Fotógrafo conheça o espaço de cores: Adobe RGB vs. sRGB

em Uncategorized.

Espaço de cores, Adobe RGB, sRGB, gamut, reprodução mecanica, livro, CMYC, Cyan, Magenta, Yellow, Black, laboratório fotográfico, monitores, Arquivos RAW, softwares, arquivos jpegs, backuo, fluxo de trabalho, melhores cursos de fotojornalismo do Brasil, cursos de fotografia santos sp, cursos de fotografia zona leste sp, melhores escolas de fotografia sp, aulas de fotografia sp, dicas de fotografia, melhores escolas de fotografia do Brasil, enio leite, escola focus de fotografia, melhor curso de fotografia de book sp, melhores cursos de fotografia de estúdio sp, melhores cursos vips de fotografia sp, melhor curso de fotografia para profissionais, cursos de photoshop, melhores cursos de fotografia do Brasil, melhores aulas de fotografia online, fotografia aula sp, focus fot , curso de fotografia sp, melhor curso de fotografia do mundo, aulas de fotografia sp, melhores cursos de fotografia sp, melhores escolas de fotografia Brasil, cursos de fotografia zona sul sp, notícias sobre fotografia, focus foto, curso técnico de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia sp, melhores escolas de fotografia de moda sp, melhor curso de fotografia profissional sp, curso de fotografia sp, curso de fotografia, focus, fotografia, focus fotografia, escola focus, aulas de fotografia profissional, aulas cursos online de fotografia, aulas vips de fotografia, melhores escolas de fotografia no Brasil, melhores cursos de fotografia no Brasil, Curso de fotografia, curso de fotografia sp, curso foto, cursos de fotografia sp, Fotografia, escolas de fotografias sp, curso de fotografia sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografia sp, melhores cursos de fotografias Brasil, melhores cursos de fotografia SP, aulas de fotografia, escola de fotografia sp, melhor escola de fotografia, curso de fotografia, curso fotografia, melhor escola de fotografia no Brasil, melhor curso de fotografia no Brasil, enio leite, escola focus, cursos profissionalizantes de fotografia sp, curso profissionalizante de fotografia sp,

Uma pergunta frequente em minhas aulas e workshops é: “Em que espaço de cores devo configurar minha câmera?” A resposta é: “Depende do propósito que estiver fotografando”. Não é uma saída pela tangente, é a verdade em termos digitais.

Sua câmera oferecerá pelo menos duas escolhas, Adobe RGB (1998) e sRGB  (standart sRBG). Ambas são viáveis, mas existem diferenças que você deve estar ciente. Adobe RGB (1998), que iremos denominar simplesmente RGB, é um espaço de cores amplo (também chamado “gamut”), que é capaz de gravar mais cores do que o sRGB, um espaço de cores menor. Á primeira vista, você pensaria que RGB seria a melhor forma, certo? Não é melhor ter mais cores do que menos? É, se seu trabalho estiver sendo produzido por reprodução mecânica, como um livro. Veja, quando algo como um livro é produzido, as imagens que aparecem nele são convertidas para outro espaço de cores, CMYK (Cyan, Magenta, Yellow e Black), que é ainda menor do que possíveis à disposição antes da conversão, para o espaço menor “veja” o maior número de cores possível.

O sRGB é usado para imagens que serão enviadas para um laboratório, para impressões 20x25cm, 12×18 cm, 10 x 15 cm ou seja qual for. As impressões usadas pelos laboratórios são sRGB, incapazes de ver a faixa de cores RGB completa, muito menos reproduzi-la. A máquina pode não reconhecer um arquivo RGB e um operador terá que converter manualmente as imagens para sRGB antes de enviá-las para a impressão. Alguns laboratórios cobram por esse serviço.

A internet também é um dispositivo sRGB. Imagens postadas na web devem ser sRGB ou elas aparecerão chapadas  e levemente descoloridas ou desbotadas.

A menos que você possua um dos muitos seletos e caros monitores feitos para o espaço de cores RGB, você não poderá ver cores extras. Seu monitor é um dispositivo sRGB e não pode ver além dessas cores, mesmo que você fotografe arquivos em RGB. O ponto principal é que não há nada de errado com a extensão sRGB e, se você fotografar para ter suas fotos penduradas na parede ou emolduradas, sRGB é a extensão que você deve usar.

Formatos de arquivos: RAW vs. JPEG

Quando você fotografa em RAW, você cria uma reprodução digital para um filme negativo. Todas as informações disponíveis para a câmera são armazenadas nesse arquivo. Arquivos RAW não podem ser impressos; eles devem ser processados com softwares como o Photoshop, Lightroom ou com o outro criado pelo fabricante da câmera. Para a maioria da aplicações, o software do fabricante é melhor porque foi projetado para arquivos criados para uma marca de câmera específica. Softwares como o Photoshop, mesmo que façam um bom trabalho, são genéricos o suficiente para processar arquivos de todos os fabricantes e podem então trabalhar com os fatores comuns a todas as câmeras.

Por outro lado, JPEGs são criados para serem processados logo no ato de sua captura, sendo gravados já prontos no cartão de memória. Uma vez que estiver feito, suas opções são limitadas – já que todas as decisões importantes foram tomadas por você através da maneira com o você ajustou a câmera.

Isso significa que JPEG é ruim? De jeito nenhum. Controle a exposição e os parâmetros de iluminação e o JPEG fará um trabalho maravilhoso para você sem a necessidade de trabalho extra.

Apesar de arquivos RAW conterem mais informações e latitudes de exposição do que os JPEG, eles exigem mais trabalho de você, e esse é o ponto principal. Veja aqui um opção fácil para contornar o problema: se você achar que uma foto dará problemas ou se achar que não tem controle sobre a situação, fotografe em RAW e JPEG ao mesmo tempo. Quando você carregar os arquivos no seu computador, dê uma olhada no JPEG primeiro. Se suas fotos estiverem de acordo, grave tudo em um disco para backup e trabalhe somente com o JPEG. Você terá os arquivos RAW, caso precise.

O bom de fotografar arquivos JPEG controlados é que você pode capturar diretamente para as provas, sem nenhum tempo de processamento adicional, e fazer ajustes menores mais tarde, depois que as impressões e álbuns forem pedidos e o dinheiro estiver na mesa.

Escola de Fotografia – Desde 1975: http://focusfoto.com.br
Conheça os cursos da Focus:
http://focusfoto.com.br/cursos/
Fale com a Focus: 
[email protected]
Veja  Ultimas Noticias sobre Fotografia:
http://focusfoto.com.br/blogs/

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Comentários

  1. José Ferreira de Oliveira -

    Gostei muito das dicas sobre o espaço de cor RGB e sRGB assim como fotografar em JPG e RAW as informações são muito bôas.
    Parabéns.

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)