TÉCNICAS BÁSICAS DE COMPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

em Artigos e Entrevistas, Composição Fotográfica.

Técnicas básicas, composição fotográfica, câmeras digitais atuais, fotógrafo profissionais, configurações, chave, quadro, melhores fotos, aspecto, escolas fotografia, amazon, Focus escola de fotografia, aulas de fotografia, cursos de fotografia sp, escolas de fotografia EAD, escola focus, cursos de fotografia presencial SP, Enio Leite, curso de fotografia online, aula de fotografia, fotografia profissional, atletas nuas, fotografia notícias

Com todos os avanços das câmeras digitais atuais, tanto os iniciantes quanto os fotógrafos profissionais podem desfrutar de configurações totalmente automáticas

Porém, a chave para alcançar ótimas imagens será sempre o conhecimento do fotógrafo.

Resumo Fotográfico

Além de escolher as configurações da câmera, o fotógrafo é responsável por decidir o que entra no quadro. Certamente há muitas maneiras de obter melhores fotos, mas um aspecto fundamental para conseguir uma imagem atraente é a composição.

O principal objetivo da composição é influenciar o comportamento da visualização. Isso implica entender os princípios da composição na fotografia e saber como direcionar o olhar do espectador para o assunto ou o ponto de interesse que você deseja que ele olhe.

Veja abaixo uma lista com algumas das técnicas básicas de composição de fotografia mais praticadas que serão sempre úteis, mesmo para fotógrafos mais experientes. Confira e veja como elas podem ajudá-lo a levar sua fotografia ao próximo nível.

Simplificação

A maneira mais fácil de ter uma composição clara e forte é manter as coisas simples. Em vez de ter muita coisa acontecendo no quadro, mantenha o foco em um único assunto com o uso de uma profundidade de campo curta ou eliminando elementos que distraem e que possam roubar os holofotes de seu assunto principal. Quanto mais cedo seus espectadores conseguirem determinar o ponto principal da sua imagem, mais eles poderão passar o tempo apreciando e decifrando a mensagem por trás dela.

Preencher o quadro

Para essa técnica, aproxime-se do seu assunto para fortalecer sua composição. Isso permite que a atenção caia no assunto, como a expressão facial de uma pessoa e em detalhes que podem não ser facilmente percebidos a olho nu. Como bônus, ele ajudará você a se livrar dos elementos que causam distração no fundo e pode até mesmo oferecer padrões abstratos interessantes.

O corte durante o pós-processamento também funciona para que sua foto pareça uma foto em close, mas lembre-se de que você corre o risco de reduzir significativamente a resolução da imagem. Além disso, se você decidir excluir membros (como um braço estendido) do quadro, não corte nas juntas.

Regra dos terços

Se você assistiu a pelo menos uma aula de fotografia, é muito provável que você tenha aprendido sobre a Regra dos Terços. Essa técnica de composição baseia-se na ideia de que colocar seus assuntos fora do centro produz uma composição mais forte e mais natural e permite fazer o uso criativo do espaço negativo. Seguir a Regra dos Terços também serve como a oportunidade perfeita (ou desculpa) para fotografar seus assuntos de diferentes ângulos, permitindo capturar imagens mais exclusivas.

Seja na fotografia de paisagem ou retrato, imagine uma grade 3×3 que divide o enquadramento em nove secções iguais (por duas linhas verticais e duas linhas horizontais) e depois coloque o horizonte, as árvores e outros pontos de interesse como os olhos e os lábios nas interseções e linhas. A maioria das câmeras digitais atuais vem com uma grade para ajudá-lo a compor suas imagens dessa maneira.

Enquadramento                                 

      Também chamado de subquadro, esse tipo de técnica de composição envolve o uso ou a adição de elementos de quadro para enfatizar e direcionar a atenção do espectador para o assunto ou simplesmente adicionar interesse à sua imagem. Pode ser qualquer coisa, de molduras naturais, como formações rochosas ou artificiais, como janelas e túneis. Seja qual for a forma ou formato, desde que ajude a focar o assunto pretendido, ela criará uma imagem esteticamente mais agradável.

Cor e contraste

Outra técnica fácil é o uso de cores para criar fotografias impressionantes e reforçar a mensagem por trás de suas imagens. Você pode optar por incluir uma ou várias cores vivas para destacar os seus temas ou pode optar por tons pasteis para obter imagens claras e bonitas.

Cores complementares também são ótimas para criar uma imagem impressionante e bem equilibrada. Você também pode querer brincar com a temperatura da cor para produzir resultados interessantes ou usar certos tons para evocar várias emoções, como felicidade com amarelos brilhantes e mistério com tons mais escuros.

Contraste

O contraste pode ser usado para destacar seu assunto – basta cercar o assunto e preencher o quadro com cores mais claras ou vice-versa. Imagens monocromáticas como sépia e preto-e-branco também contam com contraste para revelar seus detalhes e texturas.

Ao optar pelo contraste tonal, é importante notar que as áreas mais escuras tendem a ser mais pesadas para os olhos, por isso equilibre-as adicionando áreas maiores e mais claras.

Linhas de condução e formas

Outros elementos significativos da arte para os quais nossos olhos são naturalmente atraídos são linhas e formas. Use-os em sua vantagem, permitindo que eles alterem a maneira como seu público visualiza sua imagem. As linhas têm uma maneira natural de conduzir os olhos do espectador, sendo elementos perfeitos para ajudar a atrair a atenção para os pontos de interesse.

Estradas, pontes e até mesmo corredores são ótimos para mostrar a perspectiva linear, pois têm linhas que se estreitam na extremidade oposta, potencialmente levando os olhos até seus assuntos principais (como edifícios, o céu ou até mesmo uma pessoa parada ao lado da porta).

Ao praticar essa técnica de composição fotográfica, você descobrirá que as formas também estão ao seu redor. Com frequência, você encontrará formas convencionais e claramente definidas em casas (janelas e portas) e outras estruturas arquitetônicas, mas também é possível encontrar formas compostas – especialmente se você olhar com atenção – em todas as cenas multidimensionais.

Triângulos tendem a adicionar um apelo estético às suas fotos. Não hesite em se movimentar e alterar o ângulo do seu quadro para encontrar e revelar essas formas interessantes.

Equilíbrio simétrico

Simetria é uma técnica de composição amplamente ensinada usada para criar equilíbrio visual em suas fotos. Nós inconscientemente procuramos simetria em todas as coisas, e uma fotografia com elementos que são quase perfeitamente balanceados geralmente criam uma imagem muito atraente.

Basta olhar a foto da Torre Eiffel acima. Pode ter sido incrivelmente fácil para o fotógrafo posicionar a câmera de uma forma que capture a silhueta do monumento, o dramático pôr-do-sol e a imagem espelhada na parte inferior da moldura, mas o espectador demora mais do que o normal observando os muitos detalhes desta foto, tornando-a ainda mais intrigante.

Equilíbrio assimétrico

Quando executada corretamente, até mesmo uma imagem visualmente desequilibrada pode revelar-se uma foto interessante. Por mais que tenhamos prazer em olhar para qualquer coisa simétrica, há algo perturbador, mas intrigante, em uma imagem que não parece “seguir as regras”. Essa técnica de equilíbrio informal é muito mais difícil de alcançar, mas melhora com a prática.

Para alcançar a assimetria, tente incluir dois assuntos ou elementos diferentes ou contrastantes e coloque-os fora do centro (seguindo a Regra dos Terços). Eles podem ser qualquer coisa – dois objetos diferentes, dois do mesmo objeto que diferem em tamanho ou cor, quantidades irregulares e equilibradas de tons claros e escuros, ou dois conceitos diferentes.

Profundidade e camadas

Incorporar camadas na sua composição envolve incluir outros elementos a distâncias variáveis ​​da câmera para adicionar profundidade a uma imagem. O que isso faz é permitir que o olhar do espectador seja conduzido pela imagem (semelhante às linhas principais) e salte de um elemento para outro. O efeito se torna mais visualmente atraente quando você tem pelo menos três camadas dominantes em sua imagem – seu primeiro plano, meio e fundo.

Nessa técnica, seu assunto pode estar no primeiro plano, no meio ou no segundo plano, dependendo de onde você define seu foco. Caso os elementos sejam fixos, como na foto acima, uma simples mudança de perspectiva pode alterar o tamanho do primeiro plano em relação às camadas no plano de fundo.

Você pode optar por fazer suas camadas durante o pós-processamento, editando seu primeiro plano o mais naturalmente possível. Basta ter cuidado para manter a imagem geral equilibrada e garantir que você tenha um assunto diferenciado que seus espectadores possam identificar facilmente.

Fonte: https://bit.ly/2FUlE54

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia e composição nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)