O futuro da arte fotográfica

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, dicas de fotografia.

futuro, arte fotográfica, avanços, tecnologias de digitalização, captação, manipulação de imagens, democratização, expressão visual, notícia, profissionais especializados, banalização da fotografia, fluxo de trabalho, falsificação, verdade fotográfica, estilo soviético, expressão fotográfica, tecnologias de controle de movimento, fotos perfeitas, novo profissionais, fotografia panorâmica, foco dinâmico, lytro, movimentos cinematográficos, novo fotógrafos, novas histórias,  escola de comunicações e artes USP, ECA/USP,  (11) 3107 2219, curso de fotografia sp, cursos de fotografia zona sul sp, cursos de fotografia de São Paulo, melhor curso de fotografia em sp, escolas de fotografia sp, cursos de photoshop sp, cursos de fotografia online, Escolas de fotografia são Paulo ,escolas de fotografia em sp, melhores escolas de fotografia do Brasil, concursos de fotografia, melhores escolas de fotografia do mundo, aulas de fotografia zona leste sp, aulas de fotografia zona sul sp, aulas de fotografia zona oeste sp, aulas de fotografia zona norte sp,  focus fotografia,  focus escola de fotografia, melhores escolas de fotografia sp, aulas de fotografia em sp, melhores cursos de fotografia sp, curso fotografia são paulo, curso de fotografia digital, cursos de fotografiaem Santos, noticias sobre fotografia,  melhor curso de fotografia em sp, melhores cursos de fotografia sp,  melhor curso de fotografia  do Brasil, notícias sobre fotografia, curso fotografia profissional, melhores cursos de fotografia do mundo, fotografe melhor, curso de fotografia publicitária, aulas de fotografia profissional, aulas cursos online de fotografia, aulas vips de fotografia,  escola focus foto,     curso de fotografia sp, curso de fotografia, focus, fotografia, focus fotografia, escola focus,     melhores cursos de fotografia de moda, melhores cursos  de fotografia publicitária, cursos de fotografia de moda, cursos de fotojornalismo em SP, cursos de fotografia publicitária, cursos de fotografia para casamentos, cursos de fotografia para eventos sociais,

Nos últimos anos falou-se muito na influência que os avanços nas tecnologias de digitalização, captação, manipulação e compartilhamento de imagens tiveram na democratização da expressão visual.

Mas nem tudo é boa notícia. Apesar da enorme conveniência e na popularização de uma técnica que até há pouquíssimo tempo era de domínio exclusivo de profissionais especializados, a banalização da fotografia tem seu lado negativo. Não me refiro ao culto à imagem na autoestima de uma geração crescida sob as ditaduras do bizarro, do perfeito, do formidável ou do retocado, porque isso está além da minha área de especialidade. Minha preocupação é outra.

Ela se refere aos golpes profundos e silenciosos que as novas tecnologias tem realizado na arte fotográfica. A facilidade na manipulação da imagem digital acabou se transformando, quem diria, em um problema. É comum entre os novos profissionais um descuido na produção, deixando qualquer deslize para retoque posterior. O volume de imagens produzidas é cada vez maior, e todas podem ser imediatamente revistas, alteradas, apagadas ou retocadas posteriormente. O processo pode garantir um fluxo de trabalho mais rápido e eficiente, mas dificilmente garantirá melhores imagens. E raramente gerará uma reflexão ou aprendizado sobre elas.

O Photoshop, que surgiu como assistente para a finalização de imagens, passou a realizar tanta falsificação que colocou em dúvida a ideia de “verdade” fotográfica, no melhor estilo soviético. De tanto usado, o neologismo se tornou pejorativo. Muitos se orgulham em conseguir imagens “sem Photoshop”, o que é um preciosismo supérfluo, como um ator sem maquilagem.

Nova estética

Profissionais experientes sabem que a riqueza da expressão fotográfica não está no suporte nem no retoque, mas na riqueza e imprevisibilidade da produção de imagens, o que sempre demandou grande cuidado. As novas câmaras digitais parecem ter como meta a eliminação de todo e qualquer defeito possível. Fabricantes anunciam modelos capazes de registrar imagens em fantásticos ISO 204800, mais de duas mil vezes mais sensíveis do que o velho filme ASA 100.

Tecnologias de controle do movimento em novas objetivas parecem capazes de remover qualquer borrado que não seja intencional. Até mesmo o foco pode ser, via Instagram, decidido mais tarde. Estaremos condenados a um mundo de fotos perfeitas, alteradas apenas por intenção de seus fotógrafos, desfeitas a qualquer instante? Acredito que não.

Da mesma forma que os problemas de comportamento das mídias sociais não são resultados da tecnologia, mas dos vícios de seus usuários, a redução da qualidade artística na fotografia contemporânea não é causada pelas novas técnicas, mas por seu abuso. E pode ser facilmente revertida. À medida que novos profissionais começarem a desenvolver suas assinaturas artísticas é provável que surjam novas estéticas, rediscutindo muito do que se entende hoje por registro de imagens. Recursos como a fotografia panorâmica, combinada a técnicas de renderização 3D poderão criar novos ambientes fotográficos mais próximos da cenografia do que da ilustração. Câmaras de foco dinâmico, do tipo Lytro, podem ser usadas para criar movimentos cinemáticos em fotografias.

Novas imagens imersivas valorizarão o trabalho de composição tridimensional, ainda restrito às técnicas complexas e caras dos profissionais de cinema e animação. Isso sem falar do uso criativo de drones e da criação colaborativa, associado a novas tecnologias de captação e visualização. Uma nova estética fotográfica está para surgir.

Ela deverá ser mutante, dinâmica, revista e alterada como uma memória. Os novos fotógrafos não deverão rejeitar a tecnologia, mas abraçar seu potencial para contar as novas histórias.

 ***

Luli Radfahrer é professor-doutor de Comunicação Digital da ECA (Escola de Comunicações e Artes) da USP, autor do livro Enciclopédia da Nuvem; www.luli.com.br

Fonte: http://goo.gl/G30diA   

Escola de Fotografia – Desde 1975: http://focusfoto.com.br 
Conheça os cursos da Focus: 
http://focusfoto.com.br/cursos/ 
Fale com a Focus: 
[email protected] 
Veja  Ultimas Noticias sobre Fotografia: 
http://focusfoto.com.br/blogs/

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 15/08/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)