EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS

em Uncategorized.

Equipamentos, acessórios, missão fotográfica, aventura frustrante, equipamento necessário, paisagens, cursos de fotografia, Focus escola de fotografia, aulas de fotografia, cursos de fotografia, escolas de fotografia, escola focus, escola de fotografia, curso de fotografia profissional, aula de fotografia, curso fotografia, editor de fotos

Estar bem preparado é essencial para que a missão fotográfica não se transforme em uma aventura frustrante

Ed Case

 Isso significa que não basta estar com o equipamento necessário, você também precisa utilizar roupas e calçados adequadas, que garantam seu conforto e sua segunda durante a empreitada. Vejamos alguns itens essenciais para quem deseja fotografar paisagens.

  • Câmeras: qualquer câmera pode ser utilizada, desde uma simples pinhole até uma avançada digital de 16 megapixels. No fundo, o mais importante é estar no lugar certo, na hora certa e contando com a luz ideal. Se isso acontecer e você souber utilizar corretamente o equipamento disponível, pronto! Pode ser uma câmera compacta, um SLR de filme ou digital, uma de médio formato ou até uma de grande formato, por que não? Cada equipamento possui suas peculiaridades e, sabendo delas, o fotografo pode tirar o máximo proveito de cada oportunidade. Um tipo de equipamento muito interessante para fotografar paisagens, ainda pouco conhecido no Brasil, é a câmera panorâmica, capaz de registrar uma cena com uma extensão maior do que a usual.
  • Objetivas: ao fotografarmos paisagens, precisamos ter em mente a sensação de espaço e de profundidade que pretendemos transmitir. A partir daí, podemos escolher qual ou quais objetivas deverão ser utilizadas. Lentes grande-angulares são perfeitas para fotografarmos cenas panorâmicas, cobrindo um maior ângulo de visão e incluindo uma maior área da cena na foto. Em contrapartida, teleobjetivas podem ser uteis para capturarmos detalhes ou áreas restritas da paisagem que transmitam um maior impacto. Hoje em dia, muito fotógrafos preferem utilizar objetivas zoom pela praticidade que elas oferecem. Há modelos que possuem distancias focais que variam de 24 e 28 mm até 200 ou 300 mm e que, por conta da avançada tecnologia empregada em sua construção oferecem boa resolução e reduzida distorção de imagem.

Enquanto objetivas grande-angulares costumam causar uma sensação maior de perspectiva e profundidade, distanciando os elementos visíveis, teleobjetivas criam uma sensação de maior proximidade deles, causando um certo “achatamento” na perspectiva. Esses são aspectos muito importantes a serem considerados no momento da composição final, já que alteram completamente o resultado das fotos.

  • Tripé: para os que desejam levar realmente a sério a fotografia de paisagens, um bom tripé é indispensável. Enquanto um estável e prático pode ser a glória, um não muito estável pode ser completamente inútil, conforme as condições do solo e do vento, por exemplo. Existem modelos que, apesar de mais caros, são leves e extremamente confiáveis, tornando a tarefa de carregar o equipamento menos árdua. Dependendo da distancia percorrida, isso pode representar um grande alívio, fazendo valer cada centavo investido. Um acessório útil que pode ser utilizado com um tripé é um disparador via cabo ou controle remoto, que evita contato físico com a câmera e reduz a chance de ela tremer durante a exposição. Uma das grandes vantagens de utilizar esses acessórios é poder usar aberturas de diafragma reduzidas, aumentando a profundidade de campo e conseguindo-se foco em uma área maior da cena fotografada.
  • Filtros: em algumas ocasiões, filtros podem ser muitos úteis para tornar suas fotos de paisagens ainda mais atraentes. Eles proporcionam um modo simples de alterarmos algumas variáveis, como exposição e cor da imagem; e utilizá-los pode ser bastante interessante e compensador. Embora atualmente existam vários filtros apropriados, alguns são considerados como básicos ou até essenciais para fotógrafos de paisagens. O polarizador e o UV são os mais utilizados, mas existem outros bastante úteis também, como o graduado com densidade neutra e o laranja, que “aquece” a cena.

Quando fotografarmos com o sol posicionado a um de nossos lados, rotacionando o filtro polarizador, podemos clarear ou escurecer o azul do céu, causando maior ou menor destaque deste em relação ao primeiro plano e ás nuvens, quando elas estiverem presentes. Outro efeito proporcionado por filtros polarizadores é o de eliminar ou reduzir reflexos em superfícies não metálicas, como água e vidro, por exemplo.

Nas fotografias em preto e branco, filtros coloridos, como o amarelo, o laranja e o vermelho, servem para escurecer o tom do céu. Mas lembre-se sempre de que, se utilizados exagerada ou inadequadamente, eles podem até comprometer suas fotos. Portanto, utilize-os sempre com bom senso.

  • Mochila: Além de manter seu equipamento longe da água e da poeira, uma boa mochila pode tornar sua movimentação muito mais agradável e confortável, deixando suas mãos livres para manusear a câmera, os filtros e o tripé, por exemplo.
  • Outros: Esteja sempre bem preparado, leve pilhas e filmes de reserva (ou cartões de memória, se for o caso, para não correr o risco de perder ótimas oportunidades fotográficas por faltar algum deles.

Um bloco de anotações também pode ser útil, para registrar informações sobre os locais, os horários e as condições da foto.

Fonte: https://goo.gl/YiwrGC

Aproveite para rever mais dicas nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)