Calendário Pirelli: a nudez já não é o foco da lente

em aulas de fotografia online, fotografia glamour.

Calendário Pirelli, mulheres, biquíni, poses sensuais, clientes, pneus, marketing Focus escola de fotografia, curso de fotografia, aula de fotografia, focus fotografia, escola focus, curso de fotografia profissional,

O primeiro calendário Pirelli foi lançado em 1964 com fotografias de Robert Freeman e foi fotografado em Palma de Maiorca

Delas/PT/ Margarida Brito Paes 

O ensaio fotográfico com mulheres em biquíni e poses sensuais seria transformado num calendário que seria oferecido aos melhores clientes dos pneus Pirelli.

Uma manobra de marketing tão genial que ainda hoje se repete ano após anos, o que mudou foi o foco da fotografia: já não é o corpo nu que interessa mas sim a história que é contada.

A grande mudança aconteceu em 2016 com um calendário fotografado por Anne Leibovitz. Nesta produção que retratou mulheres reais e não modelos, a fotografia revelou a força e a diversidade feminina a preto e branco.

Apesar de existirem algumas fotografias reveladoras de muita pele, nenhuma imagem publicada no calendário foi sexualizada, nem mesmo os nús quase integrais de Amy Schulmer e Serena Williams. Uma mudança significativa em relação ao calendário de 2015, fotografado por Steven Meisel com uma enorme carga sexual, mesmo quando as modelos apareciam vestidas.

Em 2017 a mudança continuou com as fotografias de Peter Linderberg, que quis eternizar em forma de calendário a beleza real, não usando por isso retoques de pós-produção para apagar imperfeições.

O fotografo desvendou assim as rugas de Nicole Kidman, Helen Mirren, Uma Thurman, Julianne Moore e outras atrizes de Hollywood. Um registo a preto e branco com uma atmosfera intimista que revelou uma beleza natural e mais uma vez despida de sexualização.

A 45ª edição deste calendário chega em 2018 com fotografias da autoria de Tim Walker e onde mais uma vez se deixa a sexualidade fora de cena. Inspirado pelo conto de Lewis Carroll, “Alice no País das Maravilhas”, foram encenadas imagens muito elaboradas que retratam vários momentos do conto.

 Mas o detalhe mais importante deste calendário está no casting que é composto apenas por modelos negros: a modelo australiana-sudonesa Adut Akech, a modelo e ativista feminista Adwoa Aboah, o modelo alemão-senegalense Alpha Dia, o ator e modelo Sjimon Hounsou, a modelo australiana-sudanesa Duckie Thot, a ativista gambiana para direitos das mulheres Jahan Dukureh, o modelo britânico King Owusu, o rapper Lil Yachty, a atriz queiano-mexicana Lupita Nyong’o, Naomi Campbell, o artista RuPaul, a atriz Sasha Lane, Sean “Diddy” Combs, a modelo americana Slick Woods, Thando Hopa, a atriz Whoopi Goldberg, o modelo britânico Wilson Oryema e Zoe Bedeaux. Um elenco único que pretende alertar para falta de representação da comunidade negra na moda.

São três anos consecutivos de um calendário Pirelli mais empoderador do que sexista, que provam que a nudez nem sempre é sinónimo de sexualização.

Fonte: https://goo.gl/LrtMRw

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: WhasApp – 11 92515-2047

Veja TCC de Alunos: https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS MATÉRIAS APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PRODUZIDOS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO.
PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br

A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 300 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC
OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO)

O REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo NOS CURSOS DA FOCUS, em menos de 4 meses de curso.
O aluno obterá seu REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como “FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS” entre outras modalidades.
SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS.
Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos.

Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 43 anos formando novos profissionais.
AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE:
Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973.
Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA.

No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico.
Fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP.

Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP.
Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995.
Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas.

Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado – 17/10/2017)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)