O HOMEM QUE ENSINOU O CAVALO A NÃO COMER

em Uncategorized.

Homem, cavalo, estratégias, marketing, companheiro de batalhas, ovelhas, plano, despesas, refeição, guerras, escola de fotografia, Focus escola de fotografia, aulas de fotografia, cursos de fotografia, escolas de fotografia, escola focus, escola de fotografia, curso de fotografia profissional, aula de fotografia, curso fotografia, acervo playboy

Breve análise sobre estratégias de marketing

Havia um guerreiro tártaro que possuía um lindo cavalo. Companheiro de batalhas, ele cuidava com carinho do animal. Porém, à medida que as guerras foram escasseando, ele começou a criar ovelhas.

Como as ovelhas, além de produzirem lã, comiam pouco, ele começou a achar que o cavalo comia demais. Aí ele desenvolveu um plano para reduziu despesas: a cada dia atrasava em meia hora o momento de dar capim para o cavalo.

Em uma semana ele encostou o horário da primeira refeição ao da segunda. O cavalo nem percebeu. Animado, ele continuou o processo. Aí encostou o horário da segunda refeição ao da terceira. Como o cavalo não reclamava, ele achou que tinha ensinado o cavalo a comer menos. Só que em um mês o cavalo morreu. Quando o período de guerras recomeçou, ele não tinha cavalo; só tinha ovelhas.

Essa pequena história se assemelha à de muitas empresas que usaram a propaganda para vender seus produtos e crescer no mercado.

Uma boa agencia, bons produtos, um bom plano de marketing, e as coisas começam a dar certo. As fábricas crescem, muitas vezes os produtos chegam à liderança do mercado e aí bate a dúvida: será que eu não estou gastando dinheiro demais em propaganda? A dúvida se estende sobre o quanto ele paga à agencia. Será que não é demais?

Qual foi o papel que a publicidade realmente desempenhou na escalada rumo ao topo do mercado? Está cheio de agencias herbívoras que já se oferecem para trabalhar por uma fração do que está pagando sua agencia atual. Bem, hora de dar uma pensada. E aí começa a se configurar um desastre.

Um outro exemplo é quando a empresa depois de conseguir sucesso começa a pensar que a propaganda está comendo dinheiro demais. “Hum… Acho que se eu der uma paradinha na campanha… Se eu fizer um mês sim e um mês não… Se eu diminuir um pouco o tamanho dos anúncios… Ninguém vai notar.”

Devagar, começa a se delinear a história do cavalo que aprendeu a não comer.

Nenhum cavalo aprende a não comer. Ele morre.

Nenhum processo de criação e manutenção de imagem aguenta ser desidratada sem perder alguma coisa. Que coisa? O grau de consciência que o consumidor precisa ter a marca: essa consciência pode ser objetiva, subjetiva ou as duas coisas juntas.

Ela é subjetiva quando diz respeito a alguma característica exclusiva da marca que pode ou não estar associada ao produto. Um exemplo? Qualquer coisa da Tiffany. Não precisa se joia. Você nunca erra quando dá um presente Tiffany para uma mulher. Pode ser um vidro de perfume ou uma joia de 5 mil dólares. Elas amam porque é Tiffany e ponto.

Ninguém faz uma marca sem divulga-la.

Há alguns anos tiveram um cliente de confecções. Começou pequeno, mas, como os artigos eram bons e a agencia fez boas campanhas para ele, suas vendas foram crescendo. Chegou a ser líder de mercado em várias segmentos, todos estavam felizes: nós estudávamos o mercado, planejávamos, fazíamos as campanhas. Ele aprovava e as vendas cresciam continuamente.

Há alguns anos tivemos um cliente de confecções. Começou pequeno, mas, como os artigos eram bons e a agencia fez boas campanhas para ele, suas vendas foram crescendo. Chegou a ser líder de mercado em vários segmentos, todos estavam felizes: nos estudávamos o mercado, planejávamos, fazíamos as campanhas. Ele aprovava e as vendas cresciam continuamente.

Um dia a empresa mudou o diretor de marketing. Ele veio à agencia, viu as campanhas, gostou, mas começou a achar que agencia, no fundo, era tudo igual.

A nossa agencia era igual, mas um pouco mais cara. Ele visitou outras agencias e começou a achar que poderia fazer a mesma coisa pagando menos e economizando um bom dinheiro para a empresa.

Veio conversar conosco e nos fez uma resposta indecente de remuneração. Nos, por mais que gostássemos da empresa, explicamos que ninguém poderia fazer um bom trabalho para marcas com honorários tão baixos. Ele tirou a conta e deu para outra agencia.

Alguns anos depois, a empresa voltou a nos procurar. Razão? A maioria do seus produtos havia perdido relevância, ou seja, eles haviam investido as suas verbas para conseguirem perder mercado.

O cavalo não aprendeu a não comer.

No mundo todo, as pessoas continuam comprando Big Mac porque ele é gostoso e porque fazem propagando de que ele é gostoso.

Coca-cola é líder de mercado por razões objetivas e subjetivas. Ninguém pode explicar por que ela é mais gostoso do que a Pepsi. Mas ela continua líder de mercado desde 1886. Tente explicar essa liderança eliminando a propaganda.

Se você tem uma empresa que fabrica um bom produto e uma agencia que faz esse produto vender, fique com ela. Não tente se divorciar para ver se consegue fazer mais com menos dinheiro.

E se vier a guerra? Você vai combater montado em ovelhas? Hum… Preserve o cavalo. Ovelhas não são boas em batalhas.

Aproveite para rever mais dicas de marketing nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)