Os índios de José Medeiros ganham exposição na ONU, em Nova Iorque

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

índios, José Medeiros, fotojornalismo, Concurso Fotográfico Leica, Brazilian Photojournalists, ONU, Organização das Nações Unidas, profissão fotógrafo,  aulas de fotografia sp, escola focus, enio leite, cursos de fotografia sp,focus escola de fotografia,focus, cursos de fotografia online, escola de fotografia, focus foto, curso de fotografia sp, melhores escolas de fotografia sp, escola de fotografia sp, cursos de photoshop, curso de fotografia sp, cursos de cinematografia digital,focus fotografia sp, fotografia cursos sp, curso de fotografia zona leste sp, cursos fotografia são paulo, curso de fotografia digital, aulas de fotografia sp, cursos de fotografia zona sul sp, notícias sobre fotografia, focus foto, curso técnico de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia sp, escola técnica de fotografia sp

“Indiozinho”, premiada no Concurso Fotográfico Leica, abre a exposição “Brazilian Photojournalists”, em Nova Iorque

Ele tem uma casa no Xingú e nos dedos a capacidade de clicar cenas que só a convivência propicia. Um trabalho contemporâneo de retratar um cotidiano que dispensa legendas. A imagem acima, “Indiozinho”, premiada no Concurso Fotográfico Leica, transporta quem vê, como espectador do gol. Do lado de cá, sente-se o respingar da água, o cheiro do rio e a alegria dos pés ao encontro da bola na bicicleta.

A foto é a que abre a exposição “Brazilian Photojournalists”, programada para o ano que vem, no escritório da ONU (Organização das Nações Unidas), em Nova Iorque, ocasião em que José Medeiros, ao lado de outros 21 fotógrafos , expõe as riquezas dos cliques do Brasil.

Campo-grandense e com 40 anos, ele se dedica à fotografia de corpo e alma. Os projetos que inicia têm duração de uma década. Do Pantanal às comunidades indígenas mato-grossenses, estão nos detalhes da expressão do índio e do homem pantaneiro, o resgate de um passado carregado de história.

A carreira de José Medeiros começou em Campo Grande, como laboratorista do jornal Correio do Estado, no início da década de 90, 17 anos depois ele tornou o próprio estilo uma referência nacional.

“A fotografia te leva para qualquer lugar e a fazer coisas que nunca imaginou que poderia. Aquilo foi me fascinando”. E fascina até hoje. Os olhos brilham a cada vez que expõe o portfólio.

As fotos não são meros registros. Vem carregadas de histórias mesmo que ali não esteja descrita uma linha. A fotografia autoral já vinha do fotojornalismo de redação, “aquilo de você estar sempre fazendo algo diferente”, completa.

A subjetividade em foco. Em primeiro plano. No Pantanal mato-grossense, ele mostra através das lentes a história pantaneira antes que os personagens fiquem para trás. “Óia moço, quando daqui uns 10 anos acabar nóis, o Pantanal também acaba”, reproduz a fala que ouviu de um dos pantaneiros diante da quebra dos costumes passados de geração em geração.

O desafio das fotos está no tempo, no contato, na aproximação e na vivência. Fatores que José Medeiros considera na profissão. O fotógrafo tem que saber o que a pessoa está passando, sentindo e transmitir isso, na foto. Para tal, ele vive, mora e come segundo a tradição. O resultado está na imagem.

Do homem pantaneiro ao índio, entre os projetos que ancora, José Medeiros expôs “Já fui floresta” em Portugal, recentemente. Revelando um povo que ainda vive da terra. Na aldeia Ikpeng, os registros são ricos. De quem não espera encontrar a pose, que surge da mais livre e espontânea vontade. “Para você fazer uma foto, a pessoa tem que ser quem ela é. Deixar à vontade e você fazer parte da vida dela. Aí ela não vai mudar. Ela vai ser ela mesma”.

Em Nova Iorque, a exposição vai mostrar índios e os espelhos, ou melhor, o que sobrou deles. “O primeiro contato foram espelhos e o que sobrou foi a moldura. Serão várias fotos e todos os espelhos na comunidade, eu vou pegando e levando para a minha casa. Foi o que sobrou a eles de herança”.

Fonte: http://goo.gl/xAN653

Focus Escola de Fotografia – Desde 1975 

Veja mais notícias:
http://focusfoto.com.br/blogs
Conheça os cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/
Fale com a Focus:
 [email protected]

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 15/08/2020)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)