CONTROLE DE COR

em Artigos e Entrevistas.

As nuances de cor da luz do dia mudam, afetando o clima da paisagem – fria, quente, suave ou dura.

Porém, com a fotografia
digital, é possível controla-las, seja na câmera, seja em um programa de edição
de imagem mais tarde.

Mesmo quando as mudanças são
modestas, como no exemplo principal usando aqui, os efeitos são tão
surpreendentes que vale a pena tentar consegui-los.

A cor geral de uma paisagem é
afetada principalmente pela temperatura da cor da luz. A precisão é menos
importante do que aquilo que você considera o melhor. A maioria das câmeras
digitais tem controle de equilíbrio de branco.

Além disso, muitas oferecem
configurações de equilíbrio refinadas preestabelecidas, que medem o equilíbrio
geral de cores como estão e as ajustam com base em uma opinião (do fabricante)
de como eles deveriam ser. Por exemplo, escolher a configuração Nublado,
disponível em algumas câmeras removerá o leve azulado que é normal sobre o céu
nublado.

Programas de edição de imagem
também fazem correções de cor, mas trazem muitas opções – você não está
restrito a configurações fixas – e, ao mesmo tempo em que o ponto do branco,
ponto do cinza e do preto vão estabelecer os neutros em várias partes da
imagem, você pode usar quaisquer desses controles para ajustar a cor a seu
gosto. Até correções extremas podem ser obtidas, usando o ponto do cinza com
alguns ajustes a mais.

O controle seletivo de cor abre
possibilidades muito maiores ou, pelo menos, a de melhor qualquer deslize com a
iluminação. Foi essa situação com a foto original de Machu Picchu, no Peru,
mostrada ao lado.

A situação do local em relação às
montanhas circundantes significava que a luz era melhor no início da manhã, mas
naquele dia o tempo estava ruim. Mais uma vez, o primeiro passo é fazer as
seleções e, coso de uma paisagem, provavelmente mais de uma. Dois tipos de
seleção são úteis: uma gama de cores e um elemento físico.

 Quando pertinente, a seleção de uma gama de cores é mais fácil, mas você deve verificar a exatidão de suas bordas antes de fazer qualquer coisa com ela. Examine-a como máscara dando zoom nos detalhes das bordas. Você pode achar que as bordas estão muito dura caso em que se aplica um Gaussian Blur em toda a máscara.

Alguns tipos de software tem a opção de selecionar o intervalo de cores nas ferramentas de correções de cor, como mostra o exemplo; ou seja, você escolhe a cor da tela e, em seguida quantos intervalos de cor devem ser incluídos em torno dela no resultado final.

Selecione elementos físicos na
paisagem, como céu, primeiro plano ou água, usando a ferramenta de seleção que
for apropriada. Descritas em detalhes na Seção 2, cada uma tem seus usos. Uma
vez que as seleções foram feitas (e salvas), use Curves, Levels ou controles de
saturação conforme necessário.

Temperatura de Cor

A temperatura de cor é uma escala que tem uma relevância especial para a fotografia, principalmente em paisagens. Na prática, vai do vermelho ao amarelo, do laranja ao branco, até chegar ao azul. Em tese, é a gama de cores de uma substância teórica, à medida que é aquecida (do vermelho ao branco e acima dele), o que torna possível atribuir um valor preciso para cada cor.

Na escala Kelvin de temperatura (como Célsius, mas a partir de zero absoluto), o branco é 5.5000 K, a cor do sol do meio dia no verão, e, para o olho humano, neutra. O sol nascente e poente costuma ficar entre 3.0000 K e 4.0000 K, enquanto a sombra de céu aberto mais de 8.0000 K.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e controle de cor nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na
FOCUS!
https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#controle_da_cor #dicas_fotografia #escola_focus #focus
#focus_escola_de_fotografia  #focusfoto
#focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia
 #enio_leite    #cursosdefotografia    

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)