DICAS PARA ENFRENTAR UM DIA RUIM TRABALHANDO COMO FOTÓGRAFO

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais.

dicas, enfrentar dia ruim, trabalhando como fotógrafo, redes sociais, dias horríveis, profissão, comunidade, dias ruins, formas, tamanhos, noiva, escolas fotografia, amazon, Focus escola de fotografia, aulas de fotografia, cursos de fotografia sp, escolas de fotografia EAD, escola focus, cursos de fotografia presencial SP, Enio Leite, curso de fotografia online, aula de fotografia, fotografia profissional, cursos EAD, fotografia notícias

Através das redes sociais, pode parecer que todos os fotógrafos estão viajando e se divertindo no trabalho enquanto você está sozinho enfrentando dias horríveis. Foto: Nesh Soni

Mas, por mais que um fotógrafo ame aquilo que faça, também tem dias ruins, assim como em qualquer outra profissão. Em artigo para o site Fstoppers, o fotógrafo Nesh Soni apresenta 5 dicas para enfrentar um dia ruim trabalhando como fotógrafo.

Resumo Fotográfico

“É importante que nós, como comunidade, aprendamos e ajudemos uns aos outros a sobreviver a dias ruins.”

Reconheça que as coisas podem dar errado

Segundo Soni, os dias ruins vêm em todas as formas e tamanhos: “tive uma noiva quebrando o braço durante o ensaio do casal, minha avó sendo diagnosticada com último estágio de câncer no um dia antes de um casamento de alto perfil, o carro de um cliente raspando a lateral de uma mercadoria.

Treinar em seu caminho para um local de filmagens estrangeiras, e eu ainda tive a sorte de ter lido alguns e-mails de clientes insatisfeitos pouco antes de começar outro ensaio.”

“A vida tem um talento incomum para jogá-lo fora do caminho de vez em quando ou a cada três semanas, se acontecer de você ser um fotógrafo profissional.

Assim, a primeira parte da solução está em reconhecer e aceitar que as coisas podem dar errado. Essa aceitação pode ajudá-lo a se concentrar em resolver seu estado de espírito e a tarefa em mãos, em vez de pensar em ‘por que isso está acontecendo comigo?’”

Tenha um parceiro

Soni afirma que pode parecer natural e intuitivo entrar em sua concha e não querer compartilhar seus sentimentos com mais ninguém em momentos de aflição. Mas há certas situações em que fazer o oposto pode ajudar muito a superar.

“Quando um ensaio não pode ser adiado ou cancelado e você sabe que dizer ao cliente pode não ajudar na situação, se possível, confie no seu segundo fotógrafo ou no seu assistente de iluminação. Explique sua situação para eles assim que puder e peça-lhes para ‘segurar o forte’ para você, se eles sentirem que você não está sendo engraçado/falante/espirituoso.”

Caso você não tenha um parceiro previsto para o ensaio, Soni sugere levar um amigo e apresentá-lo como seu assistente. “Compartilhar sua situação com alguém em quem você confia não apenas ajudará você a liberar algumas de suas emoções, mas também fornecerá a você um amigo de apoio que cuidará de você em momentos de aflição.”

Faça parte da comunidade fotográfica

“Há situações em que é impossível estar fisicamente no ensaio. Por exemplo, há alguns anos atrás, o médico do marido de uma amiga e fotógrafa disse que, dependendo do resultado de seus exames, ele poderia ter que fazer uma cirurgia no dia seguinte.

E ela deveria estar fotografando alguns retratos no dia seguinte que ela não podia cancelar. Para tais situações, uma rede de backup de amigos fotógrafos pode percorrer um longo caminho para cobrir você em momentos de extrema necessidade.”

Soni sugere entrar em contato com cinco fotógrafos da sua rede que você confia e que, preferencialmente, tenham um estilo parecido com o seu.

“Faça um pacto com eles: se surgir uma situação em que você absolutamente não pode fotografar e se eles estiverem disponíveis, eles cobrirão você e vice-versa. Felizmente, minha amiga fotógrafa tinha um arranjo semelhante e a cliente entendeu completamente sua situação. Então, ela sobreviveu naquele dia assustador e seu marido não teve que ir à cirurgia também.”

Crie rotinas e sistemas

Muitas vezes, os maiores problemas de ter um dia ruim envolvem a memória e concentração. Para combater isso, Soni destaca a importância de ter rotinas e sistemas. “Tenha bons hábitos de fotografia.

Se você costuma fotografar no local, crie uma lista de checagem de equipamentos para garantir que você não se esqueça de embalar algo que possa precisar durante o ensaio. Se você fotografa outros seres humanos para ganhar a vida ou a sua paixão, você pode criar sua própria fórmula para poses e iluminação.

Isso pode ajudar a manter a consistência do seu trabalho e ajudar você a produzir um bom conjunto de imagens, mesmo com um foco ligeiramente reduzido.”

“Um dos sistemas utilizados por muitos fotógrafos profissionais com grande eficácia é o planejamento de suas fotos: antes do seu ensaio, verificar sua localização, clicar em fotos de composições e molduras exatas com seu telefone, rastrear o clima e o sol (se aplicável), criar um ordem mental ou física de tiros, e use quaisquer outras idéias de planejamento que possam ajudá-lo a funcionar com capacidade inferior à ideal.”

Permita-se tirar uma folga

Às vezes, você pode fazer todo o planejamento e networking e, mas pode ser difícil gerenciar um dia realmente ruim. “Você pode até acabar cancelando seu ensaio! Faça o que fizer, lembre-se de não se criticar com algo que não pode controlar completamente e, assim que possível, comunique-se proativamente com todas as partes afetadas, explicando claramente as razões por trás de sua ausência.”

Fonte: https://bit.ly/2ZsOVLF

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia profissional nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)