TODOS OS PROFISSIONAIS FOTOGRAFAM EM RAW, CERTO?

em Artigos e Entrevistas.

Nem sempre. Apesar de muitos profissionais fotografarem em RAW, há exceções

Para alguns fotógrafos
profissionais, a rapidez e a conveniência do JPEG são mais importantes do que
os benefícios de qualidade fornecidos pelos arquivos RAW.

Um bom exemplo disso são
fotógrafos de esportes e de notícias, que precisam fotografar editar e enviar
suas imagens rapidamente.

Certo, e como eu seleciono a opção para fotografar em RAW na minha
câmera?

Por padrão, a maioria das câmeras
fotografam automaticamente no modo JPEG, então você precisa configurar a sua
câmera para fotografar em RAW. Como você faz isso depende da câmera. Na maioria
das DSLRs e câmeras compactas, isso é feito por meio de uma opção no menu
(geralmente fica na configuração Qualidade de Imagem ou similar – o seu manual
mostra localização exata).

Algumas câmeras mais novas têm um botão específico para selecionar o formato RAW. Feto isso, você já pode começar a fotografar. Apenas lembre-se de quem, em algumas DSLRs da Canon, como a EOS 60D ou superiores, há três opções: RAW, MRAW e SRAW, com diferentes resoluções para que o arquivo que você captura. RAW é de resolução máxima, 18Mp com a EOS 7D, enquanto MRAW é 10Mp e RAW é 4.5Mp.

Essas resoluções menores permitem que você economize espaço no seu cartão de memória se souber que não vai precisar usar a resolução máxima sua câmera, mas ainda quer aproveitar os benefícios do RAW. Em modelos da Nikon acima da D7000 você tem outras configurações, como definir o nível de compressão e o número de bits.

Quais configurações eu posso
ignorar e quais ainda preciso usar ao fotografar em RAW?

É verdade que você pode mudar
muitas configurações ao converter a sua imagem RAW no computador, mas isso
significa que é uma boa ideia ignorar todas elas na hora de fazer as fotos –
especialmente em se tratando de exposição. Até o mesmo arquivo RAW têm
limitações em relação à qualidade de informação tonal contida neles, então você
ainda precisa expor as suas imagens corretamente.

Também é válido definir o equilíbrio de branco corretamente, por dois motivos.Primeiro, porque você irá economizar tempo quando converter imagens, já que a maioria dos conversores pode usar os valores definidos na câmera como valor padrão; segundo, porque o equilíbrio de branco que você escolher irá afetar a escala tonal da sua imagem, o que pode afetar a exposição.

A maioria das outras configurações, como ajuste de nitidez, redução de ruído por ISO e até o espaço de cor, é usada só como marcação nas imagens RAW, portanto não afetam diretamente o arquivo. Isso significa que, se você abrir uma imagem no software de conversão da fabricante da sua câmera, essas configurações podem ser aplicadas como padrão, mas você pode mudá-las.

Uma exceção é a redução de ruído
por longa exposição, que captura uma foto mais escura após a primeira para
reduzir ruído e é usada para imagens RAW e JPEG.

RAW: PRÓS E CONTRAS

PRÓS

Potencial para imagens de maior qualidade.

Edição não destrutiva por padrão, então você não perde dados de imagem.

Mais detalhes de sombra e realce de que em um JPEG padrão.

Mais opções de ajuste posterior – cor, equilíbrio de branco, nitidez,
etc.

CONTRAS

Arquivos maiores do que no formato JPEG.

Demoram mais para gravar no seu cartão de memória.

Mais tempo para serem processadas e editadas.

Precisam ser convertidas para JPEG para que você possa imprimi-las

Exigem prática para edição.

Aproveite para rever mais dicas sobre fotografia profissional nas suas apostilas, bibliografias e vídeos das aulas de fotografia dos cursos profissionalizante da Escola Focus.

PIONEIRISMO
E INOVAÇÃO:
FOCUS Escola de Fotografia – Desde
1975:  
https://focusfoto.com.br    

CONFIRA TCC DE ALUNOS DA ESCOLA FOCUS!  https://focusfoto.com.br/tag/tcc/

BOLSA DE EMPREGOS PARA ALUNOS DA FOCUS
https://focusfoto.com.br/categoria/empregos/

Opinião de Ex- Alunos que estudaram na FOCUS! https://goo.gl/C235XR
Blog de Fotografia:  https://focusfoto.com.br/blogs/

Flickr – Foto Galeria dos Alunos da Escola Focus
https://www.flickr.com/photos/focus_escola_de_fotografia/

#dicas_fotografia #escola_focus #focus #focus_escola_de_fotografia  #focusfoto #focus_fotografia #alunos_fotografia #cursos_fotografia #escolas_de_fotografia #aulas_fotografia  #enio_leite    #cursosdefotografia   

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)