Chuva de meteoros é registrada por fotógrafo na zona rural de Itapeva, SP

em Anúncios, Dicas & Tutoriais, Notícias.

chuva de meteoros, fotógrafo, zona rural, astrônomo, fenômeno, experiencia profissional, capturar imagens, luz artificial, fenômeno, fotografias, fotografe melhor , curso de fotografia são Paulo,  Escolas de fotografia sp, cursos de fotojornalismo, focus fotografia, escola focus, enio leite, escolas de fotografia,  curso de macrofotografia, curso de fotografia sp, cursos de photoshop, aulas de fotografia online, cursos de fotografia zona leste sp, curso de fotografia online, cursos de fotografia sp, cursos de fotografia focus, escolas de fotografia focus,  melhores cursos de fotografia  sp ,  curso de fotografia são paulo, curso de fotografia digital, cursos de fotografia zona sul sp, melhores escolas de fotografia sp, curso  de fotografia profissional  sp  , focus foto,  aulas de fotografia sp, cursos fotografia de moda,   curso de fotografia profissional sp,  cursos fotografia São Paulo, escola de fotografia sp,  curso de fotografia São Paulo,  curso foto,  cursos de fotografia sp, Fotografia, escolas de fotografias sp, curso de fotografia sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografia sp, melhores cursos de fotografias Brasil, melhores cursos de fotografia SP,  aulas de fotografia, escola de fotografia sp, melhor escola de fotografia, curso de fotografia, curso de fotografia sp,

Na foto, é possível ver um dos meteoros: um traço luminoso no céu (Foto: Felipe Johnson/ A
Gazeta Notícias)

Felipe Johnson esperou duas horas para fazer imagens do fenômeno. Astrônomo afirma que o fenômeno se estenderá até 23 de agosto.

Um morador de Itapeva (SP) ficou mais de duas horas no acostamento de uma rodovia para acompanhar uma ‘chuva de meteoros’. O fenômeno foi registrado pelo fotógrafo e jornalista Felipe Johnson, de 21 anos, na noite de terça-feira (29).

O fotógrafo conta ter se surpreendido com a beleza da série de fotografias tiradas por ele. “Fiquei sabendo que aconteceria o fenômeno.  Me preparei junto com outros três amigos para registrarmos a chuva.

Foi a primeira vez que fotografei o céu e achei incrível. Adorei o resultado das fotos, foi uma grande experiência pessoal e profissional”, afirma.  Johnson utilizou a técnica fotográfica de longa exposição para capturar as imagens.

Como não tinha noção de qual ponto do céu aconteceria a chuva, ele escolheu fotografar o evento astrônomico no meio da Rodovia Pedro Rodrigues Garcia (SP-249), na zona rural da cidade. Isto para que não houvesse interferência de luz artifical e a chuva de meteoros poderia ser vista mais facilmente.

“Não tínhamos nenhuma orientação astronômica para qual ponto observar. Só mesmo estando no meio de uma rodovia, na escuridão, é que foi possível enxergar o fenômeno. Só fiquei um pouco triste porque o pico da chuva aconteceu por volta das 2 horas de quarta-feira, e como tinha que trabalhar cedo, às 8h, tive que fazer as fotografias por volta das 20h de terça”, brinca.

 Mais chuvas previstas

 De acordo com o astrônomo coordenador do planetário de Tatuí (SP) e co-autor do livro Fundamentos de Astronomia, Luis Marino, a chuva de meteoros registrada por Johnson aconteceu em um ponto do céu conhecido como Delta Aquarídeos do Sul.

O especialista conta que o fenômeno começou em 21 de julho e se estende até o dia 23 de agosto. O pico da chuva foi na terça-feira, quando puderam ser vistos de 15 a 20 meteoros por hora, uma boa média comparada a outras chuvas, segundo Marino.

“As chuvas de meteoro ocorrem com certa frequência. Por exemplo, em 2 de agosto teremos uma chuva na direção do Alfa Capricornídeos com a expectativa de cinco meteoros por hora.

Em 12 de agosto também está prevista uma chuva, desta vez na Constelação de Perseus, a chuva deve conter cerca de 75 meteoros por hora.” Marino explica que a chuva de meteoros é um evento causado pela passagem de uma espécie de ‘enxame’ de pedras e ferro espacial pelo planeta. Esse material é derretido na atmosfera antes de chegar ao solo.

“Quando se fala em chuvas de meteoro não se trata de uma quantidade absurda de meteoros passando pelo céu. É preciso ter paciência, pois elas passam esporadicamente de acordo com a ‘vontade’ delas. Nenhuma dessas chuvas pode causar dano ao planeta”, ressalta. “

A chuva dura algumas horas devido ao encontro entre a terra que está se movendo e o enxame de matéria, que estão distantes mas seguindo pela mesma direção.

Quando essas rochas estão caindo pelo céu terrestre são chamadas de meteoro ou estrela cadente, e quando, na minoria dos casos, chegam ao chão são chamadas de meteoritos ou meteoroide”, explica Marino.

Fonte: http://goo.gl/nMeq6x  

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)