Por que viajar pode fazer bem à sua fotografia?

em Dicas & Tutoriais.

Viajar pode fazer bem, Ansel Adams, importância de viajar, evolução da fotografia, mundo competitivo, personalidade, obra, trip internacional, aulas de fotografia, aula de fotografia sp, focus, escolas de fotografia sp, cursos de fotografia sp, curso de fotografia profissional sp, focus escola de fotografia, melhores escolas de fotografia no Brasil, escola focus

Aproveite sua viagem!

Alan Morici/Photos

“Um fotógrafo não faz uma fotografia apenas com sua câmera, mas com os livros que leu, os filmes que assistiu, as viagens que fez, as músicas que ouviu e as pessoas que amou”.  Ansel Adams não poderia ter sido mais feliz ao proferir esta frase e, a meu ver, ele tem absoluta razão.

De todas as formas de se adquirir conhecimentos citadas na fala de Adams, cada um obviamente com sua parcela de contribuição, eu destacaria a importância de viajar e encher a mochila de experiências em prol da evolução de nossa própria fotografia.

Nossa bagagem de vida serve como referência para praticamente todas as nossas futuras escolhas e não poderia ser diferente sua importância antes do clique, antes de fazer sua fotografia.

Num mundo cada vez mais competitivo nesta era da fotografia digital, buscar conhecer pessoas, lugares e culturas diferentes pode ajudar a dar um diferencial ao trabalho de um fotógrafo. Também ajuda, e muito, a criar a sua própria assinatura e trazer personalidade a sua obra.

Em algum momento da carreira de um fotógrafo, percebe-se que o conhecimento técnico entre um jovem iniciante e um experiente profissional acabam se equiparando. Isso acontece porque, com dedicação e estudo, qualquer pessoa pode dominar a técnica de congelar o momento e é aí que você descarrega aquela sua bagagem que pode fazer toda diferença e desempatar o jogo.

Claro que o exercício diário da fotografia ajuda treinar o olhar e quiçá prever, se antecipar a algumas situações que podem aparecer no meio do caminho, mas uma viagem, ah… sempre será uma viagem!  Não importa se é uma trip internacional, um bate volta até aquela ilha de pescadores ou aquela fazenda a poucas horas de sua casa, ter a sensibilidade de captar o que cada lugar tem de melhor é primordial para que esta teoria tenha efeito.

Mas o que posso trazer de uma viagem que fará diferença em meu trabalho como fotógrafo? A resposta pode estar em cada esquina, em cada café, ou no alto de uma montanha.

Traga a luz que viu naquele lugar (se puder percebê-la em horários diferentes, melhor ainda), traga o clima, o ritmo que as pessoas caminham pelas calçadas, a forma que elas reagem ao serem fotografadas. Você pode visitar uma exposição de fotógrafos nativos, tentar clicar aquele consagrado ponto turístico em um ângulo original ou inusitado, uma dança típica e, se der sorte, pode até ser convidado para uma cerimônia de casamento local.

Tudo isso pode e deve agregar valor ao seu trabalho e ajudar a criar uma linguagem pessoal. Quando transformamos o conhecimento empírico em referências, nos sentimos mais confortáveis, preparados e seguros para desenvolver e assinar a autoria de nosso trabalho.

Essa experiência cultural, climática e – por que não dizer? – antropológica, se fará presente na hora de dirigir um personagem para um ensaio, poderá definir seu comportamento diante das dificuldades de uma pauta, no respeito pelo lugar ou pessoa a ser fotografada ou até na escolha de um lugar adequado para um job. Afinal, a gente nunca sabe quando um cliente vai pedir uma indicação de cenário para um trabalho na neve ou numa ilha paradisíaca, né?

Basicamente, uma viagem, se bem aproveitada, faz aumentar nosso vocabulário fotográfico e só temos a ganhar com isso.

Portanto, na sua lista de investimentos, onde já devem constar itens como atualização periódica de equipamento, cursos e workshops, considere incluir algumas viagens durante o ano, garanto que o conhecimento adquirido e agregado à sua fotografia é tão bom quanto.

Boa viagem e boas fotos!

Fonte: https://goo.gl/Jit2BC

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: [email protected]

Seja fotografo regulamentado
Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional

 Referência em ensino de fotografia
“Faça bem feito, faça Focus! – Desde 1975” 

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)