Fotógrafo: diga-me onde andas e eu te direi o quanto vendes

em Artigos e Entrevistas.

 internet, meio de comunicação, nichos específico, fotografia profissional, Fine Art, casamento, Esporte Preto e Branco, Lomo, Facebook, Twitter, fóruns, comunidades de fotógrafos, redes sociais, (11) 3107 2219, cursos técnicos de fotografia, curso profissionalizante de fotografia em sp, cursos profissionalizantes de fotografia em sp, fotógrafo, quanto vale o seu trabalho?,   focus fotografia, cursos profissionalizantes de fotografia, escola de fotografia para profissionais, escola profissionalizante de fotografia, escola focus foto, Cursos de fotografia profissional, Escolas de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia  sp , fotografia, curso de fotografia, focus,escola focus, focus fotografia, focus escola de fotografia, notícias de fotografia, cursos de fotografia, curso+de+fotografia, dicas de fotografia, curso de fotografia sp, curso de fotografia em sp,  cursos de fotografia sp, escolas de fotografia sp, melhores escolas de fotografia sp,  enio leite, escola focus, cursos de fotografia zona sul sp, melhor curso de fotografia do Brasil, cursos de fotografia zona leste sp, cursos de fotografia zona oeste sp, cursos de fotografia zona norte sp, cursos de fotografia zona sul, cursos de fotografia em Santos,   focus foto, melhores escolas de fotografia sp, curso de fotografia profissional sp , focus foto , aulas de fotografia sp,      curso de fotografia sp ,     cursos fotografia São Paulo, escolas de fotografia sp,   cursos de fotojornalismo, cursos de fotografia para casamentos,

Redes Sociais

Eduardo Becker

A internet proporciona um meio de comunicação sem limites entre toda e qualquer pessoa que esteja conectada. 

É possível obter informações e contatos virtualmente com qualquer pessoa ou negócio do planeta. Em meio a essa infinidade de informações, observa-se a formação de nichos específicos de pessoas atraídas por um mesmo assunto. Não seria diferente, com a fotografia. Com alguns segundos de busca, pode-se encontrar sites em todos os nichos da fotografia profissional, amadora, artística e em todas as suas subdivisões como Fine Art, Casamento, Esporte, Preto e Branco, Lomo, etc.

É natural portanto que o fotógrafo ocupe boa parte de seu tempo navegando por sites de seu interesse. Uma das decorrências desse comportamento é a reunião de fotógrafos em guetos como fóruns, Facebook, Twitter e tantas outras comunidades que estão à distância de meia dúzia de cliques.

Assim, nas minhas andanças pela internet, vejo um número considerável de fotógrafos que emprega boa parte do seu tempo – que é um recurso escasso por definição – em fóruns e comunidades de fotógrafos. Nada contra e muito pelo contrário. Conhecer os últimos lançamentos tecnológicos, obter uma dica preciosa para fazer aquela foto difícil, saber de antemão os novos concursos, feiras e exposições e fazer amigos, são coisas válidas e desejáveis para qualquer praticante de fotografia.

Mas, se você decidiu-se pela fotografia como meio de vida, aquela atividade que coloca o arroz com feijão na sua mesa e paga a escola dos seus filhos, já se perguntou o quanto esse tempo empregado em comunidades fotográficas tem contribuído para o incremento de suas vendas? De todas as pessoas com as quais você está conectado, quantas delas trouxeram efetivamente novos negócios para você? E se trouxeram qual o valor financeiro do caixa gerado dividido pela quantidade de tempo que você empregou dedicando-se a comunidades de fotógrafos na internet? Colocado assim pode parecer algo frio e impessoal, mas estamos falando de negócios, de faturamento e de sobrevivência. Afinal, temos que pagar as contas no fim do mês.

Uma vez que o tempo é um recurso que não pode ser multiplicado, deveríamos utilizá-lo da maneira possível e em benefício de nosso faturamento. Não estou, de forma alguma, sugerindo que deveríamos largar os amigos e cair de cabeça no capitalismo selvagem. Mas é triste ver inúmeros fotógrafos com um trabalho de qualidade reclamando que não conseguem vender o seu trabalho, e para isso dão uma série de justificativas. Uma hora é aquele sobrinho do cliente que faz foto de produto cobrando uma miséria por clique, outra hora é aquele fotógrafo que quer entrar no mercado e joga o preço nas profundezas abissais, e outra ainda é aquele fotógrafo que parou no tempo e fica o tempo todo reclamando que os clientes sumiram e ele não tem a menor ideia do por quê. Justificativas não trazem faturamento – ações trazem.

Além de proporcionar lazer, a internet é uma ferramenta fantástica para promoções, marketing e networking que se, usada adequadamente, pode converter seu tempo em dinheiro. Basta para isso que você frequente as comunidades certas. Perceba que frequentar comunidades de fotógrafos pode te trazer muita coisa, menos faturamento. Afinal, de certa forma, eles são seus concorrentes. Se você vende fotografia de casamento, porque então não começar a frequentar comunidades que tratem do assunto. Que tal fazer um site ou blog que oriente noivas e noivos sobre assuntos relacionados ao grande dia? Se você fotografa esporte, o que acha de começar a frequentar as mesmas comunidades que o seu comprador de foto esportiva frequenta?

Estar no lugar certo e na hora certa, não é obra do acaso. Você tem que entender quem é o seu cliente, do que ele gosta, que comunidades ele frequenta, quais são seus anseios, dúvidas e necessidades. Sabendo disso, você poderá gerar informação útil de forma a motivar seus clientes a frequentar seu blog, Twitter, Facebook, etc. Isso ajudará você a se tornar conhecido e lembrado na hora em que aquele cliente precisar de serviços fotográficos.

Quando acabar de ler este artigo, sugiro que vá até sua página no Facebook,  e Twitter, e dê uma olhada em quem está na sua comunidade. Veja também nos seus Favoritos que fóruns você frequenta. Numa rápida olhada você será capaz de dizer o quanto seu networking contribui para o seu faturamento.

Então, na próxima vez que você procurar um fórum para participar, lembre-se que essa participação irá ocupar uma parte do seu tempo. Melhor seria que você pudesse converter esse tempo em novos negócios. Então, se quiser aumentar seu faturamento, frequente as comunidades certas.

Fonte: http://goo.gl/EkSldx

FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975: http://focusfoto.com.br
Conheça os cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/
Fale com a Focus: [email protected]
Veja  Ultimas Noticias sobre Fotografia: http://focusfoto.com.br/blogs/  

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 15/08/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)