Blog Focus

Informações, artigos, aulas, tutoriais e novidades
sobre o mundo da fotografia

AJUSTE DO FLASH À LUZ AMBIENTE

por em .

O flash integrado à câmera atinge seu potencial quando utilizado como apoio à luz ambiente, em vez de ser ele mesmo a fonte principal de luz.

Isso já foi parcialmente
abordado em nossas aulas, quando discutimos a redução do alcance dinâmico de
determinadas cenas de alto-contraste de forma que a luz se ajustasse ao sensor
.

Os assuntos iluminados por
contraluz, por exemplo, podem ter as intensas sombras projetadas em direção à
câmera iluminadas, para que se atinja uma luz bem equilibrada. Isso, é chamado
de flash de preenchimento, pois você “preenche” as sombras ao introduzir outra
fonte de luz à cena.

Nessas condições, você precisará
ajustar o flash no modo Manual ou Flash Forçado (Forced Flash), já que os modos
automáticos vão detectar um excesso de luz e dispensar o uso do flash. Um toque
leve costuma ser o suficiente o intuito é ajustar cuidadosamente o flash à
condições de luz existente sem torna-las intensas demais. Uma proporção
adequada de flash para a luz do dia, por exemplo, é por volta de 1:3 ou 1:4.

Luz rebatida     

Em espaços de iluminação reduzida,
o flash é uma forma prática de elevar a luz ambiente. Por sua natureza, os
ambientes internos dispõem de várias superfícies refletivas com as quais se
pode trabalhar.

Ao direcionar se flash para cima,
em direção ao teto, ou para o lado, em direção a uma parede próxima, você pode
utilizar essas superfícies para rebatê-lo em direção ao assunto. O resultado é
muito mais cativante do que a luz frontal normal, em razão do ângulo e do fato
de que a luz é difundida, suavizando ao longo do caminho. A luz então precisava
viajar uma distância maior antes de chegar ao assunto, sobretudo em ambientes
amplos.

Portanto, é preferível utilizar
flashes profissionais de alta potência, normalmente com o máximo da capacidade.
Outra questão é que ângulo da luz pode vir a projetar sombras sobre o assunto,
e você não pode preenchê-las com o flash, uma vez que ele já está sendo
utilizado para produzir a luz rebatida. Uma solução prática é um cartão
rebatedor – uma superfície refletiva que não precisa ser maior do que uma carta
de baralho. Ele é instalado por trás da cabeça do flash, refletindo um pouco da
luz para frente, enquanto a maior parte da potência é direcionada para a luz
rebatida.

Sincronização da segunda cortina  

Como vimos na página 92, por apresentar dois estágios, o obturador de cortina afeta a função do flash quando combinado a velocidades de obturação altas. Também há opções para velocidades menores: você pode “sincronizar” o flash com a primeira ou a segunda cortina, de modo que ele dispare no início ou no fim da exposição.

A sincronização com a primeira cortina (dianteira) é adequada para assuntos estáticos; se houver qualquer movimento, um assunto nítido capturado no início da exposição será obscurecido pelo borrão de movimento que se sobrepõe à captura inicial. A solução é sincronizar o flash com a segunda cortina (traseira) – o final da exposição. Isso é o ideal com assuntos em movimento, já que o flash vai iluminar um instante nítido que se sobrepõe a qualquer borrão. Os borrões de movimento resultantes são expressivos e eficazes.

A sincronização da segunda
cortina não resume à comunicação do movimento; também é um método bom para
incluir planos de fundo distantes em uma cena escura, na qual o assunto principal
esteja próximo da câmera. Capturar o clima do lugar costuma ser essencial, além
de evitar os fundos escuros e isolados tão comuns em fotos com flash fraco. É
necessário um pouco de prática para aperfeiçoar essa técnica, mas os resultados
geralmente são deslumbrantes.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia com flash nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

EXPERIÊNCIAS MAIS COMPARTILHADAS

por em .

Curador do Diário Contemporâneo fala sobre a 11ª edição

Entrevista comedida para Debb Cabral

Três prêmios de residência artística e uma mostra coletiva com a curadoria convidada de Rosely Nakagawa.

É assim que o Prêmio Diário Contemporâneo de
Fotografia inicia a convocatória para a sua 11ª edição. Depois de completada
uma década de atuação, o projeto decidiu propor experiências do pensar e do
fazer artístico mais compartilhadas. As inscrições estão na reta final e seguem
abertas só até o dia 29 de março, realizadas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br.

O tema deste ano vem buscar a provocação para o
artista na literatura. “Vastas emoções e pensamentos imperfeitos” é uma
referência direta ao título do romance de Rubem Fonseca.

Um livro que, nas palavras de Mariano Klautau
Filho, curador do projeto, “fala essencialmente das fronteiras da ficção, em
que a narrativa é constantemente atravessada pela presença do cinema na vida
mental do protagonista e, portanto, tornando-se uma ferramenta de deslocamento
poético para a vida real”.

Literatura e cinema atravessam a fotografia e a
levam para as possibilidades do contemporâneo em uma fluidez de linguagens e
significações.

Confira a entrevista com o curador:

P: O livro de Rubem Fonseca é mencionado
por muitos leitores como uma história frenética. Como você vê isso relacionado
com a contemporaneidade, a arte e a comunicação imediatista dos dias atuais?

R: O livro e, especialmente o seu título, é
uma provocação ao artista. Não é preciso ler o romance ou investigar
profundamente seus significados. Se o artista puder fazer isso, ótimo. Se não,
ele poderá ficar com o efeito imaginativo e plástico que o título pode evocar,
pois ele é bastante intenso.

O romance tem uma narrativa de certa forma
veloz, mas não é isso que importa muito e sim, o fato de que o protagonista é
um cineasta que está o tempo todo vivendo imaginativamente no limite entre
imagem e texto, roteiro cinematográfico e realidade, ou seja, alguém imerso na
experiência da ficção. 

P: O que seriam estas vastas emoções?

R: Prefiro que o artista reflita sobre e
faça do seu trabalho uma experiência emocional intensa. Não sei o que significa
exatamente “Vastas Emoções” mas a expressão me sugere intensidade,
paixão ou até uma certa grandeza do sentimento humano.

Cada artista pode interpretar do seu jeito,
assim como a ideia de um pensamento imperfeito é muito sedutora no sentido de
que faz parte da humanidade pensar, refletir, errar, acertar, pensar, debater,
refletir infinitamente como um exercício contínuo. 

P: O protagonista sonha sem imagens. Hoje
o nosso mundo é extremamente visual. Seria essa uma forma de neutralizar o que
está ao redor e se concentrar nas imagens que estão dentro de nós apenas
esperando para se materializar?

R: Essa é uma boa ideia. Pensar um mundo sem
imagens, mas como pensá-lo sendo um artista visual? Por outro lado, o
personagem imagina muitas coisas e foge de uma série de eventos em que a
realidade se mistura com suas imaginações. Enfim, a provocação é bem aberta, é
uma experiência com o caráter visual da palavra e das expressões.

P: Ano passado, o projeto completou uma
década de atuação. Foram realizadas diversas experiências e formatos ao longo
destes 10 anos. O que traz, então, este novo ciclo?

R: Traz basicamente uma curadoria convidada (Rosely Nakagawa) que irá assumir a construção e a narrativa da grande mostra. Traz também os prêmios dedicados exclusivamente às residências artísticas porque queremos centrar o foco na formação do artista sem precisar exigir dele um resultado, mas propor um processo.

E mais: uma comissão científica para pensar de
modo organizado o conceito da programação de palestras, oficinas e encontros
com pesquisadores, levantando alguns temas da arte em diálogo com outros
campos.

P: O projeto está propondo experiências
mais compartilhadas. Fale um pouco sobre as residências neste sentido.
 

R: Como falei anteriormente, é o sentido
processual e de formação que nos interessa quando propomos as residências.

A conversa que os artistas residentes terão com
o público ou todo o tipo de trabalho em processo que poderá ser gerado nos
coloca em contato com a arte como pesquisa e conhecimento. É isso que queremos
estimular no artista, que pense em seu processo, que pense sobre o que quer
dizer no seu trabalho, que não só limite sua participação à exibição de
trabalhos.

SERVIÇO:  O 11º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia inscreve só até o dia 29 de março. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310, 98367-2468 e [email protected]. Edital e inscrições no site:  www.diariocontemporaneo.com.br.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará com apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus, SECULT e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática e patrocínio da Alubar.

Aproveite para conferir mais notíciass no blog da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que
estudaram na FOCUS!
https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#PrêmioDeFotografia  #noticias #dicas_fotografia  #escola_focus #focus   focus_escola_de_fotografia  #focusfoto  #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia  #escolas_de_fotografia    #aulas_fotografia  #enio_leite   #cursosdefotografia

COMO FUNCIONA O ARQUIVO DE IMAGEM RAW

por em .

Os modelos de câmeras digitais que atualmente existem no mercado, que fazem imagens com resolução acima de 20 megapixels e principalmente são usadas por profissionais, permitem que as imagens sejam gravadas no formato RAW

Este
formato permite que as suas imagens sejam gravadas no sensor digital CCD ou
CMOS, em sua forma crua (uma vez que a palavra RAW significa cru) sem qualquer
forma de interpolação, compressão ou processamento de arquivo.

O formato
RAW é gravado em seu estado natural, em outras palavras significa que os sinais
luminosos são convertidos em códigos binários e não sofrem processamento algum
pelo sistema operacional da câmera, que também é popularmente conhecido como
firmware e este sistema muda conforme cada fabricante de câmeras.

Recomenda-se
que as fotografias digitais sejam descarregadas em seu computador e abertas em
software editor de arquivo RAW, como o Lightroom ou até mesmo o Adobe Camera
RAW, desta forma é possível manter a estabilidade dos arquivos no formato RAW.

Normalmente
as câmeras digitais, sejam as DSLR ou as Mirrorless, possibilitam a gravação de
imagens nos dois formatos: RAW e JPEG, e permitem a captura nos dois formatos
de arquivo ou somente em um dos formatos, conforme a escolha do usuário.

O formato de
arquivo que é mais conhecido na atualidade e que também abre em qualquer
dispositivo é o JPEG, o formato JPEG é diferente do TIFF e do Bitmap, pois
utiliza uma compressão de dados com uma certa perda de resolução, ou seja, o
formato JPEG reduz o tamanho da imagem removendo alguns pontos da imagem bruta
ou inicial sem compressão.

Aproveite para rever mais dicas sobre arquivos RAW nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#ArquivosRAW  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

Arquivo de imagem, arquivo RAW, câmeras digitais, resolução,
profissionais, formato RAW, estado natural, aulas de fotografia, cursos de
fotografia, escolas de fotografia,

amazon, TCC, Focus escola de fotografia, aula de
fotografia, cursos de fotografia sp, escolas de fotografia EAD, escola focus,
cursos de fotografia presencial SP, curso de fotografia online, cursos vips
fotografia, aula de fotografia,
focus

CONFIGURANDO O 600EX/600EX-RT Como Mestre

por em .

Para utilizar o 600EX/600EX-RT como flash mestre, siga estes passos:

1 – Ligue o Speedlite e Selecione o Modo E-TTL. Deslize o interruptor OFF/LOCK/ON para a posição On. Utilize o botão de modo para alterar entre os modos selecionar a opção E-TTL.

2 – Selecione o Modo de Transmissão Wireless Via Rádio ou Óptico. Pressione o botão Linked Shooting para selecionar Radio Transmission Wireless Shooting alterna entre os modos mestre/escravo com transmissão óptica (600EX) e via rádio (600EX/600EX-RT) no LCD da câmera. Pressioná-lo uma vez seleciona o modo Radio Transmission Wireless Shooting e define o Speedlite como mestre. Pressionar o botão Wireless três vezes seleciona o modo Optical Transmisson Wireless Shooting e define o Speedlite como mestre.

NOTA:

Quando seu Speedlite está
configurado na função wireless mestre/escravo, o flash memoriza sua posição na
sequência de opções. Se fizer seleção e netão não fizer mais nada, depois de 10
segundos as configurações são atualizadas.

3 – Configure o Zoom. Pressione o botão de Função 1 (Zm/C.Fn) uma vez. Por padrão, o 600EX/600EX-RT já está na tela menu 1. O valor do zoom está selecionado. Caso o Speedlite esteja conectado à sapata da câmera, é possível reiniciar a função de zoom automático utilizando o seletor Select.

Caso o flash esteja sendo utilizado fora da câmera, dependendo do efeito que você quer criar com ele, utilize o seletor Select para selecionar a configuração de zoom adequada à distância focal da objetiva que você está utilizando. Você ainda pode utilizar uma configuração diferente de zoom para cobrir áreas maiores ou menores e obter efeitos criativos. Pressione o botão Select/Set para confirmar sua configuração. O zoom da cabeça do flash permite selecionar o quanto a cena o flash irá cobrir.

NOTA:

O botão de função 4 permite aos quatro menus do Speedlite. A sequência é a seguinte: Menu 1: botão de função 1 controla o zoom e acessam as Custon Functions, o botão de função 2 configura a FEC e o botão de função 3, a FEB. Menu 2: botão de Função ativa e desativa o botão de disparo do Speedlite, e o botão de Função2 acessa as configurações de proporção.

Menu 3: o botão de Função 1 define seleção de canal, o botão de Função 2 define seleções de ID (600EX-RT) e o botão de Função 3 acessa escaneamento de canais (600EX_RT). Menu 4: o botão de função 2 configura a sincronização em alta velocidade e o botão de Função 3 guarda e carrega as configurações memorizadas.

NOTA:

Quando se trabalha com Speedlite
fora da câmera, a função zoom automático é desativada.

Aproveite para rever mais dicas sobre speedlites mestres nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#SpeedliteMestre #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

CONFIAR NA SENSIBILIDADE!

por em .

Uma fotografia de uma pessoa andando na rua sem saber que está sendo fotografada é muito diferente de outra, exatamente nas mesmas condições, apenas com um a única diferença de a pessoa estar avisada de antemão. Foto de Vivian Maier

Um dos aspectos mais
importantes da fotografia de pessoas é o conhecimento das diferentes relações
que o fotógrafo pode estabelecer com elas
.

Esses conhecimentos vão permitir que o fotógrafo escolhesse a melhor maneira d aproveitar as potencialidades de fotografar cada tipo de pessoa.

Se, por exemplo, ambos forem tímidos e frequentemente se sentirem embaraçados, um por estar a frente a uma câmera, outro por se ver descoberto por trás dela, é melhor que não saibam da presença um do outro. Já no caso de ambos estarem de acordo quanto à fotografia, obtêm-se bons resultados se a relação for bastante explícita.

Há três situações básicas em fotografias de pessoas. Em um primeiro caso, nenhuma das partes interfere na cena.

Em outro, pode acontecer que o modelo, apesar de saber que está sendo fotografado, aja como se isso não estivesse sucedendo – é o que ocorre, por exemplo, se estiver fortemente concentrado em alguma atividade. E, num último caso, ambos podem estar interferindo no trabalho. Cada uma dessas situações vai resultar num tipo diferente de fotografia. Teremos então os flagrantes, os semi flagrantes e os retratos.

FLAGRANTES

Quando a pessoa está sendo
fotografada não percebe a presença do fotógrafo, comporta-se naturalmente.
Nesse caso, o fotógrafo está registrando flagrantes. A principal dificuldade
desse tipo de fotografia é que a cena “arranja-se sozinha”. O fotógrafo nem
sempre pode procurar o melhor tipo de iluminação ou compor a cena de maneira
mais cuidadosa, muitas vezes tendo que contentar-se em fotografar aquilo que se
apresenta em seu visor.

Para fazer flagrantes, o segredo
é utilizar um mínimo de equipamento. Como o fotógrafo não pode se concentrar em
muitos detalhes de construção da imagem, resta-lhe captar os momentos mais
interessantes assim que eles se apresentarem. A atenção é o requisito básico
para fazer bons flagrantes; por isso, o equipamento deve estar sempre pronto
para ser usado. Se o fotógrafo tiver muitas preocupações com detalhes da luz,
da composição ou com a objetiva a empregar, provavelmente ainda estará
regulando a câmera quando for à hora de fotografar.

Há alguns tipos de pessoas que
praticamente exigem flagrantes. As crianças pequenas, por exemplo, não têm
capacidade nem paciência para ficarem horas posando diante de um aparelho
estranho, sobre o qual nada sabem, nem mesmo para que sirva. Nas matérias
referentes à fotografia de crianças, você terá todas as informações sobre como
fazer melhores flagrantes.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia de rua nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#FotografiaDeRua #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

AS QUALIDADES DE UMA BOA FOTOGRAFIA

por em .

 Provocar Uma Reação!

Acima de tudo, uma boa
fotografia é visivelmente estimulante, por isso recebe uma reação interessada
de seu público.

Talvez não de todo mundo, mas de
pessoas suficientes para mostrar que a imagem está perdendo a atenção.

Se nossa reação imediata é “já vi
isso tudo antes”, ela é um fracasso. Esse pode ser um julgamento brutal, mas
também pode não importar nada em muitos tipos de trabalhos de fotografia
comercial, em que uma foto de embalagem e um resort em lima praia tropical
precisam provar apenas que fica em uma praia com palmeiras e céu azul.

Mas se estamos falando de “boa”,
os padrões precisam estar acima do normal. Os fotógrafos quer que suas imagens
sejam vistas, recebam atenção, sejam debatidas. Isso vai acontecer apenas se a
imagem persuadir seu público der ao espectador algo sobre o que pensar.

Para a fotografia que pretende
ser criativa, os problemas começam quando tentamos antecipar o público. Se
preocupar muito como modo como as outras pessoas possivelmente responderão a
uma fotografia pode levar a um caminho estéril, resultando em imagens muito
calculadas, que tentam descaradamente agradar. Uma das ultimas coisas que quero
quando mostro uma de minhas fotografias a alguém é que pensem que ela tenta
agradar seu gosto, porque isso me faz parecer um vendedor.

Todas as artes têm isso em comum,
e isso levanta uma discussão já muito batida sobre o que faz de um trabalho uma
obra de arte – intenção do artista ou o julgamento do público da fotografia
quer, entre outras coisas, ver algo de um jeito novo por meio do olhar
imaginativo de um fotógrafo. A maioria das pessoas se sente traída se suspeita
que o fotógrafo esteja apenas tentando agradá-la.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#BoaFotografia #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

CÉU EM PRETO E BRANCO

por em .

Uma técnica da fotografia em preto e branco para ajustar o equilíbrio tonal entre o céu e a terra é fotografar comum filtro ND graduado (de vidro ou plástico tingido em um gradiente que vai do claro ao escuro).

 O equivalente na fase de pós-produção é usar a
ferramenta de gradiente, que dá mais opções de cor de tom
.

 Mais uma vez, isso é mais controlável se
executado em uma camada separada. Um método é definir um gradiente linear com a
cor do primeiro plano indo até o transparente, começando na parte superior do
quadro (trabalhe dentro de uma parte selecionada do céu).

Escolha a quantidade de
escurecimento usando o conta-gotas no topo do céu para definir o primeiro plano
e, depois, ajuste o primeiro plano (clique duplo no ícone) escurecendo-o. Ou
use o tom neutro, entre o cinza claro e o preto e, em seguida, altera
transparência da camada. Para ainda mais controle, faça o gradiente em um canal
de máscara de modo que ele seja uma seleção.

Aplique-o à imagem e ajuste os
níveis ou curvas. Uma variação sobre o tema, que imita o sistema óptico de uma
lente grande angular e parecer mais realista em vistas mais amplas, é usar um
gradiente radial.

Estendendo o Céu

Exemplo típico do que ocorre na
editoração, esta fotografia deveria ser usada em uma capa de livro, mas era
necessário mais espaço para o texto.

Como de costume, o céu é o lugar
mais limpo para colocar palavras, por isso precisou ser ampliado em 14% no topo
e 7% para a direita. O método consiste em colher amostras dos tons de céu claro
e criar um arquivo separado com um gradiente radial dessas cores.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia em preto e branco nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#EquilibrioTonal #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

TONS DO CÉU

por em .

Os céus não são muito receptivos a manipulações digitais, como também podem ajudar (ou atrapalhar) uma fotografia de paisagem

As possibilidades quase
infinitas de retoques existem porque os elementos que compõem o céu são, na
maior parte, suaves e vagos.

A precisão nos detalhes não é
problema. Uma das ações mais fáceis é estender as nuvens com a ferramenta de
clonagem, ajustada para um pincel grande e macio.

Além desse tipo de retoque local,
a maioria das operações exige que o céu seja selecionado. Feito isso, dentre as
necessidades práticas mais comuns, está é a de equilibrar o tom do céu com o da
paisagem.

Especialmente em dias nublados, a
diferença de brilho entre o céu e o chão muitas vezes ultrapassa o alcance
dinâmico do sensor de imagem. Na fotografia tradicional, a solução para isso
era escurecer o céu e ampliar a foto em laboratório.

Em um programa de edição de
imagens, basta ajustar as curvas ou níveis a seu gosto. Além disso, qualquer um
dos controles de cor é apropriado e pode ser usado.

As áreas problemáticas que você
deverá encontrar ao manipular o céu tem principalmente a ver com gradientes,
ainda mais em um céu limpo; em parte, devido à delicadeza inerente à cor e ao
tom de um céu, que por sua natureza é difícil de incrementar de forma realista.

Porém, isso envolve as limitações
de profundidade de bits em uma imagem padrão de 24 bits de cor. Ela pode ser
chamada de “true color” (ou “cor real”) e ter uma gama de 16 milhões de cores,
mas cada canal tem apenas 256 níveis.

Se você fizer um gradiente
monocromático, tal como camada de escurecimento, e ele se estender por uma
grande área da imagem, é possível que os saltos apareçam, sobretudo nos
meios-tons, e o resultado são faixas na imagem. Está é a principal preocupação
na fotografia de paisagem. A solução prática para o problema é adicionar um
pouco de ruído em cada um dos canais para aumentar a dispersão aleatória que
ainda ajuda a esconder as faixas.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia de paisagens nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#FotografiaDePaisagens  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

À PRÁTICA LEVA A PERFEIÇÃO!

por em .

Correção fina dos desvios de cor no White Balance

Predefinições de equilíbrio de branco. Com seu Speedlite conectado
e ligado, alterne entre cada uma das predefinições de equilíbrio de branco de
sua câmera e faça uma foto de cada. Preste atenção nos desvios de cores.

Uso criativo das predefinições de equilíbrio de branco. Pegue uma
pequena folha de gelatina conhecida como temperatura de cor laranja total (CTO
total) e coloque-a na frente da cabeça do seu Speedlite. Altere a configuração
de equilíbrio de branco da sua câmera para Tungsten e fotografe um motivo ao ar
livre, misturando tanto a iluminação ambiente natural quanto a luz do flash.
Perceba como o equilíbrio de branco parece correto no motivo (equilíbrio para a
luz do dia) enquanto o plano de fundo ganha um tom de azul profundo.

Flash rebatido. Nessa técnica, você aprende dois aspectos
importantes do flash rebatido. Primeiro um modelo em u a sal com teto branco.
Em seguida, faça uma exposição com flash com o Speedlite sem modificadores
apontando diretamente para o modelo. Em seguida, aponte o seu Speedlite para o
teto e faça uma exposição de teste.

Perceba a qualidade diferente,
mais suave e ampla da luz. A luz não causou desvios de cores porque você
rebateu em uma superfície branca. Então, leve seu modelo para uma sala\ com
teto colorido e faça outra exposição com flash rebatido. Agora é possível
perceber um desvio de cor afetando a imagem e a pele do modelo; este tingimento
de cor veio da cor do teto.

Deste modo, sempre procure
rebater em superfícies brancas.

Flash de preenchimento. Pegue um pedaço de isopor branco e encontre
uma parede branca para utilizar. Posicione o modelo na sua frente, com o isopor
ou a parede branca nas suas costas. Gire seu Speedlite para o lado e um pouco
para trás, para longe do modelo, apontando em direção ao isopor ou à parede.
Isto fará com que a luz rebata na superfície branca e projete uma luz de
preenchimento suave no modelo.

Ston-Fen. Seu primeiro experimento com modificadores de luz – isto
é incrível! Ao ar livre ou em ambiente fechado, faça uma foto de um modelo ou
um objeto relativamente próximo com o flash não modificado apontado diretamente
para ele. Em seguida, aplique o difusor Sto-Fen no flash e repita o processo.
Perceba como a luz está menos dura porque foi espalhada pelo material difusor
do acessório Sto-Fen.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e speedlites nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#speedlite #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC

prática, perfeição, correção fina, white balance,
predefinições, desvio de cores, aulas de fotografia, cursos de fotografia,
escolas de fotografia,

amazon, TCC, Focus escola de fotografia, aula de
fotografia, cursos de fotografia sp, escolas de fotografia EAD, escola focus,
cursos de fotografia presencial SP, curso de fotografia online, cursos vips
fotografia, aula de fotografia,
focus

EXPOSIÇÃO E MODOS PRÉ-DEFINIDOS

por em .

Estes modos já pré-definidos permitem uma gama de ajustes e também possibilitam a personalização de alguns comandos, onde você pode regular de acordo com a sua preferência de imagem ou gosto pessoal.

Sabendo
combinar estes ajustes com outras funções importantes como o Balanço de Branco
(WB), é possível obter uma imagem com qualidade de cores e contraste muito
satisfatória, já no momento da captura
.

É de total
importância lembrar que o equipamento não irá resolver todos os seus problemas
e se o fotógrafo não dominar ou conhecer a câmera que tem em mãos, isso se
tornará um problema a mais para ele em campo.

É possível
também já na hora de capturar uma determinada cena, fazer uma imagem Preto e
Branco, ou ainda no estilo Sépia com poucos clicks nos menus e submenus de sua
câmera, consulte o manual impresso ou ainda na internet você consegue encontrar
facilmente um vídeo-manual com o seu modelo de câmera.

Os efeitos
em preto e branco podem ser mínimos ou muito significativos, e depende
diretamente da paleta das cores da cena em questão, como também da iluminação e
contraste e ainda da exposição realizada para a cena.

Após
realizar os ajustes necessários em sua câmera com os efeitos de estilização de
imagem de sua preferência, na maioria dos modelos você pode salvar alguns de
seus estilos preferidos, o que irá facilitar e muito a captura das suas
próximas fotografias.

Aproveite para rever mais dicas sobre modos de exposição nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

ESCOLA FOCUS NO INSTAGRAM!
https://www.instagram.com/focus_escola_de_fotograf/

#ModosDeExposição   #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC