CASAIS DENUNCIAM GOLPE DE EMPRESA DE FOTOGRAFIA E FILMAGEM DE CASAMENTOS

em Notícias.

goplista, fotografia de casamentos, escola focus
Pricila Freixo casou em agosto de 2018 e ainda não recebeu as fotos. As imagens que tem foram feitas por celular — Foto: Acervo Pessoal

Casais pagaram por
álbuns e filmagens, mas nunca receberam o material. Existem pelo menos 20
vítimas já identificadas.

André Rodrigues, G1 e TV
Gazeta

Um casal que é dono de
uma empresa de fotografia e filmagem em Laranjeiras, na Serra, na Grande
Vitória, no Espírito Santo, é acusado de aplicar golpes em pelo menos 20
pessoas, entre elas noivos que contrataram os serviços para casamentos. Eles
acreditam ser vítimas de estelionato e denunciaram o caso à polícia.

As vítimas disseram que
contrataram a empresa para fotografar e filmar cerimônias de casamentos e
festas, mas que, mesmo tendo pago pelo trabalho com antecedência, como exigiam
os profissionais com o discurso de conceder descontos, mas não receberam as
fotos e os vídeos.

Algumas pessoas alegam
que esperam pelas fotografias desde 2015 e que chegaram a pagar até R$ 2,2 mil
pelo serviço. Uma das vítimas relatou que o casal de fotógrafos deixou de
responder mensagens e não atende mais ligações.

“Ela me entregou
apenas as fotos do ensaio de pré-casamento. No dia do casamento ela disse que
não poderia ir e enviou um profissional freelancer, que nem recebeu pelo
serviço prestado. Ela enganou até o freelancer que enviou. No fim, para não
ficar sem as fotos, tive que pagar o freelancer e ele me entregou algumas, mas
sem edição. Depois cheguei a mandar mensagem para ela e ligar, mas não tive
nenhum retorno. Ela ficou com meu dinheiro e não recebi meu álbum”, disse Priscila
Freixo, de 31 anos, que se casou em agosto de 2018.

O casamento de outra
vítima, que pediu para não ser identificada, foi em agosto do ano passado. Ela
contou que pagou um pouco mais de R$ 1,7 mil pelas fotos e pela filmagem, mas
até agora, quase dez meses depois, ainda não recebeu os arquivos prometidos em
contrato.

“Conheci o trabalho
deles através de uma rede social, um anúncio que apareceu para mim. Fui até ao
local onde eles atendiam, fechei o contrato e deixamos acertados, apesar de eu
ter efetuado o pagamento à vista apenas depois. No dia do evento ela mandou um
freelancer e depois disse que não poderia entregar as fotos, pois havia tido
uma briga com o marido e ele havia pegado os HDs onde estavam as fotos. Foi
quando voltei no endereço e a mãe dela me recebeu. A mãe dela assumiu que a
filha já cometia esse tipo de crime há pelo menos cinco anos”, relatou a
vítima.

A situação é a mesma para
a assistente administrativo Flávia Almeida. Ela pagou para ter a cobertura
fotográfica do casamento dela e até agora não recebeu as imagens. Flávia contou
que casou em janeiro de 2019 e não teve mais retorno dos fotógrafos. Agora, não
consegue mais nem entrar em contato com os responsáveis pela empresa.

Eu só não fiquei sem
nenhuma foto porque um rapaz que trabalhou no lugar dela no dia do meu
casamento me entregou algumas fotos. E eu que tive que pagar para ele, pois ele
mesmo havia dito que não tinha recebido pelo serviço que fez. Nesse caso, para
evitar perder as fotos, paguei a ele e fiquei de resolver com a empresa depois.
Procurei e não tive mais retorno deles”, comentou.

Suposto golpista

O G1 tentou contato
através de um número de telefone que o estúdio de fotografia disponibiliza em
uma de suas redes sociais. Um homem, que não quis informar seu nome para a
reportagem, atendeu a ligação e disse apenas que “o estúdio não tem
nenhuma relação com os casos”.

As vítimas informaram que
o casal de fotógrafos, após aplicar uma grande quantidade de golpes, acaba
mudando o nome da empresa nas redes sociais, mas mantêm os mesmos telefones.
Segundo as pessoas lesadas, os suspeitos já trocaram o nome da empresa pelo
menos quatro vezes.

Sobre a denúncia de que a
empresa teria utilizado outros nomes para realizar golpes, o homem que atendeu
a ligação respondeu apenas que não tinha conhecimento do assunto. Na sequência,
a ligação telefônica foi interrompida e a reportagem não conseguiu mais fazer
contato com o estúdio.

Polícia Civil

Procurada, a Polícia
Civil informou que investiga o caso e que as vítimas precisam realizar denúncia
em qualquer delegacia, munidas de todo material que comprove o crime e que
auxilie na investigação.

A polícia disse ainda que
conta com a colaboração da população para a identificação dos suspeitos.
Queixas podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia através do 181. O sigilo e
anonimato são garantidos.

Dicas do especialista

O especialista em direito
do consumidor Fábio Prest explica que é necessário pesquisar antes de contratar
esse tipo de serviço.

“Além de verificar mensagens e participações de clientes nos sites e nas redes sociais, que é a interação comum em qualquer perfil, é importante também tentar procurar pessoas que já foram clientes. O relato delas é fundamental. É possível verificar até no Procon se existe alguma reclamação sobre a empresa”, pontuou Fábio Prest. Confira também o registro profissional do fotógrafo, emitido pelo Ministério do Trabalho

Fonte: https://glo.bo/2Kf9h76

Aproveite para conferir mais notícias no blog da Escola Focus.

#fotógrafos_golpistas #vitimas_foto_casamento #fotografia_notícias #fotografia_casamento #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia   #aulas_fotografia  #enio_leite

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)