FUNDAMENTOS DA FOTOGRAFIA COM FLASH

em Equipamentos.

A fotografia com flash pode ser intimidadora

Muitos fotógrafos utilizam apenas a luz disponível e limitam suas sessões ao ar livre aos momentos em que a iluminação está simplesmente certa.

Isto é muito limitante! A luz disponível é simplesmente isto – a luz que você tem. Se acontece de isso ser um Speedlite 600EX ou 600EX-RT da Canon, ótimo. Se ocorre de ser sol, ótimo também. Se a iluminação disponível for uma combinação de um Speedlite e sol, isto também é incrível. O objetivo é ter controle criativo e não ser refém das condições de luz existentes. É estimável desenvolver as habilidades e a confiança necessárias para criar a luz necessária quando você precisa

Este artigo ajuda a desmistificar a fotografia com flash e encoraja você experimentar.

Invista tempo para desenvolver as habilidades de incorporar os Speedlites com eficiência em sua fotografia. Aprender como utilizar Speedlites e flashes é um recurso tremendo, tanto criativa quanto financeiramente.

FLASHES DE ESTÚDIOS OU SPEEDLITES?

Os sistemas de iluminação de estúdio dividem-se em duas categorias – iluminação contínua e flashes. Aqui eu me concentro principalmente na iluminação por flash. Utilizando Speedlites ou flashes de estúdio, a iluminação por flash. Utilizando Speedlites ou flashes de estúdio0, a iluminação com flash é conveniente porque a potência de luz pode ser ajustadas em incrementos específicos e modelada com diversos modificadores.

Além disso, os flashes podem congelar movimentos, podem ser disparados remotamente, e às vezes podem disparar os watts por segundo necessários para superar o sol.

As luzes contínuas, como os fluorescentes, HMI (Hidrargyrum Medium-arc-lenght Iodide) e as lâminas quentes, são ótimas adições à qualquer equipamento de estúdio e merecem uma breve menção. Tenha em mente que a qualidade da luz produzida pelas fontes contínuas é diferente daquela produzida por Speedlites e flashes. A luz contínua pode, em determinadas situações, contrair as pupilas dos olhos do modelo. Isto pode ser facilmente remediado no pós-processamento, mas é algo para se ter em mente, visto que as pupilas maiores são consideradas mais atraentes. Não me entenda mal – eu adoro as luzes contínuas por diversos motivos.

As Spiderlites fluorescentes da F.J. Wescott produzem uma maravilha luz clara e suave. As luzes quentes incandescentes e HMIS podem ser bem utilizadas para produzir retratos dramáticos lembrando o estilo hollywoodiano dos anos 40, tornando famoso por George Hurrel. Elas são ótimas para o tipo de situação onde você quer uma iluminação em que seja possível “enxergar o resultado”. Outra vantagem é que você não precisa esperar o equipamento reciclar como acontece com flashes e Speedlites, e como eles não disparam, é mais fácil para alguns retratados reagirem mais naturalmente.

Há três tipos principais de sistema de iluminação por flash que você deve considerar antes de começar a equipar seu estúdio e comprar equipamentos. O primeiro e mais poderoso é o sistema com fonte e tocha, que inclui tochas individuais conectadas por cabos em uma única unidade de força. Para este tipo de flash eu utilizo uma fonte Profoto e ouros sistemas aceitam uma grande variedade de modificadores de luz, como sofftboxes, colmeias e snoots, disponíveis e adequados para o dia a dia no estúdio ou uma locação. Entretanto, quando comparado com Speedlites, tendem a ser muito grandes. Até mesmo estas unidades que funcionam por bateria podem ser desconfortáveis quando se trabalha sozinho. Um novo item dessa categoria que merece ser mencionado é o Rager Quadra, da Elinchrom. Com 400 watts por segundo, alimentado por bateria extremamente portátil, está unidade um versátil híbrido entre os Speedlites e os flashes mais potentes.

NOTA

O watt por segundo é uma unidade de energia, igual à potência em watt despendida por segundo. Ela é precisamente igual a um Newton ou Joule. O nome joule é utilizado para outros dispositivos que não flashes fotográficos. Mantendo-se iguais as outras variáveis, o dobro de watts por segundo significa o dobro de luz. Em outras palavras isto lhe dá 1 ponto a mais de exposição.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia com flash nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975:  https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

#amazon #Marketing  #dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   #TCC  #CursoFotografiaEAD

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: G1 - 12/03/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)