CONSEGUINDO TRABALHO!

em Artigos e Entrevistas, empregos.

trabalho, fotografo, escola focus, focustoto
Esqueça basicamente tudo o que você aprendeu sobre um emprego tradicional: para assistente e fotógrafos

Não há formulários com pedidos
de emprego a ser preenchidos nem empresas que anunciam vagas em seu website
.

Procurar um trabalho nessa área
não é tão simples como listar suas habilidades em seu currículo, enviá-lo a um
potencial empregador e, em seguida, ficar a espera de uma entrevista.

Conseguir um trabalho nessa
indústria tão competitiva e pouco convencional é um processo tortuoso, que
requer as múltiplas abordagens descritas a seguir.

PESQUISA

Graças à internet, descobrir com entrar em contato com um fotógrafo para o qual você deseja trabalhar se tornou uma tarefa bastante fácil: se uma simples busca no Google não mostrar seu site nem suas informações de contato, tente busca-lo no Linkedin, Instagram ou no Facebook.

Antes de entrar em contato direto
com o fotógrafo, pode ser útil descobrir quem está encarregado de gerenciar o
estúdio e/ou quem são seus primeiros assistentes (normalmente são essas pessoas
responsáveis pela contratação de assistentes freelancers).

Se você mora na mesma cidade que
o fotógrafo em questão, as chances de que vocês tenham conexões de segundo ou
terceiro grau são bem maiores, já que, em nível local, esse ramo costuma ser
pequeno. Você pode convidá-lo para tomar alguma coisa ou manter o contato
estritamente profissional por meio de e-mails expondo suas intenções. (Um
conselho de alguém mais experiente).

NETWORKING

Faça amizade com os outros
assistentes – o que pode parecer simples e natural e, na verdade, algo
absolutamente crucial. Ter colegas de trabalho como amigos já é em si benefício
pelas próprias razões sociais, mas em um setor tão dependente de conexões e
recomendações.

Tais amizades poderão
beneficiá-lo também em nível profissional. A maioria dos fotógrafos confia em
seus primeiros assistentes para contratar em segundo ou terceiro assistente
e/ou arquivistas digitais.

Ou seja, ter uma rede de amigos
assistentes pode ajuda-lo a garantir trabalhos bons e com uma frequência
regular. Isso tudo sem falar que, que quando você começar a receber ofertas
para trabalhar como assistente (ou melhor, ainda, quando você começar a receber
ofertas para fotografar), você poderá ajudar seus amigos também.

Eu sei que ouvir algo como “vá
atrás de contatos” pode ser frustrante, mas esse é um processo legitimo que
realmente funciona quando a bola começa a rolar. Eu pensaria duas vezes antes
de recusar um favor a alguém, ou antes, de dizer “não” a um trabalho, não
importa quão pequeno ele seja – pelo menos no início.

Esses pequenos atos são coisas
que podem dar origem a um grupo valioso de contatos, cada um com seus próprios
recursos.

TELEFONEMAS

Ser ousado pode valer a pena, já
que são poucas as pessoas que estão dispostas a arriscar seu pescoço e correrem
grandes riscos. Ligue para o fotógrafo com quem você gostaria de trabalhar e
diga o que quer ajudá-lo.

Mesmo que você não consiga o
emprego no primeiro contato, sua pró-atividade e sua atitude farão uma boa
impressão, e você estará em sua mente para trabalhos futuros. Outra opção seria
telefonar para uma empresa de produção e dizer-lhes que você gostaria de ser
colocado na lista de assinantes. Depois de responder a algumas perguntas, você
será colocado em um banco de dados e chamado quando eles precisam.

Parece simples demais, mas há
vários trabalhos que vêm diretamente de empresas de produção.

BOCA A BOCA

A indústria da fotografia
funciona com base no boca a boca – por essa razão, você deve se esforçar
constantemente para criar uma boa reputação. Para ser recomendado pelos
fotógrafos e produtores com os quais você trabalha, tenha uma atitude sempre
positiva e trabalhe como se estivesse sempre fazendo um teste para sua próxima
oportunidade. Afinal, geralmente é assim que a coisa funciona.

“O boca a boca é uma coisa
maravilhosa no ramo da fotografia. Por se tratar de um universo pequeno, as
pessoas comentam quando você executa um bom trabalho. Por outro lado, se você
fizer as coisas de um jeito impróprio, as pessoas se lembrarão disso também”.

E por fim, não se esqueça
do seu registro de fotógrafo profissional emitido pelo Ministério do Trabalho.
Ele separa o “joio do trigo” nesse competitivo mercado de trabalho.

Aproveite para rever mais dicas sobre mercado de trabalho
nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos
profissionalizante da Escola Focus.

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#escola_focus #focus
#focus_escola_de_fotografia  #focusfoto
#focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia   #aulas_fotografia  #enio_leite  

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)