Fotografias de tribos de diversas partes do mundo inspiram obra de Desirée Pollano

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

fotografias de tribos, partes do mundo, artista plástica, artes,antropóloga,injustiças, desigualdade,Curso fotografia  são Paulo, Escolas de fotografia sp,  melhores escolas de fotografia sp, escola focus, enio leite, aulas de fotografia,  cursos de fotografia em sp, curso de fotografia para casamentos,cursos de fotografia online, curso de photoshop, aulas de fotografia sp, focus fotografia curso sp, melhor curso de fotografia sp, cursos de fotografia focus,  escolas de fotografia sp, melhor curso de fotografia Brasil,  curso fotografia são paulo, curso de fotografia em Santos, cursos de fotografia zona sul sp, melhor curso de fotografia do Brasil, , focus foto, melhores escolas de fotografia  Brasil, curso técnico de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia sp , melhor escola  de fotografia profissional  sp , aula de fotografia sp,  curso de fotografia profissional,        ,   cursos fotografia São Paulo, escola de fotografia sp,   fotografia focus são Paulo,  fotografe melhor,

Artista plástica abre amanhã, no Ponto d’Arte, em Florianópolis, a mostra “Povos, línguas e nações”

Desirée Pollano tirou inspiração para novo trabalho nas fotografias de Jimmy Nelson

O trabalho do fotógrafo britânico Jimmy Nelson foi o responsável por trazer de volta à artista plástica Desirée Pollano a inspiração para pintar. Desde 2010 longe das tintas e pincéis, já cansada de retratar os tucanos que marcaram sua carreira nas artes, ela descobriu por acaso o projeto “Before they pass way” (“Antes que eles desapareçam”, em tradução livre), em que Nelson registrava culturas tribais de diversas partes do mundo.

A admiração pelas fotografias da expedição foi tanta que Desirée resolveu, sem pretensões, reproduzir uma das imagens em tela. O resultado foi tão positivo que ela levou a ideia adiante e hoje já conta com 11 peças inspiradas pelo trabalho do fotógrafo. A partir de amanhã, elas estarão expostas do espaço Ponto d’Arte, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, na mostra “Povos, línguas e nações”.

“Algumas tribos fotografadas pelo Jimmy Nelson vivem como se ainda estivessem na pré-história. Achei tão interessante e inicialmente resolvi pintar só de brincadeira. Estava cansada dos tucanos, não queria arte abstrata e não tinha pintado pessoas antes”, conta a artista. Um dos diferenciais do trabalho é curiosamente o fundo de cada tela, que em vez do tradicional branco traz tecidos com diferentes estampas, inclusive de oncinha. “A minha arte é para vender e combina com qualquer decoração”, afirma.

Desirée chegou a convidar Jimmy Nelson para a exposição, explicou a inspiração tirada das fotografias, mas por ser muito ocupado e viver na estrada ele lamentou não poder comparecer.  De acordo com a artista, a expedição provocou nela a mesma a vontade de sair por aí fotografando os diferentes povos que habitam nosso planeta. “Eu sou um pouco antropóloga, especulo muito sobre tudo, as injustiças do mundo, a desigualdade, quem sabe um dia não vou lá fotografar também? Tenho vontade de fazer uma expedição assim, mas precisa ter muita força de vontade e não sei se estou preparada”, diz.

Aprovação inesperada

Junto com as telas, Desirée resgatou a época em que era estilista de Barbies e reproduziu cada personagem pintado também nas bonecas, que vão para casa dos compradores junto com cada obra. Para trazer ao público um pouco do que sentiu ao ver pela primeira vez o trabalho de Jimmy Nelson, cada peça trará também uma explicação, relatando de onde são e quais são os costumes das tribos retratadas.

O plano da artista no momento é dar continuidade à produção, que teve uma aceitação surpreendente, com interesse inclusive de publicações especializadas, segundo ela. “Eu não esperava que fosse conquistar tanto as pessoas. Na exposição serão somente 11 telas porque só tem espaço para isso, mas eu faria muito mais”, afirma.

Desirée faz parte do coletivo de 18 artistas que comandam a galeria Pondo d’Arte, onde a cada 15 dias abre uma nova exposição individual de um de seus integrantes.

Serviço

O que: exposição “Povos, línguas e nações”, de Desirée Pollano

Quando: 8/5, 20h, aberta à visitação até 20/5

Onde: espaço Ponto d’Arte, rua Afonso Delambert, 103, Lagoa da Conceição, Florianópolis

Quanto: gratuito.

Fonte: http://goo.gl/8XHrFL

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)