Leica celebra centenário da câmera que revolucionou a fotografia

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

leica, câmera, centenário, revolução, fotografias, fimle 34 mm, Wetzlar, Nikon, Canon, Sony, Fuji, Panasonic, Olympus, Alfred Eisenstaedt, Henri Cartier-Bresson, Robert Capa, prêmio Pulitzer, Escolas de fotografia sp, (11) 3107 2219, curso de fotografia básico, escola focus de fotografia, curso de fotografia de book, focus fotografia, cursos de fotografia de estúdio, cursos de fotografia sp, fotografias escolas, concursos de fotografia, fotografo, curso de fotografia gratuito,  curso fotografia online,  curso de fotografia de esporte, cursos de fotografia de natureza, concursos públicos de fotografia, curso de fotografia para iniciantes, focusfoto, curso de fotografia básico, curso de fotografia avançado, curso de fotografia para profissionais, curso de fotografia de moda,  melhor curso de fotografia Brasil, cursos de photoshop, concursos de fotografia, curso fotografo profissional,  fotografia cursos,fotografia focus São Paulo, cursos de fotografia profissional, fotografia cursos São Paulo, curso fotografia sp,  Fotografia, escolas de fotografias sp, cursos de fotografia sp, curso de fotografias sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografias sp, melhores cursos de fotografias sp, melhor curso de fotografia SP,

Primeira câmera Leica 1914

Leica celebra centenário da câmera que revolucionou a fotografia

A lendária fabricante de câmeras fotográficas Leica celebra este ano o centenário da invenção de seu primeiro equipamento para filme de 35mm com a mudança de sua sede da cidade alemã de Solms para Wetzlar.

A Leica inaugurou a nova sede em Wetzlar (perto de Frankfurt) após dois anos de obra e um investimento de 60 milhões de euros.

A fábrica de câmeras alemã desenvolveu um nicho de mercado em um mundo dominado pelos asiáticos, como Nikon, Canon, Sony, Fuji, Panasonic e Olympus, e pelos produtores de semicondutores.

A marca Leica reúne três fabricantes de diferentes produtos: Leica Câmeras, Leica Microsystems (equipamento médico de microscópios) e Leica Geosystems (equipamento para topografia).

A Leica Câmeras, que produz câmeras fotográficas, tem tido uma forte demanda após ter superado uma severa crise, que quase a levou à falência em 2004, por chegar tarde ao processo de digitalização da fotografia que acontecia principalmente no Extremo Oriente.

A nova sede, cujo edifício tem forma de uma objetiva, agrupa os setores de produção, gestão, um espaço para poder ver o processo de produção, uma galeria, um café e uma loja.

A marca, cujo nome é uma combinação de Leitz e Câmera, tem um segundo centro de produção na cidade portuguesa de Vila Nova de Famalicão e emprega 1.400 pessoas em Wetzlar e em Portugal.

Oskar Barnack inventou há 100 anos na oficina então chamado Leitz, em Wetzlar, a primeira câmera de 35mm, que não foi comercializada até 1925, mas que revolucionou a forma de fotografar ao dar muito mais rapidez ao processo.

Com a nova câmera compacta era possível fazer instantâneas, algo impossível com os antigos aparatos de placas, o que representou de certo modo a origem do fotojornalismo.

Barnack chamou originariamente a câmera de “Lilliput”, como mostram os arquivos da companhia em um documento de março de 1914.

O fotógrafo Alfred Eisenstaedt, membro da equipe fundadora da revista americana “Life” (1936), foi um dos primeiros a usar uma Leica.

De Alfred Eisenstaedt, que trabalhava com uma Leica M3 de 35mm, é a famosa fotografia do dia da Vitória, em Times Square, em Nova York (1945), também conhecida como “O Beijo”, em que uma enfermeira é beijada por um soldado na comemoração pelo fim da Segunda Guerra Mundial.

Em outubro de 2012 a acionista majoritária da Leica, Lisa Germany Holding, que é propriedade de ACM, assumiu toda a companhia.

Andreas Kaufmann, milionário proprietário da ACM, entrou na Leica com uma participação de 27%, ampliada em 2006 para mais de 90%, após comprar as ações que pertenciam ao consórcio de luxo francês Hermès.

Kaufmann, atual presidente do conselho de supervisão da Leica e antigo professor da escola Waldorf, começou o processo de reestruturação da empresa.

Atualmente a Leica fatura 270 milhões de euros por ano e tem 0, 15% do mercado, segundo números do jornal econômico alemão “Handelsblatt”.

O fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson disse uma vez: “Nunca me afastei da Leica, qualquer tentativa em outra direção me leva de novo a ela. Não digo que tenha que servir para outra pessoa, mas para mim é a única câmera inquestionável. É, e digo literalmente, a extensão óptica de meu olho”.

A Leica também usa na promoção de seu centenário as famosas fotografias “Morte de um Miliciano” da Guerra Civil espanhola, de Robert Carpa, o retrato do Che Guevara, de Alberto Korda, e a imagem da menina nua gritando na Guerra do Vietnã, Kim Phuc, que valeu o prêmio Pulitzer a Nick Ut.

Fonte: http://goo.gl/jZtV3R

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)