ENTENDA A QUALIDADE DA LUZ

em (11) 3107 2219, aulas de fotografia, aulas de fotografia online, curso de fotografia, curso de fotografia profissional sp, curso de fotografia sp, curso foto, curso fotografia focus, curso fotografias, cursos de fotografia online, cursos de fotografia sp, cursos vips de fotografia, Dicas & Tutoriais, escola de fotografia sp, escola focus, escola focus de fotografia, escolas de fotografia, escolas de fotografia profissional, escolas de fotografias sp, focus curso de fotografia, focus escola de fotografia, focus foto, focus fotografia, fotografia aula sp, fotografia cursos, fotografia escolas sp.

Qualidade da luz, tipo de luz, hora do dia, habilidades na fotografia, efeito tridimensional, aulas de fotografia sp, fotografia contemporânea, focus, escolas de fotografia sp, cursos de fotografia sp, focus escola de fotografia, cursos de fotografia online, cursos de fotografia profissional, aulas individuais de fotografia, melhores escolas de fotografia do Brasil,

A variação da luz durante o dia

As pessoas costumam a nos perguntar durante as aulas: “qual é o melhor horário para tirar fotos ao ar livre?” Essa é uma das poucas perguntas que não tem uma única resposta.

As opiniões variam. No entanto, identificar os tipos de luz que prevalecem a cada hora do dia – e como usar essas condições de iluminação diferentes – é uma das maiores habilidades na fotografia.

Os horários preferíveis para fotografar costumam ser no fim da tarde ou bem cedo pela manhã. Apesar de aposição do sol estar baixa no céu nesse dois horários, o processo da fotossíntese cria uma paleta de cores bem diferente em cada um deles. A fotossíntese é o processo químico que deixa as folhas e a grama verdes em reação ao sol. Mas as partículas de poeira no ar também reagem a ele. Pela manhã são sensíveis, mas ficam mais escuras ao longo do dia.

No início da manhã, a luz é branca, limpa, e proporciona cores vivas e vibrantes. Já no fim da tarde ou ao anoitecer, a luz fica mais quente e suave. E o ângulo baixo do sol cria sombras longas e fortes. Por isso é um horário ideal para fotografar na contraluz. Colocando o sol atrás do objeto e usando um refletor ou em pequeno flash de preenchimento, é possível produzir retratos com um brilho dourado ao redor da imagem, com um efeito quase etéreo.

Uma boa maneira de descobrir sozinho o efeito da luz em horários diferentes do dia é ir a algum lugar bonito perto da sua casa bem cedinho pela manhã e fazer umas fotos. Registre exatamente a mesma imagem ao meio-dia e mais uma vez ao anoitecer. Compare as fotos e você verá como a luz muda em horários diferentes do dia.

O pior horário para fotografar, sem dúvida, é ao meio-dia. O sol está  apino e cria sombras profundas e definidas que você precisa controlar. Mais uma vez, o flash de preenchimento ou um par de refletores pode ajudar a dar conta das sombras criadas pela luz alta e implacável.

Dias úmidos e encobertos também podem produzir imagens que prendem a atenção se forem bem-feitas. Uma praia cheia de pedras com ondas quebrando pode ficar espetacular com um céu cinzento e ameaçador como pano de fundo. Uma pessoa olhando através de uma janela molhada de chuva pode evocar muitas sensações diferentes. Imediatamente depois de uma tempestade, adoro a luz que se filtra através das nuvens escuras que vão se afastando. Esses raios de sol são capazes de iluminar a paisagem como grandes holofotes.

A luz é essencial para fotografia. E aprender as maneiras diferentes como ela se comporta nos diversos horários do dia (e em cada mês do ano) é uma habilidade essencial para que você se transforme em um fotografo de sucesso.

Eis aqui algumas dicas básicas:

  • No inicio da manhã, quando o sol ainda está baixo no céu, a luz é limpa e branca. Esse é um bom horário para fotos de paisagens porque o comprimento extra das sombras adiciona efeito tridimensional a suas fotos.
  • Ao meio-dia, quando o sol incide direto do alto, as sombras são curtas e fortes. Fazer retratos fica particularmente difícil porque é necessário utilizar flash de preenchimento ou refletores para suavizar o efeito das sombras.
  • O fim da tarde traz uma luz quente e difusa com sombras longas e suaves. É um horário ideal para a maior parte dos tipos de fotografia.
  • A luz é dinâmica. Planeje a sua fotografia de acordo com ela. Se você enxergar uma foto, mas a luz estiver “dura” demais, espere para ver se as condições melhoram. Provavelmente melhorarão, assim como a sua foto.

Gostou? Veja + no Blog da Focus: http://focusfoto.com.br/blogs/  

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: cursos@focusfoto.com.br

 Seja fotografo regulamentado
Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional

 Referência em ensino de fotografia
“Faça bem feito, faça Focus! – Desde 1975” 

Sobre o autor

AS MATÉRIAS APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR DAS AULAS DE TODAS AS MODALIDADES DE CURSOS MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br Por meio desse conteúdo, você já pode ter uma referência do perfil do profissional que colocamos no mercado de trabalho. A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 300 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo NOS CURSOS DA FOCUS, em menos de 4 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO MTB DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 43 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e ORGANIZADOR DO BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado 17/01/2017)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)