CASAL SE DIZ FRUSTRADO COM FOTOS DA FESTA DE CASAMENTO E ACIONA FOTÓGRAFO

em Uncategorized.

Casal, frustrado, fotos, festa de casamento, fotógrafo processado, divulgação, redes sociais, serviço, profissional contratado, condenação, Aulas de fotografia, escola focus sp, Curso de fotografia, focus fotografia, registro Mtb fotógrafo profissional, escolas de fotografia, aula de fotografia, acervo da playboy

A imagem, a direita, mostra o casal se beijando em registro de convidado, já a foto da festa, á esquerda, feita pelo fotógrafo ficou péssima. Reprodução

O casal formado por uma cuiabana e um alemão decidiu processar o fotógrafo Thiago Alt, contratado para registrar os melhores momentos do casamento e que, sem autorização da noiva, divulgou nas redes sociais a imagem do seu vestido, antes mesmo da cerimônia.

RDNEWS/Airton Marques e Jacques Gosch

K.S.R.S. e E.S. ainda questionam a qualidade do serviço do profissional contratado por R$ 3,8 mil, por conta das fotografias realizadas durante o evento. O fotógrafo, por sua vez, afirma que a situação não passou de um mal entendido.

O processo proposto pelo advogado Fabiano Rabaneda foi distribuído em dezembro à 6ª Vara Cível de Cuiabá. Na ação, a cuiabana e o alemão pedem a condenação do fotógrafo ao pagamento de R$ 2,4 mil por danos materiais e até R$ 50 mil por danos morais.

De acordo com a petição, o casal se conheceu em dezembro de 2014, em Amsterdã (Holanda). Após um período de conversa e viagens para a Alemanha e Brasil, o casal decidiu se casar. A noiva, que é servidora pública, começou, então, a providenciar todos os detalhes do casamento realizado em fevereiro de 2017.

Entre as prioridades, a noiva decidiu usar um vestido feito na Alemanha que, segundo o advogado, gerou curiosidade de amigos e familiares dos noivos, que só deveriam apreciar a peça quando a servidora entrasse na cerimônia.

No entanto, o fotógrafo – contratado após indicação em um grupo de casamentos no Whatsapp – decidiu, antes mesmo do casamento, realizar uma publicação em sua página oficial no Facebook, em que mostrou detalhes do vestido que gerou comoção entre os convidados – que vinham da Alemanha e de diversos pontos do Brasil.

Segundo o casal, o fotógrafo ainda se mostrou preconceituoso, pois, ao postar a fotografia do vestido, que estava em um salão de beleza simples onde noiva e mãe se arrumaram para a cerimônia, teria menosprezado o local, com comentário maldoso.

“O Thiago Alt não foi profissional, quando tentando se aparecer na sua rede social, ridicularizou o local, ridicularizou a noiva e postou acredite, na página do seu Facebook o seguinte comentário: ‘Segunda-feira também é dia de casamento, quando o local não destaca vamos recorrer as técnicas…’”, afirma a servidora.

A noiva revela que ficou emocionalmente abalada ao saber por amigas que Thiago havia estragado a surpresa em torno de seu vestido. No entanto, se recuperou e tentou seguir o casamento normalmente. Durante a festa, o casal diz que as amigas da servidora pública notaram que o serviço de fotografia estava sendo prestado de forma deficiente.

“Vários convidados tiveram que ‘correr atrás’ dos fotógrafos para tirar as fotos da cerimônia… foi relatado até que no momento do ‘sim’ uma das convidadas alertou uma das meninas do cerimonial para conter o fotógrafo, este que estava de ‘papinho’ com outra auxiliar”, afirma o casal.

O advogado ainda diz que a noiva só viu que as fotos já estavam digitalizadas quando viu algumas imagens na página da empresa de decoração. Procurou o profissional que lhe entregou o cd com todos os registros.

Conforme o relato dos noivos, vários momentos da cerimônia não foram registrados, como a foto das alianças. Já em relação as fotografias entregues, o casal reclama que ficou evidente a falta de qualidade, enquadramento, foco, luz, ângulos e outras especificidades.

“É nítido que o Thiago Alt não soube usar as técnicas da fotografia, produzindo um trabalho que não se aproveita em nada, causando frustração, dor e sofrimento para a noiva”, diz a defesa.

Para mostrar o questionamento com o trabalho entregue pelo profissional, a defesa anexou ao processo uma série de fotos tiradas por Thiago. Além disso, comparou com outras publicadas no site da empresa fotográfica e de convidados do casamento.

Outro lado

Thiago afirma que a questão não passa de um mal entendido. Afirma não ser fotógrafo aventureiro, e que sua empresa tenta agradar os desejos de todos os clientes. Quanto à postagem do vestido, afirma que em sua publicação não fez qualquer menção a noiva que usaria a peça. Ainda nega que tenha depreciado o local.

“Há 17 anos sou fotógrafo, sempre na cidade de Cuiabá. Neste ano completei o meu milésimo casamento que tive o prazer de contar histórias através das minhas lentes. Só no ano de 2017 fiz 83 casamentos”, declara.

Explica que a noiva o procurou dizendo que gostaria da cobertura fotográfica e a disponibilização das fotos apensas em CD, sem álbum, pois depois voltaria a procurá-lo para escolher as fotos para impressão.

Segundo Thiago, foram mais de 1,6 mil fotos capturadas desde a preparação do casal até a recepção. Pondera que não conseguiria fazer o tratamento de todas as fotografias colocadas no CD, mas que tal serviço seria feito, assim que a servidora pública escolhesse algumas das imagens para a produção de um álbum.

O fotógrafo ainda diz que algumas imagens, como a de um corredor com a luz totalmente estourada, foram feitas para teste e regulagem da câmera. Quanto às imagens com as cabeças dos noivos e convidados cortadas, declara que também fotografou em outros enquadramentos para a escolha dos clientes.

“Todos podem perceber que o ambiente estava bem escuro com uns pontos de luz fortes que estourava em único lugar os outros ficavam escuros. Mesmo assim, eu e o outro fotógrafo tentamos ajustar o máximo que conseguimos”, afirma.

Fonte: https://goo.gl/ByPYq2

Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/
Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: cursos@focusfoto.com.br
Veja TCC de Alunos: https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)