O INTERESSANTE TRABALHO DO FOTOGRAFO AUTONOMO

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

fotógrafo autônomo, fotografo freelancer, portfolio, fotografo freela, fotógrafos freelances, vinculo empregatístico, grandes agências de fotografia, curso de fotografia sp,  fotografia focus são Paulo,  fotografe melhor,  escolas de fotografia sp , curso de fotografia, escola focus, focus, focus fotografia, focus escola de fotografia, focus foto, cursos de fotografia, curso fotografia, notícias sobre fotografia, curso de fotografia sp, cursos de fotografia sp, cursos de fotografia zona sul sp, melhores cursos de fotografia sp, melhor curso de fotografia sp, melhores escolas de fotografia sp, melhor escola de fotografia sp, cursos de photoshop, cursos de fotografia online, cursos vips de fotografia, enio leite, melhor curso de fotografia Brasil, curso de video Full HD, curso de fotografia zona leste, focus foto, curso técnico de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia sp, escola de fotografia profissional sp, aulas de fotografia, curso de fotografia sp,      Fotografia, escolas de fotografias sp, cursos de fotografia sp, curso de fotografias sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografias sp, melhores cursos de fotografias sp, melhor curso de fotografia SP,

Equiipamento utilizado pelo fotógrafo freelancer em jornalismo

De portfólio na mão, criatividade, imaginação e muita garra, sai o fotógrafo autônomo, recém-formado,  em busca da publicação de suas fotos. Ele é o propagandista por excelia do seu próprio trabalho; é também um profissional que tem consciência da sua capacidade. Disciplina, tempo para contatos, organização de um arquivo e de sua própria contabilidade: esses são alguns traços do fotografo que pretende viver sem vínculo empregatício, de forma autônoma, mais conhecida como freelance.

Mas as coisas não são tão simples assim, como talvez possam parecer. Não basta ser um bom fotógrafo, nem dominar com perfeição a técnica – mais do que isso, geralmente os clientes exigem experiência anterior, desejam ver fotos já publicadas, querem saber quem já confiou no trabalho do fotógrafo, quem são seus atuais clientes. Por tanto, aquele que procura essa via para a profissionalização tem um longo caminho a percorrer e, principalmente, um árduo inicio de carreira. Na maioria dos casos, um portfólio só começa a ter valor quando preenchido por fotos que, no mínimo, já tenham merecido publicação e algum destaque no mercado. Por isso, alguns autônomos iniciam a carreira com trabalhos menores ou em empresas que mantêm quadros fixos de fotógrafos profissionais, como editoras, jornais, revistas, sites,  estúdios ou empresas de fotografia social até atingirem condição de poder competir no mercado de trabalho.

UMA OPÇÃO DE VIDA

Mais do que uma simples opção escolha de profissão, ser freelance é, principalmente, uma opção de vida, uma maneira de se realizar.

Para alguns, ser autônomo representa a possibilidade de se dedicar a uma determinada temática e transformar todo o seu trabalho numa expressão muito pessoal. As fotos registram uma visão  de mundo particular, sintetizando a sensibilidade e a criação. O fotografo, nesse caso, é, acima de tudo, um artista.

Outros são atraídos por propostas bem diferentes, pela garantia de sempre enfrentar situações diversas, de a cada trabalho e serem obrigados a buscar soluções renovadas. É aí que muitos fotógrafos encontram o estimulo e se sentem impulsionados para a criação e o crescimento profissional.

E ainda há outros que, na escolha da fotografia independente, encontram o caminho da especialização, realizando sempre determinadas fotos para os mesmos clientes. Isso ocorre em especial com o freelance da publicidade e fotografia de moda.

Contudo, a jornada até o sucesso, o renome, a chegada ao estúdio com câmeras  e equipamentos sofisticados, tudo passa pelos percalços de um caminho difícil: precárias condições de trabalho, dificuldade de acesso a câmeras e acessórios de custo muito elevado.

O MERCADO DE TRABALHO

 Agencias de publicidade, editoras ou empresas jornalísticas – mesmo que possuam quadro fixo de profissionais – eventualmente se servem de freelancers, seja uma emergência,  para cobrir férias de um funcionário fotógrafo ou para fazer a cobertura de matérias muito especificas. Mas o trabalho do autônomo também é solicitado – por outros setores: uma indústria que pretende divulgar seus produtos através de folhetos, um órgão do Estado ou grandes empresas que publicam o seu relatório anual, são alguns exemplos.

As fotos são diversas, usadas em contextos distintos. Daí as principais características do fotografo autônomo serem a versatilidade e o profundo conhecimento técnico, que lhe permite encontrar sempre as melhores soluções e os resultados mais satisfatórios.

 Mas o autônomo não esta sozinho no mercado. As agencias fotográficas internacionais representam fortes concorrentes, principalmente junto às empresas e editoras que necessitam de fotos ilustrativas. Essas agencias  atuam em grande escala no pais, possuem uma solida estrutura financeira e tem condições de vender fotos a custos muito menores que o autônomo. Há também o outro lado da moeda, quando esses fotográficos prestam serviços a estas grandes  agências.

Além disso , a longo prazo, o freelance poderá ocupar espaços maiores do mercado, pois uma foto de agencia é uma imagem que registra uma realidade cultural diversa e nem sempre atende as necessidades do cliente.


						

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)