Como usar a técnica do Chiaroscuro? 

Se você gosta de arte já deve ter ouvido falar do chiaroscuro, mas o que é essa técnica e como usá-la? 

No mundo artístico existem alguns modelos de técnicas que são incorporadas por períodos nas peças produzidas, como foi o chiaroscuro. Porém, além desse momento, existe um impacto no desenvolvimento das futuras técnicas dos movimentos seguintes. A sétima arte, a fotografia e cinema, fazem exatamente isso: adaptam da pintura o que é possível de ser feito.

Ficou curioso para saber mais sobre o método, como ele surgiu e como adaptá-lo ao mundo da fotografia? Continue lendo esse artigo e aprenda tudo sobre a técnica secular.

Afinal, como usar a técnica do Chiaroscuro na fotografia? 

Para aprender a usar a técnica do chiaroscuro é preciso entender como ela funciona. De forma direta, para aplicar esse método ao seu trabalho é preciso usar e abusar de sombras e contrastes em suas produções, além de colocar em perspectiva o volume dos objetos retratados. O chiaroscuro não é usado apenas como uma saída visual, mas também emocional na arte. 

A técnica é muito comum na pintura e faz parte de muitos trabalhos de artistas famosos, como Caravaggio e Rembrandt, mas também na fotografia e cinema. Com a mesma ideia, na sétima arte o chiaroscuro é feito para criar dramaticidade no que é representado e deixar a ideia inteira como algo a ser pensado.

Na fotografia, o chiaroscuro é muito usado em retratos, como em um trabalho da fotógrafa brasileira Mônica Paes. Ela usa o método para fotografar drag queens e consegue, com sutileza, mostrar os lados claros e escuros da beleza dessas mulheres. Existe uma sombra de preconceitos e medos que cobra a carreira delas, mas elas brilham como seres humanos potentes e iluminados. 

No cinema, o chiaroscuro foi também muito usado. Como o cinema copia a arte dos movimentos anteriores, era de se esperar que o método fosse incorporado. Uma das estéticas mais conhecidas na área é o Cinema Noir, que surgiu na França. O modelo usava pontos de luz e sombras, que ajudaram a desenvolver o tema mais subjetivo e tenso da trama. 

Como fazer chiaroscuro? 

Agora que você sabe qual o conceito do chiaroscuro, deve estar curioso para saber como colocá-lo em prática. De forma geral, será preciso criar camadas de luz, sombras e volume, todas bem marcadas. 

Comece definindo o assunto principal da sua obra, seja fotográfica ou pintura. Assim, será possível separar camadas da obra e diferenciar o fundo escuro do foco principal. Preencha com preto, ou sombras, as partes menos relevantes da composição para destacar outras. 

Se você está usando a técnica em pinturas, é possível mudar o papel e os materiais usados a fim de alcançar novos resultados. agora, se você está usando o chiaroscuro na fotografia, a liberdade é ainda maior. Você poderá combinar elementos, exposição de luzes e pós-edição. Então, é mais simples obter resultados diversos com um mesmo clique. 

Em composição das sombras, o ponto de luz também é outro ponto relevante. Escolha bem onde ele ficará para evidenciar o que você quer que seja a estrela da sua produção. Colocar as sombras bem opostas às luzes, ajuda a direcionar a atenção do espectador.  

Como surgiu o chiaroscuro? 

O chiaroscuro surgiu de uma necessidade de mudança das artes, de um momento de mais racionalização do que era representado. Então, ele veio com a ideia principal de variar a luz nas pinturas e criar ambientes claros e escuros, além de atribuir os devidos significados à eles. 

O uso da sombra nas pinturas faz com que elas sejam mais reais e naturais, além de criar uma perspectiva mais real no ambiente. Isso coloca toda atuação e função da pintura em um outro patamar, um local mais de estudo e realidade. 

Quando surgiu o claro-escuro? 

O chiaroscuro surgiu no período do Renascimento, no século XV, na Europa. Como a Itália era o berço das artes e onde era desenvolvido os pensamentos da época, essa técnica não tem como não ser da região. em tradução direta, chiaroscuro significa claro e escuro em português.

A passagem da Idade Média para o Renascimento trouxe, além de racionalidade, inovações na pintura, como sombras e esfumar áreas a fim de criar contraste. Foi uma técnica crucial para mudar o período histórico e os valores da época. 

Conclusão 

O chiaroscuro, como visto, é a arte dos contrastes e das sombras e para usá-la é preciso abusar desses elementos. Então, escolha uma área para ser a principal na sua composição e trabalhe com os outros pontos para deixar nítido a divisão da área clara e escura.

Com essa técnica, você poderá alcançar mais do que apenas destaque de um ponto, mas também criar uma visão subjetiva do que é representado e causar novas interpretações.

Ficou alguma dúvida? Nos conte nos comentários!

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.