MARKETING DIGITAL NA FOTOGRAFIA: UMA OPÇÃO PARA 2019?

em Artigos e Entrevistas, Serviços.

Marketing digital, fotografia, opção para 2019, conquistar clientes, bom senso, profissões regulamentadas, fotografia brasileira, fotografia cursos, amazon, Focus escola de fotografia, aulas de fotografia, cursos de fotografia sp, escolas de fotografia EAD, escola focus, cursos de fotografia presencial SP, Enio Leite, curso de fotografia online, aula de fotografia, fotografia profissional, São Paulo, SP

O marketing digital na fotografia se mostra como uma das principais e mais indicadas formas de se conquistar clientes sem violar o bom senso de Ética das Profissões Regulamentadas

Ricardo Orsini

A fotografia brasileira tem percebido esse fenômeno e o número crescente de profissionais começa a apostar no marketing digital como forma de promover-se  e crescer como negócio.

Cresce o número de fotógrafos que buscam no marketing digital a saída para a conquista de seus clientes e novos mercados.

Atualmente, ter algum tipo de presença digital parece ser uma obrigação para praticamente todo tipo de fotografia.

Temos ações mais simples de marketing digital: contratar um site institucional, publicar alguns artigos de blog, criar uma página na Focus, fazer postagens regulares nas redes sociais.

E temos ações mais estratégicas e, porque não dizer, ousadas: campanhas de anúncios patrocinados do Google Adwords, Facebook e Instagram, e-mail marketing (sim, ele ainda funciona para algumas áreas) e a automação de marketing digital.

Mas, muitos ainda têm reservas com o digital: será que dá resultado mesmo na fotografia ou tem muita conversa fiada nesta história?

Neste artigo você vai aprender quais as vantagens e os desafios reais de quem investe em marketing digital na fotografia. Mas, antes de mais nada, vamos entender do que estamos falando.

O que é o marketing fotográfico digital?

Entender o marketing fotográfico digital envolve entender, primeiro, o que é marketing, e depois o que é marketing fotográfico.

O que é o marketing?

Ao contrário do que muitos pensam, o marketing não é apenas uma atividade de divulgação ou propaganda.

Aliás, atualmente a propaganda tem sido cada vez menos eficaz em atingir o objetivo de promover a marca de prestadores de serviço como os fotógrafos.

Este foi um dos efeitos mais visíveis da mudança de cultura negocial promovido pela Internet e as redes sociais.

Isso é positivo para a fotografia, uma vez que a publicidade sofre muitas restrições por conta das especificidades de seu mercado.

Mas, se o marketing não se resume à publicidade e à propaganda, que atividades podemos associar à disciplina?

Marketing é um conjunto de atividades ligadas a vários objetivos possíveis:

gerar oportunidades de negócios;

atrair clientes;

dar suporte e fidelizar clientes;

aprender mais sobre os clientes;

gerar relacionamentos;

criar autoridade e credibilidade para a sua marca;

aumentar a visibilidade da marca;

criar um clima de maior engajamento dos colaboradores internos;

Em resumo, o marketing é uma atividade que ajuda o profissional a gerar valor para seus clientes, sejam os clientes que geram receita, sejam os internos (seus colaboradores e parceiros).

O que é o marketing fotográfico?

O marketing fotográfico é a adaptação do marketing às necessidades e peculiaridades das carreiras jurídicas.

Ou seja, gerar valor para clientes de serviços fotográficos.

Digo sui generis porque ao contrário do mercado em geral, o fotógrafo presta um serviço público, de alta relevância social e em caráter de pessoalidade. São características que impedem o fotógrafo de assumir uma veia mais comercial na sua atividade.

Assim, o marketing fotográfico visa gerar valor para clientes num ambiente onde a publicidade visando a captação de clientes, a mercantilização da profissão e a falta de moderação e discrição são ações totalmente vedadas.

Entenda que publicidade profissional do fotógrafo tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação massiva de clientela ou mercantilização da profissão.

O que é o marketing fotográfico digital?

O marketing digital é a versão online do marketing tradicional.

Assim, o marketing fotográfico digital nada mais é do que o marketing fotográfico em sua versão online.

Para falar a verdade, não é uma simples adaptação do presencial ao online. O ambiente digital transformou completamente o marketing.

E essa transformação, por incrível que pareça, é profundamente benéfica à fotografia. Vamos entender o porquê!

Por que o marketing digital na fotografia é uma das melhores formas de conquistar seus clientes?

O marketing digital criou um novo cenário mercadológico.

Muita coisa mudou na forma de se promover as organizações ou as pessoas por meio do marketing.

Quando falo “organização”, podemos entender aqui o profissional liberal, fotógrafos trabalhando em regime de parceria e as sociedades de fotógrafos.

Entendendo o marketing como atividade de geração de valor, podemos dizer que a Internet transformou a própria maneira do mercado gerar valor para clientes.

Infelizmente, na fotografia tenho observado um marketing digital ainda muito imaturo e amador. Para muitos, gerar valor para o cliente é uma opção entre outras, mas não uma prioridade.

Esse ponto de vista se tornou insustentável, quando lidamos com um mercado de muita concorrência. E se ele ainda existe na fotografia, é por conta da pouca compreensão do verdadeiro significado da transformação que o digital trouxe para o marketing.

Seria de grande ajuda, então, tentar entender essa transformação. Vamos ver agora as características do marketing digital que se aplicam ao universo da fotografia.

Vou separar este estudo em três áreas principais afetadas pelo online:

(1) a comunicação com clientes;

(2) a promoção da marca jurídica;

(3) melhor custo-benefício do marketing.

A comunicação com clientes

A primeira e mais radical transformação do marketing digital foi a da forma como as organizações passaram a se comunicar com os seus clientes.

Com o marketing digital, é possível que as organizações construam sua própria audiência.

E porque isso é importante?

Ora, antes, “audiência” era algo que apenas grandes veículos de comunicação possuíam.

Se você queria promover um produto, serviço ou ideia, tinha que pagar para TVs, jornais, rádios para falar com a audiência deles. Isso era ruim para a fotografia, uma vez que essas mídias, além de caras, eram (e ainda são) vedadas para fotógrafos.

Com o marketing digital, a coisa mudou radicalmente. Qualquer pessoa hoje pode construir sua própria audiência.

E quando digo “qualquer pessoa”, isso inclui pessoas físicas, sem capital, sem estrutura, muitas vezes começando um negócio do zero.

Basta olhar o ranking dos canais mais acessados no Youtube no Brasil. A maioria são de pessoas, não empresas. Essa também já é uma realidade na fotografia.

Muitos fotógrafos já conseguiram construir uma audiência cativa para seus vídeos, artigos e conteúdo para redes sociais.

Marketing interativo muda tudo

O caráter interativo do marketing digital revolucionou todos os canais de comunicação que organizações possuem com clientes em todo tipo de negócio.

A possibilidade de interação mudou a forma como profissionais se posicionam no mercado. A comunicação entre organizações e clientes está menos institucional e mais pessoal.

“As relações entre fotógrafo e cliente baseiam-se na confiança recíproca”

Ou seja, o que já era obrigação para os fotógrafos (pessoalidade do serviços), passou a ser para grande parte do mercado.

Comunicação mais assertiva comunicação-mais-assertiva-na-fotografia

As redes sociais trazem ainda a possibilidade de entregar a mensagem certa, para a pessoa e na hora certa.

Ao contrário de um anúncio na TV, por exemplo (supondo que isso fosse permitido para fotógrafos), que atingiria milhares (às vezes milhões) de pessoas sem nenhum tipo de segmentação.

Pessoas que não tem nenhuma necessidade de contratar serviços advocatícios vão receber a mensagem indesejada da mesma forma. Ou seja, a mensagem errada, na hora errada, para a pessoa errada.

Como este tipo de anúncio atinge muita, mas muita gente mesmo, uma porcentagem pequena dessas pessoas será atingida na hora certa.

Como a audiência é gigantesca, uma porcentagem pequena já é algo a se considerar.

Só que essa é uma publicidade muito cara e, por isso, inviável para boa parte dos escritórios de pequeno porte e profissionais liberais.

Por outro lado, um anúncio no Google Adwords, que é bem mais viável economicamente falando, tem condições de atingir clientes no momento certo e do jeito certo.

E que momento seria este?
O momento da pesquisa pela solução.

Fonte: https://goo.gl/b8zjYs

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e marketing nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Reuters - 12/12/2018)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)