Como Reparar suas Fotos Antigas

Muitas famílias ainda guardam, em seus acervos, fotos antigas tiradas com câmeras analógicas e reveladas por meio de filme negativo em um processo químico. Guardam memórias de pessoas queridas, reuniões de família, passeios que, sem as imagens, poderiam ser esquecidos.

Contudo, esses acervos ficam expostos à destruição natural que sofre todo tipo de material, sobretudo o papel fotográfico. Então, como podemos recuperar fotos antigas que foram tiradas com câmeras analógicas e estão guardadas nos preciosos álbuns de família? 

Como Reparar suas Fotos Antigas

Sem ter que pagar caro a uma empresa especializada, atualmente existem boas opções e alguns procedimentos realmente eficientes para reparar fotos antigas que você mesmo pode fazer para dar um bom trato visual e recuperar essas imagens, muitas vezes, afetivas.

Restaurar fotos antigas é um desafio, sobretudo para quem gosta de aprender técnicas no passo a passo e ter a satisfação de ver resultados eficientes. 

O que você irá precisar para reparar suas fotos antigas

Muitas fotos de família ficam guardadas em armários ou caixas de papel, acumulam poeira, perdem cor e contraste, desbotam, sofrem rasgos, e correm o risco até mesmo de um apagamento. Para salvar fotos antigas sugerimos alguns procedimentos de organização e restauração. 

 Identifique os defeitos das fotos antigas

Selecione as fotos antigas, faça uma curadoria. Crie grupos, separe por tipos: retratos, paisagem, fachadas ou interiores de residências; ou separe por defeitos: fotos rasgadas, fotos destruídas, fotos desbotadas, fotos manchadas, fotos com partes apagadas, fotos  muito claras ou muito escuras. Assim você poderá usar os mesmos passos de edição num determinado grupo de fotos que tenham aspectos e defeitos semelhantes, por exemplo. 

Prepare sua impressora, computador ou tablet 

Uma vez que você tenha as fotos antigas separadas por grupos de sua escolha, faça a digitalização das imagens através de uma impressora conectada ao seu computador e salve cada uma numa pasta nomeada, de modo que você identifique o arquivo em suas pesquisas. Destacamos que o uso de um tablet, com caneta, pode facilitar o trabalho, pois com a caneta pode-se fazer um trabalho mais delicado que com o mouse.

Tenha uma versão do Photoshop 

Existem outros softwares de edição digital que podem atender a algum tipo de reparo nas fotos antigas, contudo, escolhemos o Photoshop para esse artigo, por ele ser o mais popular e ter todas as ferramentas necessárias para uma edição satisfatória, ele atende desde problemas simples a problemas complexos. Se você ainda não tem o programa instalado no seu micro, você vai precisar fazer o download ou tentar usar alguma versão online, gratuita.. Cuide bem da proteção do seu micro com um antivírus e escolha sites confiáveis.

O que é necessário para reparar suas fotos

As fotos antigas, em sua maioria, trazem memórias de um passado que não queremos perder de vista, portanto, com uma boa percepção visual do seu conjunto de fotos antigas, agora separadas por grupos de tipos fotográficos ou separadas pelos tipos de defeitos, como foi sugerido no texto acima, você deve concluir o trabalho em algumas etapas técnicas que listamos abaixo num passo a passo.

Passo 1 – Faça a digitalização da foto antiga

Com suas fotos antigas já separadas e organizadas por grupo, faça a digitalização de cada foto por meio de uma boa impressora conectada ao computador. Lembre de limpar o vidro do scanner ou impressora antes de começar o trabalho e salvar cada imagem em arquivo tipo TIFF com o maior DPI/PPI disponível. Essas configurações vão garantir a qualidade máxima da cópia, tanto para edição quanto para exposição no virtual ou até mesmo para impressão em papel fotográfico. Lembre de salvar as imagens em uma pasta que você possa identificar o arquivo, por exemplo: ‘fotos-antigas-1970”. 

Passo 2 – Abra a foto antiga no Photoshop

Abra cada foto digitalizada usando o Photoshop. Essa imagem aberta no Photoshop é a sua camada original (background). Não faça nenhuma edição sobre ela. 

Passo 3 – Crie camadas para sua foto antiga

Crie a segunda camada onde você poderá fazer toda a edição. Selecione a opção Duplicate Layer, dê um nome à sua camada e clique em ok. Trabalhe de olho no ícone “olho” que fica no lado esquerdo da camada original, para ter certeza em qual camada está trabalhando e dessa forma evitar editar na camada original. 

Se precisar ajustar o corte, procure manter o tamanho próximo de algum padrão: 4×6, 5×7, 8×10, 10×13, 10×20, 11×14, 16×20, 18×24, 20×24, 20×30. Com essas medidas ficará mais fácil na hora da impressão, na hora de encontrar porta-retratos ou mesmo molduras para parede. Mantenha a resolução dos 300 dpi para ter qualidade nas ampliações. Para cada ajuste que fizer, crie uma camada nova. Isso facilitará voltar atrás em alguma etapa, por exemplo. 

As camadas podem ser criadas por área ou por elemento da foto, por exemplo: numa camada você faz a edição numa pessoa, noutra camada você faz a reparação de uma árvore, noutra camada você ajusta a casa. Usando as camadas você sempre terá a imagem original e poderá voltar atrás num procedimento sem desfazer de outros ajustes. 

Passo 4 – Use as ferramentas de edição

As ferramentas de edição que estão citadas neste artigo são: Clone Stamp, Spot healing brush, Smart brush tool, Elliptical marquee, Burn tool. Elas servem para reparar rasgos, remover marcas de poeira, arranhões, riscos, reduzir ruídos, ajustar o tom, ajustar a cor. Lembre sempre de criar uma nova camada. 

Para fazer uma limpeza na imagem, use: 

“Spot Healing Brush” – essa ferramenta pode ser usada para remover vários defeitos: marcas, amassados, marcas de dobras, manchas de água, manchas de cor; com ela você pode também remover objetos. Use no modo Normal/Content-Aware.

Para recriar alguma parte que está rasgada ou apagada, use:

“Clone Stamp” – essa ferramenta pode copiar detalhes ou partes que tenham mais texturas para preencher em outras áreas; literalmente, a ferramenta copia as áreas escolhidas e as reproduz em outras áreas. É um copy-past do PhotoShop. Pode ser usada para restaurar ausências e perdas na composição.

Para ajustar tom, brilho, contraste, use:

“Smart brush tool” – essa ferramenta pode ser usada para pincelar ajustes de tom ou matiz e remover riscos, a ferramenta tem 50 efeitos diferentes que podem ser aplicados na imagem. Esses efeitos incluem bronzeado, contraste de nuvens, infravermelho, impressionista, várias tonalidades de cores, negativo de filme, brilho fluorescente e também olhos brilhantes.

Para ajustar luz, use: 

“Elliptical Marquee tool” – essa ferramenta pode ser usada para selecionar áreas da fotografia e seu contorno pode ser feito de modo circular ou oval, tornando esse contorno mais delicado. Com ela você pode clarear ou escurecer alguma parte, por exemplo. 

“Dodge e Burn tool” – essa ferramenta pode ser usada para clarear ou escurecer áreas da imagem, ajustando meios tons, sombras, destaques; use o pincel como um aerógrafo. Como alternativa, selecione a opção Airbrush no painel Brush.

Dica importante

Use sempre o pincel no tamanho menor para facilitar uma aparência natural e bem feita. Trabalhe com o zoom a 100% para ver todos os detalhes e fazer um trabalho mais natural. Não exagere, não deixe sua fotografia perder a característica de foto antiga. 

Passo 5 – Faça ajustes de cor 

Você pode testar filtros coloridos, preto e branco ou sépia na sua camada editada e ver qual efeito lhe dá o melhor resultado. Se a sua foto antiga é monocromática e quiser colorir, o processo é um pouco mais complexo, é preciso criar uma nova camada da imagem com todas as edições anteriores e usar filtros. Experimente clicar em 

Quick Selection Tool com Solid Color Layers – com estas ferramentas você pode pintar sobre alguma parte e o com o Quick Mask você seleciona as partes que não quer colorir. 

Passo 6 – Salve a foto antiga editada

Se quiser salvar sua foto antiga em voltar a editar a foto antiga você pode salvar o arquivo em TIFF. Se quiser armazená-lo no computador ou publicar na rede social você pode salvar em JPG. Tanto TIFF e JPG são adequados para impressão em papel fotográfico, mas TIFF guarda com melhor qualidade. 

Conclusão

A restauração de fotos antigas tem sabores especiais que podem ser desde recuperar e guardar as memórias de família, até ver a transformação estética de fotografias. 

A restauração de fotos antigas é um exercício técnico que contém várias etapas e ferramentas, desde procedimentos simples aos mais complexos. 

Portanto, seguir o passo a passo é sempre uma maneira de ter bons resultados, assim como a possibilidade de registrar o procedimento específico para cada tipo e problema. 

Lembre que toda aprendizagem através da repetição das técnicas cria a possibilidade de saber o que fazer em outras situações semelhantes. 

Se ficou com alguma dúvida, escreva nos comentários. 

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.