DOIS GRANDES AMIGOS: HENRI CARTIER-BRESSON E ROBERT DOISNEAU

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, dicas de fotografia, Notícias.

fotografia sp, curso técnico de fotografia sp , focus foto , melhores cursos técnicos de fotografia sp, focus foto, curso de fotografia profissional sp   , aulas de fotografia sp,   curso de fotografia sp,   cursos fotografia em São Paulo, escola de fotografia sp,   aulas de fotografia sp, aulas de fotografia online, aulas vips de fotografia,    curso foto,  cursos de fotografia sp, Fotografia, escolas de fotografias sp, curso de fotografia sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografia sp, melhores cursos de fotografias Brasil, melhores cursos de fotografia SP,  aulas de fotografia, escola de fotografia sp, melhor escola de fotografia, curso de fotografia, curso de fotografia sp,

Bresson e Doisneau, dois grandes amigos

Texto: Christianne Fagioni Assunção, aluna da Escola Focus

Henry Cartier-Bresson começou como professor de fotografia de Robert Doisneau,  em seguida, ambos se tornariam dois amigos inseparáveis e dois grandes fotógrafos de rua, pioneiros do fotojornalismo moderno e suas fotografias preto e branco iriam  transcender os tempos e expectativas.

Cartier-Bresson (1908-2004) nasceu em Chanteloup, França. Em 1927 começou a estudar arte com André Lhote, chefe acadêmico do cubismo, em seguida aprofundou-se mais em arte e literatura na Universidade de Cambridge. No final de 1931, após uma viagem à África, Cartier-Bresson compra sua primeira Leica 35 milímetros. Teve uma rápida ascensão como fotógrafo, sendo considerado o pai da fotografia de rua e do fotojornalismo. Fez exposições e viajou por todo o mundo para trabalhar com vários fotógrafos. Ele também fez experiências com filmes e produziu vários documentários. Em 1940 foi feito prisioneiro de guerra pelos Alemães e só consegui escapar três anos mais tarde, na terceira tentativa. Depois disso Cartier-Besson voltou a trabalhar com fotografia e cinema. Em 1947, juntamente com Robert Capa, George Rodger, David ‘Chim’ Seymour e William Vandivert, fundaram a Magnum Photos, uma das primeiras agências de fotos do mundo. Em 1966 Cartier-Bresson saiu da Magnum e voltou a se dedicar ao desenho e à pintura. Em 2003, juntamente com sua família, criou a Fondation Henri Cartier-Bresson, em Paris, para preservar sua obra.

Robert Doisneau (1912-1994) nasceu em Gentilly, na França. Aprendeu o ofício de litógrafo, aos 15 anos, na Ecole Estienne entre a escola e o mundo do trabalho, desenhando rótulos farmacêuticos. Interessou-se por fotografia e aprendeu sozinho. Começou por fotografar a vida cotidiana sob orientação de Bresson e trabalhou seu caminho até tornar-se assistente de câmera e, em seguida, um fotógrafo industrial e de publicidade para a Renault, onde trabalhou até 1939. Doisneau também era freelance, fazendo fotografias de cartão postal. Durante a II Guerra Mundial ele trabalhou para a resistência fazendo falsificação de documentos. Em 1948, começou a trabalhar para a Vogue francesa, mas acabou retornando para o fotojornalismo e fotografias das ruas de Paris em 1951.

Cartier-Bresson utilizava em cada uma de suas fotografias a sua técnica do “momento decisivo”. Ele sempre estava pronto para fotografar tudo o que pudesse acontecer, e o fazia no momento perfeito. Suas fotografias são, geralmente, carregadas de sutilezas. Cartier-Bresson dizia que a lembrança de cada foto, tirada na mesma rapidez do acontecimento, permite, de certa forma, que o fotógrafo possa prever o que vai ocorrer no momento seguinte. Além disso, o fotógrafo deve ser sutil, e não deixar transparecer sua condição de intruso no acontecimento, aproximando-se sem ser percebido. Para ele os aspectos técnicos situam-se num plano secundário e o manuseio da câmera ser um ato reflexo, para não afastar o fotógrafo da realidade, do acontecimento, do verdadeiro problema.

Já o estilo de Doisneau era um pouco diferente. Suas fotografias são alegres, têm humor, sem julgamentos e que registram momentos pessoais das pessoas fotografadas e com naturalidade. Sua metodologia para fotografar se baseava em não planejar com antecedência sobre o que fotografaria. Em vez disso, apenas explorava a cidade ao seu redor, observava e ficava pronto para fotografar o que se pudesse ver. Para ele a técnica é um importante requisito, mas é só sua base. A compreensão cultural tem uma importância fundamental, pois a cultura é a moldura do conhecimento e compreensão da existência humana e comunicação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

About Robert Doisneau. Disponível em: <http://staleywise.com/collectio/doisneau/robertdoisneau.html>.

Cartier-Bresson and Doisneau. Disponível em: <http://byuinparis.blogspot.com.br/2009/11/cartier-bresson-and-doisneau.html>.

Henri Cartier-Bresson. Disponível em: <http://www.biography.com/people/henri-Cartier-Bresson-9240139>.

Os Profissionais: Herri Cartier-Bresson. Curso completo de fotografia. Ed. Rio Gráfica e Editira S/A. Vol 1. 1981.

Robert Doisneau. Disponível em: <http://blogcasadaphotographia.wordpress.com/galeria-2/mestres-da-fotografia/robert-doisneau/>

Robert Doisneau (1912-1994). Disponível em: <http://www.robert-doisneau.com/fr/robert-doisneau/>.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)