O FURO INTERNACIONAL QUE QUASE DERRUBA O MINISTRO

em Uncategorized.

Reportagem, furo internacional, Revista Veja, escola focus, Gladstone Campos, Iraquianos,

          Uma aventura narrada pelo fotógrafo e jornalista Gladstone Campos, 38 anos de profissão     

“Era final dos anos 80. Eu trabalhava na sucursal da Veja, em BH. Lembro bem que era sexta-feira. A maior parte da revista já estava pronta, só aguardava alguma matéria quente para o miolo e fechar a edição.

Chegaram à Redação um soldado e um tenente da Força Aérea querendo denunciar os abusos dos treinamentos na base de Lagoa Santa. Como estudei em colégio militar e quase segui na carreira sabia que os treinamentos eram assim mesmo. Já querendo me livrar dos caras, convidei-os a tomar um cafezinho e fui conduzindo ao elevador. Aí o soldado fala: ‘E aqueles iranianos lá, têm só privilégios, e nós…’

Daí, eu o corrigi: ‘Iranianos, não. Iraquianos, você quis dizer’. Afinal, na época, o Iraque de Saddam Hussein era grande parceiro comercial do Brasil e estava em guerra com o Irã. E ele insiste: ‘Não, são iranianos sim. Olha a moedinha que eles me deram’. Tirei os caras do elevador e investiguei a história. Já ali mesmo pedi para que desenhassem um mapa da base aérea e me mostrassem como eu poderia entrar lá escondido e fotografar esses iranianos que estavam treinando nas aeronaves tucano.

Na segunda-feira, quatro horas da manhã, estava lá eu em roupas escuras e a minha teleobjetiva camuflada, furando cerca, me arrastando pelo mato e fotografando os soldados iranianos na cabeceira da pista, iniciando a jornada. Os aviões e os soldados camuflados na cor bege areia de deserto. Fiz quatro filmes e mandei para São Paulo. Foi um furo internacional de reportagem.

Ou seja, o Brasil oficialmente negociava com o Iraque, mas por baixo vendia aeronaves e treinava soldados e mecânicos do Irã. Chamou atenção do mundo todo. Houve pressão internacional e, por pouco, o presidente da Embraer, Ozílio Carlos da Silva e o Ministro da Aeronáutica não caíram. ” Esta aventura foi narrada pelo fotógrafo e jornalista Gladstone Campos, 38 anos de profissão.

Gladstone tem inúmeras histórias na sua extensa e intensa carreira. Filho de militar, quase seguiu a carreira do pai. Foi no colégio militar onde aprendeu fotografia. Começou fotografando produtos em cromo para virar anúncio na tevê, passou por redação de jornal de esquerda na época da ditadura.  Nas coberturas das manifestações apanhava dos dois lados. Trabalhou em jornal de economia, o Diário do Comércio de BH, ficou dois anos na Placar, atuou como frila na Veja, veio para São Paulo assumir editoria de fotografia de O Globo, fotografou para revista Gula, ajudou a criar a Caras no Brasil, com a amiga Nellie Solitrenick, onde ficou por dois anos como subeditor.

Há 12 anos é responsável pelas fotos de capa do Painel Executivo da revista Exame, de onde cultivou boas relações com as corporações e assessorias e que responde por 70% de seus trabalhos. Além de jornalista e fotógrafo, Gladstone é apreciador de vinhos e boa mesa.

Participa ativamente em duas confrarias em Portugal. Em uma das viagens conheceu em Paris sua atual mulher, na fila da TAM no aeroporto Charles De Gaulle. Juntos fundaram o site Entre Pratos e Copos.

Fonte: http://goo.gl/Va3Axw  

FOCUS Escola de Fotografia – Desde 1975: http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Conheça os trabalhos de nossos alunos: https://goo.gl/FAflIK
Fale com a Focus: [email protected]

Atualize-se com o Blog da Focus: http://focusfoto.com.br/blogs/
Seja fotografo regulamentado. Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional

 Referência em ensino de fotografia
“Faça bem feito, faça Focus! – 1975 – 2016 = 41 anos”
 

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)