Mostra destaca a fotografia moderna brasileira

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

moderna para sempre, Alfredo Volpi, Thomaz Farkas, Geraldo de Barros, German Lorca, José Oiticica Filho, José Yalenti, Georges Radó,  Eduardo Salvatore,  fotocineclubistas paulistas, fotografia moderna brasileira, Fotografia, escolas de fotografias sp, cursos de fotografia sp, curso de fotografias sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografias sp, melhores cursos de fotografias sp, curso de fotografia sp melhores,   Escolas de fotografia sp, cursos de fotografia zona sul sp ,aulas de fotografia, enio leite, dicas de fotografia, curso de fotografia sp, escola focus, focus cursos de fotografia em sp, escolas de fotografia, melhor curso de fotografia Brasil, curso de fotografia online,  escolas de fotografia em sp, cursos fotografia online, cursos de fotografia focus, focus fotografia cursos   sp , curso de fotografia zona leste, curso de cinema digital Full HD,  curso de fotografia digital , melhor curso de fotografia Brasil, noticias sobre fotografia , melhores escolas de fotografia sp, curso técnico de fotografia sp , focus foto, melhores cursos  de fotografia  profissional  sp, curso de fotografia  profissional sp , focus foto, aulas de fotografia sp

‘A Folha Morta’ (1953), experimentação laboratorial de Gertrudes Altschul

Exposição reúne 116 imagens, quase a totalidade de fotografias modernistas brasileiras do Acervo Itaú

“O grande assunto do modernismo é a forma”, diz o fotógrafo Iatã Cannabrava, curador da mostra Moderna Para Sempre, que será inaugurada  no Itaú Cultural. A exposição reúne 116 imagens, quase a totalidade de fotografias modernistas brasileiras do Acervo Itaú, segmento colecionado pela instituição desde 2007. São obras – 40 delas, cópias vintage – datadas entre as décadas de 1940 e 70, assinadas por criadores como Thomaz Farkas, Geraldo de Barros, German Lorca, José Oiticica Filho, José Yalenti, Georges Radó e Eduardo Salvatore. “O fotógrafo moderno é um ser curioso, preciosista, urbano, excelente laboratorista e estudioso da técnica e da estética fotográfica”, define Cannabrava.

A construção geométrica dá o tom das imagens modernistas, como define Iatã Cannabrava, que arrisca definir a escola paulista – ou a experiência dos integrantes do Foto Cine Clube Bandeirante, fundado em São Paulo em 1939 – como exponencial da fotografia moderna brasileira. Segundo o curador, mesmo os fotógrafos de outras cidades do Brasil, como o carioca José Oiticica Filho, estiveram em contato intenso com os fotocineclubistas paulistas. “É uma coleção com cara de São Paulo”, diz Cannabrava.

Há muita experimentação formal nas imagens do período representado na exposição, mas também a aparição natural de temas como a urbanidade, a indústria e a arquitetura, explica o curador. Afinal, a fotografia moderna também era documental, nasceu para “registrar os avanços, o sucesso da revolução industrial”, define Cannabrava, que lembra ainda da “conversa com a arte moderna” – como Paul Klee e Calder – promovida pelos fotógrafos em suas criações.

Muita geometria, poucos homens nas imagens modernistas, mas é possível ver a presença humana no trabalho de Ademar Manarini, Paulo Pires – autor de Construtores e Asfalto – e em uma das imagens icônicas da coleção de fotografia moderna do Itaú, Paralelas e Diagonais (1950), de José Yalenti, por exemplo. Aliás, a obra de Manarini (1920-1989), “um clássico contaminado pelo moderno”, como afirma o curador, tem sido uma das últimas grandes novidades do acervo.

Já na entrada da exposição, que ocupa apenas o primeiro piso do prédio do Itaú Cultural, estão os trabalhos do fotógrafo natural de Campinas, representado na coleção por 10 peças. “Ele rompeu menos, mas era um grande operador do ofício da fotografia, criador de obras que têm algo de documental, que se assemelham ao modernismo mexicano”, afirma Cannabrava. Uma das obras de Manarini, vale destacar, traça diálogo com a pintura de Alfredo Volpi de maneira curiosa – as formas de “bandeirinhas” das telas do artistas parecem transpostas para as paredes brancas pelas sombras do local registrado em 1950 pelo fotógrafo.

Entre os mais “experimentadores”, dois expoentes, Geraldo de Barros (1923-1998) – integrante do Foto Cine Clube Bandeirante, representado por trabalhos de sua importante série, Fotoforma, entre outras – e José Oiticica Filho (1906-1964), autor de uma bela obra como Estudo com Cálices (1950). São dois criadores que já eram bem valorizados no mercado antes mesmo do interesse recente no mercado, segundo Iatã Cannabrava, pela fotografia moderna brasileira. “É um segmento que há sete anos não valia nada”, conta o curador, que tem contribuído com seu olhar na criação do acervo do Itaú. “Muita coisa está nas mãos das famílias dos artistas, como a de Yalenti e Manarini, mas algumas coisas foram compradas em leilões também”, conta ainda.

Moderna Para Sempre vai misturando as obras dos fotógrafos – German Lorca é dos poucos com trabalhos agrupados em um mesmo painel –, traça um “jogo geométrico em branco e preto”. “A exposição é como se fosse feita por dois ou três fotógrafos”, define Iatã Cannabrava, já que a procura pela “unicidade” era uma busca dos criadores perfeccionistas modernos, interessados em “aprimoramento matemático” quando construíam suas composições.

Mas a exposição, que depois vai itinerar para o Peru, também reúne criações feitas a partir de formas orgânicas e trabalhos de cunho surrealista. Traz ainda, entre suas recentes aquisições, algumas experiências de laboratório interessantes, como a obra A Folha Morta (1953), de Gertrudes Altschul.

MODERNA PARA SEMPRE

Itaú Cultural. Av. Paulista, 149, 2168-1776. 3ª a dom., 9 h/20 h (sáb. e dom., 11 h/20 h. Grátis. Até 9/3.

Fonte: http://goo.gl/VFeikd

Focus – Escola de Fotografia – Desde 1975
Veja mais notícias:
http://focusfoto.com.br/blogs

Conheça os cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/
Fale com a Focus:
 cursos@focusfoto.com.br

 

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)