUITOS EXPERIMENTOS

Nesta missão, sua tarefa é usar uma luz para cada foto, e experimentar bastante. Isso significa que você deve usar luzes incomuns e usá-las de maneira incomum.

Pense de maneira não convencional e tente reinventar a luz de um jeito que ninguém nunca sonharia qualquer coisa que produza luz deve ser considerada uma fonte de luz fotográfica: lanternas, laser pointers, abajures, projetores de slide, velas tubos fluorescentes, bastões brilhantes, qualquer coisa mesmo.

Essas fontes podem ser refletidas em espelhos ou pratos de alumínio; podem ser direcionadas através de vidro estilhaçado ou lençóis de cama; podem se movidos durante a exposição.

Ficar realmente bom em iluminação (ou fotografia) é uma mistura de permitir a si mesmo experimentar bastante e depois levar aquilo que foi aprendido de volta há um hábito de trabalho disciplinado e controlável. É um processo infinito que pode ocupar toda a sua vida e mantê-lo comprometido eternamente.

Nenhuma fotografia deste portfólio foi alterada digitalmente; todos os efeitos foram alcançados puramente por meio do uso da luz.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e iluminação nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

COMPOSIÇÃO E CONTEXTO

por em .

Fotografia tem tudo a ver com as escolhas: para o que olhar, quando apertar o botão, onde ficar, e no final das contas, quem fotografar

As decisões influenciam umas às outras e também você, pois a derradeira decisão que você toma tem a ver com quem quer ser como quer que seu trabalho seja visto.

A obra que você cria é um reflexo direto daquilo que você é.

Nós somos soldados por nossas experiências; as pessoas e coisas que fotografamos nos causam mudanças fundamentais – e essa é a parte emocionante.

O quadro é um conceito básico em todas as artes, mas é um dos principais na fotografia.

COMPOSIÇÃO E ENQUADRAMENTO

A maioria das artes, pintura e desenho em particular, usa o quadro como área de encenação; elementos gráficos (linha forma, cor) são trazidos ao palco pelo artista. Pinturas são criadas “de dentro de fora” no quadro. A escala do quadro é determinada pelo artista antes de o trabalhador ser criado, antecipando os elementos que nele estarão contidos.

Na teoria da fotografia, a área que o campo de visão da câmera enxerga é às vezes, chamado de “quadro limite”, a fim de diferenciá-lo do quadro como objetivo. A fotografia usa o quadro-limite como uma ferramenta de edição.

O fotógrafo usa a câmera para selecionar e editar elementos de uma cena maior, ou com “laço” (tenho minha autoria) para cercar elementos discrepantes, criando evidências ou conexões que não ficam aparentes sem as escolhas do fotógrafo. Logicamente, os fotógrafos também podem decidir por levar objetos para o quadro, mas isso ainda está de acordo com o conceito de seleção edição.

A escala das fotos está rapidamente se tornando uma “escala virtual”, pois a mesma fotografia pode ser vista em muitas variantes diferentes – impressões de exposição, apresentação em tela para web, impressões de portfólio e por aí vai.

Na verdade, uma boa aposta dizer que, provavelmente, nenhuma das fotografias deste livro foi criada por ser visualizada nos tamanhos que foram aqui reproduzidos. Às vezes, a escala parece irrelevante na fotografia, até que você vê uma épica impressão de Andreas Gursky ou Richard Misrach em um a galeria.

A arte em geral, e a fotografia em particular, usa uma variedade de dispositivos de composição par criar interesse visual dentro do quadro. É bom estar ciente desses dispositivos, mas devemos sempre lembrar que, embora boas fotografias sejam geralmente bem compostas, isso é mais ou menos como dizer que um bom texto.

Apenas a boa composição não pode melhorar uma foto banal ou sem sentido. Por outro lado, algumas das mais fortes imagens na história da mídia não seguem nenhuma das regras clássicas de composição. A composição é simplesmente uma ferramenta a nosso dispor, não uma realização.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD