ISSO É FOTOJORNALISMO?

em Notícias.

fotojornalismo, focus escola de fotografia, focus fotografia, escola focus, cursos de fotografia, aulas de fotografia, focusfoto
Série de um fotojornalista italiano teve forte repercussão negativa mundial por explorar a pobreza

Fhox

Alessio Mamo é um
fotógrafo italiano que atua na Sicília e que nas últimas 24 horas viu seu nome
no meio de uma forte polêmica. Mamo teve a série “Dreaming Food” publicada no
Instagram da celebrada World Press Photo.

Na verdade, uma ação em
que ele assumiu o controle da conta para publicar seus trabalhos. A organização
contratou o fotojornalista para mostrar sua série e a partir daí pegou muito
mal. Mamo foi convidado depois de ganhar um prêmio no concurso da World Press
Photo. Uma foto que ele fez no Iraque.

O problema é que a série
Dreaming Food (sonhando com comida) mostra moradores da Índia cobrindo os
rostos na frente de uma mesa repleta de comidas. Detalhe: todos os alimentos
são falsos.

A ideia do projeto surgiu
depois que o fotógrafo pesquisou sobre o desperdício de comida no Ocidente.
“Trouxe comigo uma mesa e comida falsa e disse às pessoas que sonhassem com
alguma comida que gostariam de encontrar na mesa”. A região que ele visitou é
rural e sofre com desnutrição e pobreza extrema.

A encenação gerou fortes críticas questionando o comportamento ético e o limite de uma ideia que para muitos é exagerada e bizarra. Na Índia, fotojornalistas e a população criticaram fortemente o comportamento de Mamo. Definindo a ação como fotojornalismo pobre e desumano.

O italiano respondeu que essa era justamente a intenção. “representar de maneira estereotipada a paisagem da região e reforçar o conceito. Talvez eu tenha feito algo errado, antiético. Mas o conceito era problematizar o desperdício de alimentos nesse local”.

 Mamo evitou a imprensa e só respondeu
comentários exaltados nas redes sociais. O caso apareceu em destaque em sites
como o jornal britânico The Guardian e outras publicações respeitadas do mundo.

“Os jornalistas têm a obrigação de transmitir informações em contextos reais. Colocar comida falsa e o que parece ser comida ocidental e álcool além de encenar cobrindo rostos é uma exploração”, disse para a Quartz, Kathleen Bartzen Culver , diretora do Centro de Ética em Jornalismo da Universidade de Wisconsin (Estados Unidos).

Fotógrafos respeitados e fotojornalistas questionaram a World Press Photo quanto ao posicionamento da organização e sobre os critérios de deixar um fotógrafo postar algo assim na conta do Instagram da WPP.

Não demorou para a World
Press Photo se posicionar quanto ao ocorrido. “somos uma plataforma para
fotógrafos compartilharem seus trabalhos e não limitamos nossas escolhas e
oferecemos diretrizes gerais. Acreditamos que uma controvérsia dessas não pode
ser excluída da rede social e nem seus comentários”. Logo, a série deve ficar
na conta do Instagram (que possui quase 1 milhão de seguidores).  

Mamo escreveu um post no
Medium para explicar tudo e se desculpar. Leia aqui: https://medium.com/@alessio.mamo/my-statement-on-dreaming-food-7169257d2c5c

Fonte: https://bit.ly/31GTDFw

Aproveite para rever mais
notícias no blog da Escola Focus.

PIONEIRISMO E
INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#fotojornalismo   #dicas
 #noticias  #dicas_fotografia
#escola_focus #focus  
focus_escola_de_fotografia  #focusfoto
#focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia  #escolas_de_fotografia
   #aulas_fotografia  #enio_leite   
#cursosdefotografia

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)