Franceses levam "magia" da fotografia a região remota do Afeganistão

em Dicas & Tutoriais, Notícias.

Afeganistão urso de fotografia sp focus escola focus enio leite focus fotografia curso fotografia online curso de fotografia sp escola focus fotografia cursos de photoshop melhor escola de fotografia sp assistente de fotografia tratamento de imagem instagram http://focusfoto.com.br focus foto

Os fotógrafos franceses Fabrice Nadjari e Cedric Houin (que usa o nome artístico de Varial), fizeram retratos de moradores do Corredor Wakhan, uma estreita faixa ao nordeste do Afeganistão

A região fica entre as cordilheiras de Pamir e Hindu Kush e faz fronteira com China, Tadjiquistão e Paquistão.

Com o projeto “Traces of Time” (Vestígios do Tempo, em tradução livre), os fotógrafos queriam interagir com os fotografados. Fabrice e Varial levaram 200 filmes instantâneos para viagem com a ideia de dar algo em troca para as pessoas de Wakhan.

“Era incrível quando as presenteávamos com as fotos, especialmente para aquelas que nunca haviam visto a sua própria imagem”, disse Nadjari à BBC Brasil.

O clima rigoroso e a alta altitude da região foram marcantes para o projeto. Quando fotografavam, era necessário aguardar de dez a quinze minutos para ver a imagem. Porém, elas sofriam degradação rapidamente. “Isso foi a primeira impressão que tivemos com a natureza de lá deixando seu rastro e queríamos também deixar o nosso”, diz Nadjari.

Os franceses decidiram que as fotografias instantâneas seriam coloridas e o retrato geral seria em branco e preto. “Nós queríamos brincar com a noção do tempo e fazer o presente parecer o passado e o passado parecer o presente”, afirma Varial.

“As imagens coloridas parecem ter sido feitas há décadas atrás, na década de 60 ou 70, no início da fotografia colorida. Já as em preto e branco parecem ser mais antigas ainda, poderiam facilmente terem sido feitas no começo da fotografia em preto e branco.”

“Essas pessoas são suspensas no tempo. As descrições de Marco Polo no século 13 sobre as pessoas da etnia Wakhi ou nômades são as mesmas que podem ser feitas hoje, pouca coisa mudou em 600, 700 anos.”

Para chegar a Wakhan, os fotógrafos precisaram de quatro vistos, porque passaram por regiões que não são controladas pelo governo afegão. “Não foi possível passarmos por Cabul, pois teríamos que atravessar toda a zona de guerra. Duas ou três vezes ao dia éramos abordados por diferentes grupos de guardas, às vezes até soldados, em uma parte do corredor”, relembra Nadjari.

A primeira parte do corredor foi percorrida de carro. “Em dois dias, fizemos apenas 100 quilômetros. Quando chegamos na última vila, não podíamos mais continuar de carro então caminhamos por mais 25 dias. Quase não encontramos ninguém no caminho, apenas alguns Wakhi com suas cabras e poucas tribos quirguizes. Elas são comunidades muito pequenas, praticamente só uma família com algumas gerações vivem juntas”, disse Varial à BBC Brasil.

Fabrice e Varial eram melhores amigos durante a infância em Paris, mas perderam contato quando Varial mudou-se com os pais aos 9 anos. Em 2010, 23 anos depois, os dois, baseados em Nova York, se reencontraram pelas redes sociais e decidiram fazer uma viagem para celebraram o encontro e trabalharem juntos em um projeto.

Conheça mais sobre o projeto de Nadjari e Clique Varial no site:
Clique http://www.wakhan-anotherafghanistan.com

Fonte: http://goo.gl/LZuQJ

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)