Cultura desruptiva

em Dicas & Tutoriais, Notícias.

enio leite escola focus curso de fotografia sp focus focus fotografia curso fotografia online escola de fotografia sp cursos de fotografia distancia EAD curso de fotografia de moda curso de fotografia publicitaria curso de fotojornalismo cursos de fotografia profissional cursos de photoshop fotografia noticias drt fotografo profissional   Eugene Atget

A imagem da semana é "Avenue des Gobelins", de 1927, do fotógrafo francês Eugene Atget.

Texto: Glauco Frizzera

De tempos em tempos, fatores extra humanos mudam a trajetória de nossa existência: a era glacial, um meteoro, ou até o super-aquecimento do planeta. Esses fenômenos geológicos causam profundas mudanças no mundo de maneira geral mas também no nosso comportamento.

Na cultura e na tecnologia, essas influências seguem mais ou menos a mesma trajetória, e o termo inglês para definir esses fenômenos é disruptive culture, ou disruptive technology. Entre outras coisas, a ideia é que, de tempos em tempos, algum acontecimento vem mudar o rumo da história, tornando o movimento ou o produto anterior completamentamente obsoleto. Foi assim que o fogo garantiu a vida dos primeiros homídios, foi assim que a roda transformou nosso modo de transportar.

No mundo atual, nossa cultura se torna cada vez mais desruptiva. Tudo tem que ser substituído por algo novo a cada instante, para suprir nosso apetite por consumo, que vem na nossa carga genética. Os movimentos culturais do Século XX, os chamados “Ismos do Século XX” já demonstravam isso.

A fotografia nasceu sob esse conceito, com o status de grande novidade tecnológica do século XIX, mudando radicalmente a forma de produzir, enxergar e entender a arte desse período.

Mudou a forma de produzir retratos e, consequentemente, o mercado em volta desse fazer artístico. Mais recentemente, a fotografia digital imprimiu sua marca, seguindo seu destino de tecnologia desruptiva, transformando como nunca antes o universo fotográfico.

Empresas que subestimaram o projeto em curso hoje vivem à mingua. Em 1974, em uma conferência para apresentar novos produtos, realizada em um cruzeiro marítmo, a Polaroid, entre vários filmes instantâneos apresentados na ocasião, mostrou também uma nova tecnologia para produzir fotografia de forma digital. A ideia foi rejeitada sob a alegação de que não deviam focar em outra linha de produto já que tinham o monopólio do mercado instantâneo.

Fotógrafos que ainda desprezam a nova onda terão o mesmo destino, por rejeitar a realidade cultural em curso. Esse é o novo “Momento Kodak”, sombrio para aqueles que recusam as mudanças de um mundo que gira em alta velocidade.

Fonte: http://goo.gl/UQ0AH

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)